Em abril, mídia brasileira comemorava “derrota” da “Ley de Medios” na Justiça

Reportagem

Chegou ao fim, na Argentina, uma guerra judicial que já durava mais de quatro anos: a Corte Suprema de Justiça do país considerou constitucional a lei de Serviços de Comunicação Audiovisual, a dita “Ley de Medios”, ou “Lei da Mídia”. Aprovada em 2009 pelo congresso, de lá para cá não vigorou devido a liminar obtida pelo Grupo Clarín (a Globo argentina), que suspendeu os efeitos daquele marco regulatório.

Com a queda da última barreira à execução da nova lei argentina, os grupos de mídia que detém controle acionário de uma multiplicidade de plataformas, tais como rádios, jornais, revistas, emissoras de tevê a cabo ou aberta, portais de internet e empresas de telefonia, terão que se desfazer da grande maioria delas, muitas vezes tendo que optar por uma ou duas em detrimento das outras.

Essa regulação dos meios de comunicação eletrônicos daquele país, então, vem assustando a igualmente concentrada mídia brasileira, que chega a igualar ou a superar a congênere argentina como oligopólio.

Com efeito, isso ocorre porque as concessões de rádio e televisão no Brasil estão –praticamente todas – concentradas nas mãos de algumas poucas famílias e, tal qual no país vizinho, seriam passíveis de dissolução se a comunicação, neste país, tivesse regras como as que vigoram para tantos setores de nossa economia regulados pelo CADE, que atua contra a formação de monopólios, oligopólios e carteis.

O risco que a concentrada grande mídia brasileira enxerga em regulamentação de seu setor ocorrendo tão próxima de nós, portanto, foi o que gerou a reportagem do Jornal Nacional sobre a vitória do governo de Cristina Kirchner na Corte Suprema de Justiça, o que explica as artimanhas que o telejornal usou para tentar desmoralizar o marco regulatório agora em vigor no país vizinho.

A reportagem da edição do JN de 29 de outubro de 2013 colocou a questão como produto de “ataque à liberdade de imprensa” que o governo argentino estaria praticando. O relato do telejornal sobre a briga judicial do Grupo Clarín contra a lei aprovada pelo Legislativo do país ainda tentou fazer parecer que fora imposta pelo governo de forma ditatorial. Além disso, escalou um “especialista” simpático à sua opinião para criticá-la.

Mas o pior mesmo foi o âncora principal do JN, Willian Bonner, insinuar que a maioria dos juízes da Corte Suprema argentina teriam atuado de forma política por terem sido indicados pelo ex-presidente Néstor Kirchner, antecessor – e, então, marido – da hoje presidente Cristina Kirchner, apesar de que lá, como aqui, sempre foi o presidente da República quem indicou os ministros das Supremas Cortes.

A insinuação do Jornal Nacional sobre o judiciário da Argentina e a escolha que o telejornal fez de só exibir a opinião de “especialista” favorável à sua opinião são os pontos que revelam com maior vigor a necessidade de o Brasil ter também seu marco regulatório de forma a extinguir de vez o oligopólio que temos no setor de comunicação, o qual jamais seria tolerado em qualquer outro setor de nossa economia.

A família Marinho, por exemplo, NÃO PODE usar uma concessão pública de tevê para vender suas teses políticas e ideológicas enquanto censura as de outros setores da sociedade que, tanto quanto quaisquer outros, também são DONOS daquela concessão.

Mas vamos aos pontos destacados – a insinuação contra o judiciário argentino e a escolha do “especialista” concordante.

Há pouco mais de seis meses, por exemplo, não havia insinuações em nossa mídia sobre a idoneidade do judiciário argentino. Muito pelo contrário, ela comemorava “derrota” do governo argentino na justiça por esta ter considerado “inconstitucional” os mesmos artigos da “Lei de Meios” que, agora, a cúpula do judiciário do país considerou constitucionais.

Entre 13 e 18 de abril deste ano, os jornais Folha de São Paulo, O Globo e Valor Econômico publicaram matérias comemorando a “derrota” do governo Kirchner na mesma justiça que, agora, a Globo – e, em breve, o resto da grande mídia – insinua que favoreceu indevidamente aquele mesmo governo.

Abaixo, as matérias dos três jornais comemorando o favorecimento que seus pontos de vista receberam da justiça argentina há cerca de seis meses.

—–

Folha de São Paulo

13 de abril de 2013

Tribunal impõe derrota a Cristina, segundo jornal

Juízes consideraram inconstitucionais artigos da Lei de Meios, de acordo com ‘La Nación’

Fontes da Autoridade Federal de Serviços de Comunicação Audiovisual da Argentina confirmaram ontem à noite ao jornal “La Nación” que um tribunal de Buenos Aires declarou a inconstitucionalidade de dois artigos da Lei de Meios do país, impondo uma derrota ao governo na briga com o grupo de comunicação Clarín.

Considerado um “monopólio” pelos kirchneristas, o Clarín é o mais poderoso grupo da imprensa local, contando com emissora de TV, empresa de cabo, portal de internet, jornais e rádios.

A Lei de Meios, promulgada em 2009, previa nesses dois artigos a proibição da propriedade cruzada de meios (empresas de cabo não poderiam atuar em TV aberta), limites de licenças por empresa e dava prazo de um ano para adequação à legislação.

O caso deve seguir para a Corte Suprema de Justiça do país, segundo fontes do jornal argentino e manifestações no Twitter da rádio pública, emissora estatal. O governo havia obtido uma decisão favorável na primeira instância do processo.

Em ato político à noite, a presidente Cristina Kirchner, sem se referir diretamente ao caso, criticou medidas cautelares que impedem efeitos práticos para leis: “Para os invisíveis e para os pobres não há cautelares nem inconstitucionalidades”, afirmou.

*

Valor Econômico

17 de abril de 2013

Cristina Kirchner sofre derrota na Justiça sobre lei de mídia

Por César Felício | Valor

BUENOS AIRES – O governo da presidente argentina Cristina Kirchner foi derrotado hoje em decisão de segunda instância da Justiça argentina sobre a “lei de meios”, que restringe o tamanho dos grupos de mídia eletrônica na Argentina. A Câmara Federal Civil e Comercial declarou inconstitucional os dispositivos que estabelecem o limite de 24 licenças de televisão a cabo e do limite de 35% para a cobertura geográfica com serviços de televisão no país. Também caiu a norma que proibia a prestação simultânea de serviços de TV a cabo e de TV aberta.

A medida beneficia o grupo Clarín, maior conglomerado de mídia na Argentina, com quem o governo trava uma disputa política desde 2008. A decisão foi recebida com irritação pela agência governamental que regula o setor. “Declararam a inconstitucionalidade de todos e cada um dos incisos que afetam os negócios do grupo Clarín, eliminando o espírito antimonopólico da lei”, disse em nota oficial o diretor da Autoridade Federal de Serviços de Comunicação(AFSCA), Martín Sabatella. Segundo ele, o governo irá recorrer à Suprema Corte

*

O Globo

18 de abril de 2013

Lei de Meios: governo Kirchner sofre revés

Tribunal declara inconstitucionais artigos prejudiciais ao grupo Clarín

BUENOS AIRES – Um dia depois do Tribunal da Câmara Federal Civil e Comercial ter declarado a inconstitucionalidade parcial de dois artigos da polêmica Lei de Meios denunciados há mais de três anos pelo grupo Clarín, a presidente Cristina Kirchner voltou a questionar a atuação do Judiciário argentino.

Horas antes da realização de um panelaço em repúdio ao projeto de reforma do Judiciário que a Casa Rosada pretendia transformar em lei nesta quinta-feira, a presidente disse ter ficado “muda” pela sentença da câmara, da qual o governo pretende apelar.

Assim, a decisão final sobre a constitucionalidade ou não da Lei de Meios ficará em mãos da Corte Suprema de Justiça, que não tem prazo para anunciar sua decisão.

A sentença da Câmara estabelece que os artigos 45 e 48, que tratam de TV a cabo, são parcialmente inconstitucionais. Já os artigos 41 e 161, que limitam o número de licenças de TV e também considerados inconstitucionais pelo grupo Clarín, não foram anulados pela Câmara.

O grupo apelará da decisão, que, como no caso dos artigos 45 e 48, deverá ser ratificada ou não pela Corte Suprema. Até que o máximo tribunal ponha um ponto final à disputa, os artigos envolvidos na queda de braço judicial não serão aplicados.

A posição dos membros da câmara representou um revés para o governo Kirchner, já que o tribunal confirmou pontos dos artigos 45 e 48 que, se fossem aplicados, significariam um duro golpe para o Clarín. A câmara defendeu, por exemplo, o direito do grupo de fornecer o serviço de TV a cabo em todo o país e não apenas em 24 municípios, como estabelece a lei.

Também foi autorizada a possibilidade de operar, numa mesma cidade, um canal de TV aberta e outro de TV a cabo. O governo pretendia impedir esta sinergia. Por fim, a restrição que limitava o raio de ação dos canais a 35% da audiência nacional também foi considerada inconstitucional pela câmara.

—–

Acima, a evidência de que a mídia brasileira confia ou não na justiça argentina de acordo com a ocasião.

Mas não é só aí que fica claro que a comunicação, também no Brasil, precisa mesmo ser desconcentrada. O Jornal Nacional escolheu para comentar o fato no país vizinho um “especialista” favorável ao seu ponto de vista, o presidente da Associação Internacional de Radiodifusão, Alexandre Jobim, que fez críticas à lei de meios da Argentina.

Diz Jobim:

—–

Essa lei está com um direcionamento. Ela quer derrubar um suposto oligopólio de alguns grupos independentes que são opositores ao governo Kirchner, e por outro lado o governo vai estar fazendo um movimento contrário, ou seja, um movimento de fazer uma verdadeira colonização dos meios mediante publicidade oficial nos meios aliados com essa situação. Nenhuma lei, o parlamento maioria governista, e quer quebrar os contratos pela metade, segurança jurídica, o ato jurídico perfeitos de que são princípios não só da constituição na Argentina, como da Casa Interamericana de Direitos Humanos

—–

O telespectador do Jornal Nacional deve ter ficado pensando – ou a Globo quis que ficasse pensando – que é ponto pacífico que estaria havendo alguma violação de direitos e cerceamento à liberdade de expressão na Argentina, promovido por um governo “ditatorial”. Contudo, se houvesse interesse da emissora em fornecer informação e não, tão-somente, defesa de seus próprios interesses – em detrimento dos direitos da quase totalidade da sociedade, diga-se –, ela deveria ter apresentado um especialista tão ou mais eminente e representativo que Jobim, mas com opinião diametralmente contrária.

Ou as pessoas não devem ter acesso aos dois lados da moeda?

Isso, claro, é o que mandaria a pluralidade opinativa que, aliás, a Globo diz que adota em seu jornalismo – mas que, como se vê, não cumpre.

Poderia, a emissora da família Marinho, ter ido ouvir, por exemplo, o Relator Especial da ONU sobre Liberdade de Expressão e Opinião, Frank La Rue, que, ao site da organização sediada em Nova Iorque, deu declaração diametralmente oposta da que deu o “especialista” eleito pela Globo para concordar consigo.

Leia, abaixo, trecho do que diz o relator da ONU sobre a lei de meios argentina:

—–

“(…) A lei foi levada a cada província, onde foram feitas consultas. (…) A lei da Argentina faz um balanço equitativo nas telecomunicações entre interesses comerciais, comunitários e públicos, que na minha visão deveriam ser independentes. E os meios comunitários não são meios comerciais e não podem entrar na mesma lógica (…)”

—–

Por fim, leia na íntegra, abaixo, a matéria do Jornal Nacional citada neste texto. E tire as suas conclusões.

—–

JORNAL NACIONAL

29 de outubro de 2013

Governo argentino defende Lei de Meios, que vai limitar o Grupo Clarín

Lei é considerada constitucional e juízes aprovam limite de concessões de rádio e TV. Com decisão, governo vai limitar o tamanho do Grupo Clarín.

A Corte Suprema da Argentina considerou constitucional a Lei de Meios, aprovada em 2009 pelo Congresso. A lei estabelece novas normas de concessão de rádio e de televisão na Argentina.

A decisão desta terça-feira (29) é mais um capítulo na guerra de quase seis anos travada entre a presidente Cristina Kirchner contra o Clarín, maior grupo de comunicação da Argentina e uma das poucas vozes críticas ao governo.

A posição da Suprema Corte representa uma vitória para o governo, que vai conseguir limitar drasticamente o tamanho do grupo de comunicação, considerado seu inimigo número um.

Quatro dos sete juízes que participaram do julgamento desta terça-feira (29) foram indicados por Nestor Kirchner, marido e antecessor de Cristina, morto há três anos.

Seis juízes consideraram a Lei de Meios constitucional e aprovaram o limite de concessões de rádio e TV. O artigo que possibilita o fim imediato das concessões, mesmo de longo prazo, teve o placar mais apertado: quatro a três.

Na sentença de quase 400 páginas, os juízes cobraram ainda a transparência nas políticas de subsídio e propaganda oficial.

Com a decisão da Corte, o Grupo Clarín terá que se desfazer de grande parte dos canais de rádio, TV, TV a cabo e internet. Serão pelo menos 150 de suas 200 concessões. Além de edifícios e equipamentos, onde funcionam suas emissoras.

O governo explicou nesta terça-feira (29) que o prazo para o cumprimento voluntário da lei já venceu e que, a partir de agora, seguirá com o processo de forma unilateral. As empresas terão que manter os funcionários e os serviços até a total transferência para os novos donos. Se alguma empresa se sentir prejudicada em relação à indenização, poderá entrar na Justiça.

Em nota, o Grupo Clarin declarou que respeita a decisão da Justiça e não descarta entrar com uma ação em cortes internacionais. O grupo considera que a decisão não respeita os direitos adquiridos para concessões de médio e de longo prazos, e que a lei afeta claramente a liberdade de expressão e quer silenciar os meios que exercem o jornalismo crítico.

O presidente da Associação Internacional de Radiodifusão, Alexandre Jobim, fez críticas à lei de meios da Argentina.

“Essa lei está com um direcionamento. Ela quer derrubar um suposto oligopólio de alguns grupos independentes que são opositores ao governo Kirchner, e por outro lado o governo vai estar fazendo um movimento contrário, ou seja, um movimento de fazer uma verdadeira colonização dos meios mediante publicidade oficial nos meios aliados com essa situação. Nenhuma lei, o parlamento maioria governista, e quer quebrar os contratos pela metade, segurança jurídica, o ato jurídico perfeitos de que são princípios não só da constituição na Argentina, como da Casa Interamericana de Direitos Humanos”, declara Alexandre Jobim, presidente da Associação Internacional de Radiodifusão.

—-

101 comments

  • Caro Eduardo,

    Lembra-se daquela piada dos anos 80/90, do tal efeito Orloff? Pois bem, lembrei dela ao ler essa sua verdadeira aula de jornalismo. Agora é só aguardar os trâmites. Haverão choros e rangeres de dentes, mas terão que cumprir a lei, pois esgotadas todas as instâncias, e como foi citado, um ”ato jurídico perfeito” , cumpra-se!
    Agora por aqui, eu não entendo mesmo, o que mantém no poder um ministro das comunicações, que não quer enxergar(ou será que enxerga muito bem???) as semelhanças Brasil/Argentina?
    Efeito Orloff… aposto que boa parte de seus leitores não sabe do que estamos falando, mas o Bonner, o Kamel, O Tio Rei, Augusto Nunes, Nêumane, e cia sabem.

    Douglas Quina
    Mogi Guaçu – SP

  • tal lá, como cá ..é tudo igual

    De fato a discussão reza por sobre quem vai poder nos enganar mais ..porém, interessante será constatar quando os que hoje estão no governo começarem a sentir o peso reverso de suas praticas e decisões (por exemplo com os tais apológicos “bom dia presidente”, ou em se manter veículos sem a menor condição de existirem).

    De certo mesmo, de coibir e PUNIR severamente a mentira, a manipulação, a cassação da palavra dada a adversários, de se combater a assimetria político-ideológico-partidária, de se tentar também usar destes veículos como fonte de discussão ética e saber, praticamente nada.

    E por se falar em “aqui” ..hoje, assim como ontem, antes donte e pra trás dos montes (ao menos até a tal Constituição de 88) eu liguei a TV aberta e o que vi ? Igrejas, igrejas e mais igrejas, uma do Valdomiro, outra do Edir e aquela do cunhadão Rodrigues, fora a do Chaves e Chapolin, claro ..isso enquanto na TV dos Marinhos passava telecurso Segundo GRAU, sem duvida que cometendo um verdadeiro sacrilégio, um pecado mesmo.

    Então ? então tá então oras bolas..

    em tempo NACIONAL – o MINISTRO José Eduardo Masmorra, aquele que não defende NADA (inclusive nem defende a diminuição da maioridade e/ou o endurecimento das LEIS pq simplesmente não teríamos cadeia) …ele, meio que como num sopro de realidade, acaba de anunciar que AGORA, que agora, diante das incontáveis manifestações e paralisações de vias Federais que cortam o Estado (BR 116/101 e Fernão Dias) que agora ele determinou não só que se peça ajuda a PM Estadual, mas que com “urgência”, que se aumente o efetivo da PRF (Policia Rodoviária Federal) ..esta que passará a receber mais do que as QUATRO viaturas que cobrem o trecho SP-MG por exemplo ..fala sério ? Nós merecemos mesmo tanta gente INCOMPETENTE e MENTIROSA nos comandando ?

    em tempo INTERNACIONAL – depois de dizer que Jesus multiplicou os Pênis, ou de anunciar que ouvia o Comandante Supremo pro meio de borboletas e passarinhos que se aproximam dele quando o mesmo ia DORMIR no tumulo do Marte Bolivariano, agora MADURO anunciou que acaba de criar o “Sub-ministério da Felicidade Suprema Social do Povo Venezuelano” ..diante de tanta perspicácia e visão, determinado HUMORISTA já anunciou que nem deu 24 horas, e ele já estava com vontade de RIR.

    http://www.youtube.com/watch?v=nnVR51M46gM

    • a propósito, o Secretário de Segurança, contrariando diversas outras “autoridades”, anda dizendo que LEIS existem, o que falta é pô-las em pratica, por exemplo falta pegar os “infratores” no flagra

      ..assim, eles, as autoridades, “estudam” um conjunto de medidas que poria fim a este festival de incivilidade em que nos meteram, principalmente no que tange ao fechamento de estradas e a depredação de patrimônio público e privado.

      ..fora que agora tb estão querendo culpar o PCC, um grupo que seu grupo fez quase NADA pra aniquilar e/ou impedir seu surgimento/fortalecimento.

      REITERO, a demonização destes movimentos interessa, ACIMA DE TUDO, aos grupos que estão no poder e que passam então a se fazer de vítimas ..portanto, é bom que eles não parem, pensam ..afinal, afinal temos eleição o ano que vem

      Fora ainda que a PM de SP acaba de receber 7% de aumento (contra 20-45% de aumento de IPTU do Malddad), fato este que, dizem, ajudou a “desencorajar” a tropa pra partir prum enfrentamento mais duro.

      e aqui eu volto a perguntar, pq dentro deste leque de opções, pq até agora, das CENTENAS (que chegam aos milhares) de presos nestes protestos, pq nem uma duzia deles ainda esta preso, ENJAULADO mesmo ?

      -Tentativa de homicídio

      -dano ao patrimônio público e/ou particular, vandalismo

      -Perturbação da ordem

      -Formação de bando e/ou quadrilha

      -Lesão corporal leve e/ou grave

      -USO de arma branca ..porte de arma de fogo ..uso de artifício LETAL

      -assalto, furto e/ou roubo

      -interrupção de via e/ou tráfego com impedimento, ou ofensa GRAVE ao direito do próximo

      -insuflar a violência e a prática de ilícitos ..premeditar os crimes de forma DOLOSA

      francamente, com exemplos como este abaixo, aonde um cara foi FLAGRADO (e confessou) quebrando tudo e, minutos depois, sai livre, o que podemos esperar? ..e depois dele, quantos outros vieram, não ?!

      http://www.youtube.com/watch?v=NIjWKK1jIjY

      Brasil, fala sério ? Você não é sério, é ?

      nota – a JUSTIÇA de SP deu 60 dias (SESSENTA) pros estudantes desocuparem a reitoria da USP ..entre tantas coisas os estudante (vê se pode) agora pedem participação na eleição do REITOR daquela Instituição (coisa que convenhamos deveria se ater a conselheiros, quiça professores e funcionários permanentes)

  • Advinha quem voltou pro jantar, pra ganhar mais uma medalha ? Lula

    E logo de cara, mais rápido do que GEORGE BUSH e OBAMA quando sacam de seus revólveres para responsabilizarem todo e qq mal como se sendo culpa do “terrorismo internacional” ..LULA aqui tb não deixou por menos, e pra tentar safar a CARA dos políticos ladrões, corruptos, assassinos, inaptos, violentos e INCOMPETENTES, foi logo avisando que quem “despreza a política”, esquece de que a opção opção é a dita, dura.

    Magina cumpanheiro, ERROU DE NOVO !!! ..quem despreza abertamente este tipo de política de conchavos, opaca, fisiológica, comandada por BANDIDOS, impositiva e inconsequente, simplesmente esta querendo uma OUTRA FORMA de se fazer política, uma mais ética, transparente, participativa, uma que provavelmente o nosso líder ainda não teve o prazer de imaginar e/ou conhecer.

    disse LULA :

    “..Se a juventude lesse a biografia do Getúlio (Vargas) e do Juscelino (Kubitschek) possivelmente não iria desprezar a política, e muito menos a imprensa iria avacalhar a política como avacalha..” sei sei

    em tempo : antes que me acusem de estar criticando somente a esquerda, novamente aviso que eu tenho cá os meus motivos, um deles é pq eu sempre me julguei como se sendo “um deles”, sempre votava neles (hoje voto branco), e outro é pensar que se temos que criticar, nada como partirmos do melhor que já tivemos e/ou, nem que em teoria, conseguimos conceber.

    http://www.youtube.com/watch?v=8qkSe4YM7EY

    • e pra quem ainda não sabe ..o prefeito Malddad acaba de promover um aumento GIGANTESCO no IPTU de SP ..diminuição mesmo só na periferia, em redutos eleitorais do PT

      O aumento foi dado, NA CARA DE PAU, com base na especulação imobiliária ..sequer a MALDITA indexação inflacionária foi usada ..o aumento ainda ocorrerá por mais 3 anos ..isso como se valorização (ou desvalorização) de imóvel significasse aumento de renda e/ou de gastos para a Cidade

      ..ou seja, o IPTU agora é um monstrengo sujeito a sabores tipo como o inexplicável IPVA acompanhado de pedágio

      ah sim, e pra compensar, Malddad tentou, mas parece que não conseguiu, ENFIAR mais uma boa dose de coitadismo ao isentar APOSENTADO que ganhasse até 5 SM (hoje são 3)

      em tempo ..agora vamos ver como vai ficar a INFLAÇÃO de janeiro ..quem sabe pra compensar este festival de idiotice (com direito a compensações no aumento de aluguel, mensalidade escolar etc) quem sabe a DILMINHA aumente ainda mais o juros

      http://www.youtube.com/watch?v=1ZNNUU_AbXs

      • Romanelli, aproveitando essa sua posição, colo aqui uma matéria escrita pelo Paulo Nogueira, que ressalta a coragem do prefeito Haddad no caso do IPTU de São Paulo. Concordo com ele integralmente.

        Haddad está apanhando muito da velha mídia que vocaliza os interesses dos de sempre, mas a redução e até a isenção de IPTU para as áreas periféricas e mais pobres estão sendo compensadas pelo aumento nas áreas mais favorecidas. Justiça social que deve ser defendida por quem tem um mínimo de visão de solidariedade social, algo que falta completamente nas pessoas mais favorecidas dessa selva de pedra que é São Paulo.

        Segue a matéria do Paulo Nogueira. Nela, está dito o que eu diria, por isso o colei aqui. Fica mais fácil.

        Aproveite e veja no Google o mapa da distribuição de reduções e de aumentos do IPTU em São Paulo. Nele, fica clara a preocupação social da medida. Não espero que você concorde, mas dá uma olhadinha nesse mapa. É esclarecedor do que falo.

        ” Num país em que rico não paga imposto, é com satisfação que vejo a questão do novo IPTU em São Paulo.
        Há uma lógica perfeita nos aumentos: ele é menor nas regiões mais pobres e maior nas regiões mais afluentes.
        Em algumas áreas, na verdade, o que houve foi uma redução. No Parque do Carmo, por exemplo, o IPTU ficou 12% menor.
        Isso se chama redistribuição de renda, e é algo de que São Paulo precisa com urgência e em doses torrenciais.
        Louve-se a coragem do prefeito Haddad, uma vez que a periferia não tem voz na mídia, e a turma das áreas mais nobres já está batendo nele com seu habitual egoísmo e completa falta de solidariedade.
        Há um simbolismo na tabela de aumentos que merece aplausos.
        Não é o primeiro episódio de escolha acertada de Haddad. Na questão da mobilidade urbana, ele já optou pelos ônibus e não, como sempre aconteceu em São Paulo, pelos carros.
        Um ex-prefeito de Bogotá disse que um ônibus que passa em boa velocidade enquanto um carro está no engarrafamento significa democracia.
        Haddad parece seguir a mesma lógica ao aumentar as faixas exclusivas de ônibus. Em breve, de tanto ver passar ônibus enquanto seu carro não anda, muitos paulistanos mudarão de ideia sobre a melhor forma de se locomover em São Paulo.
        Há ainda uma longa caminhada até sabermos se Haddad será ou não um bom prefeito. (Sabemos, com certeza, que prefeitos como Serra e Kassab foram uma tragédia paulistana, com sua miopia, falta de conhecimento e foco em quem já é mimado demais.)
        Mas Haddad parece saber para onde quer ir, como ficou claro no caso do IPTU e da mobilidade urbana.
        Na grande frase romana, vento nenhum ajuda quem não sabe para onde ir. Haddad parece saber.
        E esta é uma excelente notícia para os paulistanos. “

          • Abração, Wilsoleaks Alves.

            Precisamos defender com veemência uma proposta socialmente muito boa.

            Haddad está demonstrando muita coragem em implantá-la numa cidade em que a velha mídia defende tão agressivamente os interesses dos mais favorecidos. E está fazendo a defesa do seu projeto da forma de sempre, civilizada e respeitosamente.

            Merece nossa ajuda em esclarecer o maior número possível de pessoas com quem convivemos.

            Vamos em frente, companheiro.

        • Claudio, grato pela contribuição educada e democrática

          mas aqui penso que estamos diante de uma falácia (Designa-se por falácia um raciocínio errado com aparência de verdadeiro)

          O que Malddad fez não foi redistribuir tributos coisa nenhuma ..prioritariamente ele esta AUMENTANDO a CARGA TRIBUTÁRIA, o custo BRASIL, o custo São Paulo ..carga esta que terá reflexos no comércio, aluguel das famílias e mensalidades escolares, por exemplo.

          A prefeitura já vem negociando uma revisão pretérita de sua divida com o Governo Federal, desta vez com índices mais favoráveis com consequente diminuição das despesas financeiras ..conta também com novos prazos e novos recursos ..mas isso parece que não satisfaz a FÚRIA arrecadatória que esta em curso

          Como disse, valorização ESPECULATIVA não significa aumento de renda, MUITO MENOS aumento de custos/despesas da PMSP.

          Ainda, no que tange às tarifas (que esta sendo LEVIANAMENTE usado como desculpa), de concreto é que não vimos a transparência prometida, 70% da frota continua sendo dum só camarada, redução como a eliminação dos cobradores sequer foi aventada, assim como não foi quantificado o repasse da benefícios fiscais dados pelo Governo Federal.

          ..fora a corrupção e DESVIOS que correm solto

          E sobre os corredores já disse aqui, eles são e SERÃO INSUFICIENTES, jamais poderiam ser a essência ..isso não é política pública que se apresente.

          -Eu quero ver é um a rede de MONOTRILHOS rodando pelo canteiro central das principais avenidas (as artérias), e com direito a manutenção da área verde

          -quero ver incentivo fiscal dado a ESTACIONAMENTO que se localizasse em pontos nevrálgicos e estratégicos, em pontos que INTEGRARIAM o transporte individual (que vem pelos vasos, os bairros) com o transporte de massa (Metro, CBTM, Monotrilho, Furafila etc)

          -quero ver a PROIBIÇÃO de estacionamento em vias que só dispõe de duas mãos em cada sentido e que passam ônibus ..pois estas, do jeito que estão, nem corredor puxadinho comportam

          -quero ver um reestudo pra se diminuir os semáforos, os cruzamentos

          -quero ver uma política Nacional, que envolva TODOS os governos, pra estimular o uso e desenvolvimento de carro NACIONAL compacto

          enfim, pra esta administração, acho que estou pedindo muito

          • aliás, se me permite, acho até que o número de horas e /ou DIAS também deveria ter sido usado ..muito amis do que hoje se pretender inviabilizar por completo o uso do carro

            Outra medida, que agora só cabe próximo ao bairro em que moro, seria a prefeitura ALARGAR avenidas que estão estranguladas pela GRILAGEM e ou avanço irregular das calçadas (e isso vale pros portões GRÁVIDOS das garagens, tão comuns na periferia da cidade) ..cito o início da Via Anchieta, a Avenida dos Ourives, Miguel Stefano, a Avenida Pd Arlindo Vieira, a do Cursino, ou mesmo no outro extremo, a de Itaquera também

            ..problema que aqui há que se ter CORAGEM ..e VISÃO do que é a nossa cidade também

          • poxa ..é a pressa, horas e/ou dias, “número de placas em rodízio” eu quis escrever

            e aproveitando, os serviços (de advogados, consultores, médicos etc) tb serão severamente afetados em seus custos /repasse por esta derrama municipal

          • Uma falácia chamada Romanelli.

            Tal qual a famiglia Marinho da Argentina, o Romanelli e a famiglia Marinho daqui desconversam e misturam alhos e bugalhos para tentar defender os interesses das elites de explorar a sociedade na Argentina e de fazer o mesmo por estas terras brasileiras.

            Aumentar o IPTU nos anos Cerra-Kassab não era atentado aos interesses do povo, mas tornar o IPTU mais humano e correto nos anos Haddad é um atentado mortal (e contra o direitos humanos) dos cidadãos paulistanos!

            O caro Romanelli deve ser tão democrático quanto a famiglia Marinho da Argentina, a famiglia Marinho daqui e os integrantes do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.

            Toma cuidado Romanelli para que a sua cruz gamada não caia do bolso e seja visto por todos!

            Qualquer dias destes ele vai anunciar que participou de algum movimento black block…

    • Você deveria escrever o seu próprio blog.
      Você não comenta o post, desanda a escrever um texto longuíssimo com diversas idéias contraditórias.
      Eu li uma parte e desta parte acho graça você misturar aumento do IPTU (município) com aumento da Polícia Militar (governo), com um afetando o outro…
      O pessoal já aprendeu a saltar seus comentários. Tenho que fazer o mesmo.

      • tá certo Fernando, mas uma coisa vc não pode negar : TODOS os assuntos que eu trouxe foram baseados em impressões minhas que tratam de notícias e fatos que afetam e interessam a cidadania, ao blog da cidadania.

        Outrossim gostaria de dizer que comentei sim o texto ..só que este mundo é vasto, e de há muito que já aprendi sobre o efeito borboleta

        ..e, verdade, tenho tentado colar outros temas pra enriquecer o espaço que de há muito já provou que respeita a pluralidade e que tem tentado manter um debate civilizado ..embora aqui confesse que hoje, por ERRO MEU (limpei a memória do PC), hoje não intercalei os demais “posts” abaixo do meu comentário principal (o que comentava o texto), pratica que tenho tentado manter.

        nota – particularmente gostaria que vc refletisse sobre o seguinte : se vc não gosta que o PIG te paute e/ou te limite, pq então temos que nos manter pautados e limitados a um só texto ? ainda mais num ambiente diferenciado como este e num tempo tão dinâmico como o que vivemos ? ..será colega, será que aqui não estamos menosprezando a nossa própria visão, FORÇA, direito e poder de participação ?

        • Hei sr Romanelli, está com vontade de remexer a sua consciência, faça-o sozinho. Não nos submeta a esse martírio, por favor.
          Aqui nos interessa a lei das midias. Felizmente temos agora um parâmetro portenho para atormentar aqueles que nos atormentam.

          • Estou contigo Odete, …ninguém aguenta essa “mala sem alça” do Romanelli…..
            O correto seria o “ilustre” a ter o seu próprio BLOG e vomitar as suas fezes por lá…
            Pare de encher o saco, ROMANELLI, babaca…!!

        • E ainda por cima, frases (frases mesmo, não orações) inteiras sem predicado, não formam o menor sentido. Esse senhor Romanelli é muito confuso, meu caro R Locatelli. Não costumo ler até o fim, só um pouco para me divertir.

          • Ô, Valdir, Valdir…
            Você deve ter uma criatividade muito grande pra conseguir se divertir com o Romanelli-pé-no-saco.
            Olha, cá entre nós, acho que prefiro um tratamento de canal.
            Abraço.

            Em tempo: visitei o sítio do Clarin e a direitalha de lá tá espumando nos comentários.
            O Marx disse que operários não têm pátria. Sei não, mas acho que quem não tem é a direitalha: o discurso lá e aqui são sintonizadíssimos.

        • As vezes, creio eu, a peneira do Eduardo fica descalibrada. Prá não dizer que o Eduardo faz papel de censor, ele tolera esse visitante mais do que devia. Edu, publica ”apenas um” comentário do Romané(li). Eu da minha parte apenas passo os olhos, não reflito sobre o que está escrito.
          Douglas Quina
          Mogi Guaçu – SP

      • Eu já comentei com o Eduardo que a tática do Rmoanelli para trollar é a verborragia desatada, poluindo os comentários com textos longuíssimos, repetitivos e enfadonhos, que abordam diversos assuntos absolutamente sem relação com o assunto do post.
        É quase como se quisesse sequetrar o blog para ele, mas o que quer mesmo é impedir que o debate flua.
        Pessoalmente eu nem leio. Se eu vejo que é dele eu pulo o comentário direto, pode ter um quilometro de comprimento, eu rolo a tela até passar direto.

      • É urgente a regulação da MÍDIA EM NOSSO PAÍS . Espero que a exemplo da Argentina ,o governo decida enfrentar essa imprensa acostumada a maquiar os fatos conforme o seu interesse .

    • Adivinha quem vem para jantaire?!
      Romanuelli!!
      Ó Maria! Ponha mais água no feijão que Romanuelli está a chegaire para falaire de política.
      Romanuelli está a dizeire que o Lula está a sacaire das pistolas para atiraire em quem está a desprezaire dos políticos.
      Romanuelli prefere que o a Santa Terrinha seja administrada pela… pelo… Hã, por quem mesmo Romanuelli?
      Não estou a entendeire.
      Quem será nomeado prefeito, governadoire ou presidente?
      Ninguém?!
      Ah! A rede globo vai montaire uma equipo de notáveis?
      Merval Pedreira para a cultura. Já tá na ABL.
      Eliana Catarrada vai para a saúde. De febre amarela ela entende.
      Miriam Porcão vai para a economia. Não erra nenhuma previsão
      Policarpo Junior vai para a educação. Já é até conhecido como “O Caneta”
      Reinaldo Azedo vai para a EMFA. O homem é um autêntico Rottweiler.
      José Neummani Pinto vai para a agricultura. De pinto ele manja.

      • Wilsoleaks Alves

        A lixeira deveria abrir-se para dar lugar a mais um, pois não?
        Oh Eduardo.
        Essa prolixidade não dá em nada e ainda enche o saco, não?

        • Caro amigo Salvador…
          O Romanéli (valeu Douglas Quina) é uma mesmo bola, vive quicando e não tem esse nem aquele que não lhe quer dar um chute. Figuraça.
          Abração.

      • KKKKKKKKKK (tô rindo da piada do W A)

        Não li porra nenhuma deste mala sem alça, que, felizmente pra ele ou infelizmente pra nós é tolerado pelo Eduguim.
        Só vim pulando até chegar no Locatellli e W A.
        É um tal de comentário enorme seguido de uma resposta dele para ele mesmo maior ainda, com mais outras respostas pra ele mesmo, sugerindo um post scriptum sem fim, em todos os posts, todo dia.
        Tá dando nojo!
        Ô Eduguim, quer perder seus leitores?

        • Tá bom Luciano, mano véio!
          Suponhamos que o Eduardo resolva, enfim, por o Romanéli no lixo.
          E de quem nós iremos rir?
          O Alati já não tá mais aqui.
          O Lucas Daniel quase não aparece.
          Tem um tal de Marcos ou Paulo sei lá, que tá sempre falando umas asneiras, mas como as asneira são sempre as mesmas já perderam a graça.
          Bom… Tem o Rebolla, mas esse quase não vem mais aqui depois que perdeu o rebollado.
          O Roberto Freire depois que foi preterido pela Marina Silva, amuou.
          Tá certo que o Décio de Atibáia tá voltando, mas ainda é pouco.
          Muito embora este seja um blog sério, centrado e com propósito, ainda assim precisamos de humor e o Romanéli é o nosso bobo da corte. Romanéli é garantia de galhofa.
          Grande abraço Luciano.

          • Fala a verdade, além de debater os assuntos do blog, você se diverte horrores tirando sarro da tucanalha… Por isso defende a permanência da trollagem “freguesa” do Eduardo.

          • É isso, Ruy.
            Não dá pra negar o quanto é divertido vermos reacionários espumando pela boca de ódio do novo Brasil.
            Esse Brasil que está mudando em parte porque ascendeu ao poder um verdadeiro estadista, íntegro, honesto e competente, mas também porque hoje temos acesso à verdadeira informação.
            As estultices que esses paus mandados da direita diziam e dizem, que antes, até a nós deixavam confusos, nós que vivemos em busca da informação fidedigna, imagine como não confundiam o cidadão mediano que acredita em quase tudo que lhe é transmitido?
            O que está ocorrendo na Argentina, com a “Ley de Medios” inexoravelmente acabará por acontecer também aqui em nosso país.
            Grande abraço, companheiro Ruy Acquaviva.

          • W A e Ruy:

            Atentem para a hora em que coloco meus comentários por aqui.
            Faço uma forcinha pra ligar o micro e entrar neste blog porque sei que vou me ‘alimentar’ com as informações que nosso valoroso blogueiro nos dá de graça, sem nada nos cobrar, exercendo um trabalho voluntário de uma qualidade sem igual.
            Por quê digo que faço uma forcinha? Porque chego em casa perto das 21:00hs, cansado, e ao invés de ir descansar, ‘bato o ponto’ aqui. Só que, dentre opiniões sensatas, pensadas, raciocinadas, lógicas, encontro esta verborragia inútil, que nada acrescenta e só toma lugar.
            É um tal de ‘ quero que seja mas sinto que não deveria ser’, ‘tenho saudades do tempo em que pensava que era mas não era’ , ‘começaram dizendo que seria assim e acabou sendo o que eu não queria que fosse’, que dá no saco. Frases sem começo, meio ou fim, tudo desconexo, erros de gramática e ortografia grotescos. Pra que serve isso?
            O W A até ri, faz uma paródiazinha, tira um sarro mas o canalha não se toca.
            Fora aqueles links de youtube que não tem relação alguma com o conteúdo do texto.
            Pó pará, véio sem graça!
            Já deu seu tempo por aqui!

          • Amigo Luciano…
            O Romanéli deve ser pago para fazer o que faz, só pode. Quem se prestaria a um papel desses de grátis?
            Um grande abraço.

  • A Ley de Medios representa uma vitória e tanto para a sociedade argentina. Até quando os parlamentares brasileiros vão sentar nos projetos com esse propósito? Uma proposta muito menos abrangente que a Ley de Medios – do senador Roberto Requião – trata do direito de resposta e foi apresentada em 2011. Só em setembro deste ano foi aprovada pelo Senado. Vai levar mais uns 2 ou 3 anos lá na Câmara, isso se tramitar rápido… Precisamos de um marco regulatório da mídia urgentemente para evitar esses abusos, especialmente das TVs e rádios.

  • Doravante, vai ficar mais fácil para o governo argentino espalhar a mentira de que a inflação do país é 10%, apesar do BC de lá dizer que é 18%, e especialistas de mercado afirmarem que é 25%.

      • Interessante, sr. Marcelo. A USP, as Universidades Federais, as Fatecs são o que melhor há no ensino superior. São estatais. O metrô é o melhor transporte, é público. O Banco do Brasil e a Caixa são os maiores e melhores bancos, são públicos. O BNDES é público. A Petrobrás é uma três maiores petroleiras do mundo, a primeira em águas profundas, é pública. A Previdência Social é pública.
        Se todas as fontes de produção, os transportes, as comunicações, a mineração e todas as demais áreas sensíveis fossem públicas o país estaria muito melhor.

    • Vai ficar mais fácil de o governo argentino se defender dos grupos contrários. Pois, lá como cá, possui grandes grupos midiáticos que são ultradireitistas; Grupos estes que apóiam e escondem as falcatruas da direita e metem o pau na esquerda.

      A ley de medios lá ainda não é garantia de que a esquerda estaria em pé de igualdade com a direita, mas já é um começo para diminuir esta distorção que vcs direitóides adoram.

    • Caro Catão de Atibaia, vosmecê voltaste das longas férias em Orlando? Conversaste muito com o Mickey Mouse?

      Você, o Mickey Mouse, o Romanelli e o tal do Daniel Nhém-nhém-nhém fazem parte de algum grupo de blacks blocks?

      Você também ficou irado com a justiça argentina por ter decidido a favor da Ley de Medios?

      Você também acha que o Edward Snowden é um terrorista?

  • Uma lei aprovada pela Suprema Corte com claros indícios de satisfazer as picuinhas da presidente.
    Estou curiosa para saber como o blogueiro justifica a recente derrota eleitoral do governo argentino.

    • A “Lei de Medios” apenas democratiza as comunicações. Não dá poderes especiais para o governo argentino, nem para espalhar nem para censurar informações.

      Trata-se simplesmente de uma regulação contra concorrência desleal e abuso do poder econômico e a regulamentação das concessões públicas de rádio e TV.

    • A Ley de Medios trata de fortalecer a democracia, em que todos possam, num plano de igualdade, expressar suas opiniões e na qual não existam vozes predominantes.

      O exemplo do Eduardo é fulminante:
      Na própria reportagem do JN só teve direito a opinar o lado favorável aos interesses da Globo.
      Essa é a “democracia” que a direitalha gosta e que só vai acabar com a implantação da Lei da Mídia brasileira.

    • Derrota eleitoral, dona Olga? A senhora não sabe ler ou confia demais em suas fontes (veja, folha, estadão, globo). A presidenta Ciristina continua com folgada maioria no Congresso. E nas próximas eleições vai eleger seu/sua sucessor/a com a maior facilidade, ainda no primeiro turno. A derrota da suave e tristonha Cristina, vociferada pela raivosa mídia reacionária não é uma notícia jornalística, é apenas o desejo dessa mesma mídia.

  • Prezado Eduardo:
    Seguem abaixo algumas frases para reflexão dos leitores .
    1.” Perdeis tempo a tagarelar. Enquanto não se achar em nossas mãos a imprensa do mundo inteiro, tudo o que fizerdes será infrutífero. É preciso que dominemos a imprensa universal, ou ao menos influamos nela, se queremos iludir e escravizar os povos ” frase dita em 1840 pelo Barão de Montefiore. Quem foi esse senhor? sugiro que se faça uma pesquisa no Google.
    2.” Com a imprensa, agiremos do seguinte modo. Que papel desempenha agora a imprensa? serve para acender as paixões ou conservar o egoismo dos partidos. Ela é vã, injusta, mentirosa e a maioria das pessoas não compreende absolutamente nada para que serve.Nós lhe poremos sela e fortes rédeas, fazendo o mesmo com todas as obras imprensas, por que de que serviria nos desembaraçarmos da imprensa, se servíssemos de alvo à brochura e ao livro? “capítulo XII do livro Os protocolos dos sábios de Sião. Ôpa! aqui está a censura, ou seja, só publico o que me interessa .
    3. Mais de 60% das notícias que circulam no ocidente provêm de apenas 5 agências que têm como sede os Estados Unidos da América do Norte. Pergunto: essas agencias estão nas mãos de quem ?
    4. ” Quem domina os meios de comunicação domina a opinião de um povo”. Prá que diabos essa turma vai querer a lei dos médios? o negócio é imbecilizar a sociedade e fazer com que todos tenham um pensamento único visando defender a classe dominante.

      • Outra bobagem é o governo gerenciar o espectro , isso é coisa do passado, quem quiser abrir TV ou rádio que faça,inclusive estrangeiros, o governo “estado” só atrapalha ou seja, é um estorvo.

        • Ou seja, o que você defende é que mais particulares defendam interesses particulares.
          Enquanto isso o Estado, através de um governo eleito pelo povo, que fique sem voz e a população sem a correta informação.
          No JN de ontem, ao dar a notícia da aprovação da Ley de Medios, a TV Globo, de acordo com os seus interesses empresariais, só permitiu a opinião de um “especialista” contrário à lei.
          Outra coisa, em países como os Estados Unidos e a Alemanha, entre outros, o mesmo grupo empresarial não pode ser dono, ao mesmo tempo, de vários canais de televisão, TV a cabo, rádios, revistas, etc., etc., etc, o que constitui uma verdadeira ditadura de opinião..

        • Marcelo, o espectro eletromgnético é um só e as faixas de frequência disponíveis para rádio e televisão são limitadas.

          Então como funcionaria o seu sistema? Todo mundo poderia emitir na frequência e potência que quisesse, com um interferindo no sinal do outro? Aí ninguém iria poder funcionar, pois os sinais viriam misturados e sobraria somente ruído.

          Ou seja, o que você disse é uma tremenda ASNEIRA, da pior espécie.

          • Esse Marcelo é que é o próprio estorvo.

            O sujeito defende um Estado Mínimo e Um Capitalismo Selvagem Máximo. Seria ele outro integrante dos blacks blocks?

          • Ruy!

            Cada ameba amestrada tem suas características. O outro escreve aquelas bíblias de desalento com o Brasil e sua democracia.
            Este, de tão analfabeto funcional, dinamita um paiol de bobagens sobre espectro eletromagnético e forma de governo.
            O que esta imundície acrescenta às nossas mentes?
            Zeeeeeeeeeeeeeroooooooooo!

            De modos que…… LIMA!!!!
            (ou como quer o Salvador, lata de lixo e pipi em cima)

  • “Ou as pessoas não devem ter acesso aos dois lados da moeda?” Para mim, que conheço TV desde seus primórdios, assim como acompanho a imprensa deste país desde que alfabetizada, vejo claramente a guinada radical dos últimos anos. Tradicionalmente sempre tivemos debates na TV, e que estes sempre se deram entre vários interessados nas questões. O mais recente deles deve ter sido o programa de Ferreira Neto, e, ao meio dia tinha o programa de Maria Lídia na Gazeta. Nunca houve o que estamos vivendo agora: a apresentação unânime e homogênea de toda midia e imprensa de um só lado. E também havia consolidado o direito de resposta, tanto que Brizola obteve um na Globo. Houve uma revolução silenciosa nos meios de comunicação, me parece que a partir de uma formatação de manuais de redação, como o da Folha de São Paulo, na década de 90. Hoje, as notícias pautadas são sempre as mesmas e com idêntico texto. Foi quando a midia começou a se estruturar para alçar à condição de 4º poder. Isso transcende a questão do monopólio. Há o monopólio, e além disso a instituição de um padrão rígido e econômico nos relatos. O quê, além de empobrecer a narrativas dos fatos, descontextualizando-os e impossibilitando sua comunicação de modo compreensível, também diminui o vocabulário, colaborando com o empobrecimento do pensamento e da cultura. Na impossibilidade política de alguma regulamentação imprescindível, seria necessário e possível uma intensa vigilância de modo a gerar um montante de AÇÕES JUDICIAIS que obrigassem-nos a, pelo menos, respeitar as fontes de dados oficiais, quando se tratam de informações governamentais, e as biografias e honra dos agentes ultrajados por calúnias. Muitos juízes de 1ª instância têm dado ganho de causa a jornalistas autênticos.

    Parece uma questão de segurança nacional lidar com esse assunto, pois vê-se que a midia é a representante dos grandes poderes econômicos, e parece que a todos governos ameaça, mantendo refém os Estados Nacionais e seus governantes. Não é uma questão fácil. Bem provavelmente Cristina enfrentará duras represálias, porque será muito a longo prazo o processo de recuperação da lavagem cerebral que vêm perpetrado há anos na população, e, por enquanto, observa-se que têm poder de mobilizar massas de violentos em torno de suas pautas, pondo em risco a ordem social e governabilidade.

    • Nina, lembro-me destes programas e de quanto eram interessantes! Concordo inteiramente com você, erma debates que hoje não existem mais! Eduardo, teremos que ter uma base forte no Congresso para que cheguemos a acalçar o que a Argentina hoje comemora!Congressistas não ligados e não medrosos dessa mídia horrorosa que temos hoje! Jornal impresso, cada um faz o que quer, como compra e assina quem quer, mas tv e rádio, não dá mais para ser o que atualmente é!

    • Lembro dos tempos do Roda Viva da Cultura, na época do (quem diria) Orestes Quércia. O Quércia era tudo de ruim mas deixava o Roda Viva deixar rolar, entrevistavam todos opositores de seu governo, que saudades………..

    • Nina, me lembro bem destes dois programas, e de tanto que me lembro fico desgostoso de ver que Maria Lidia Flandoli virou 180º a casaca. Fazia um programa de debates com políticos de varias ideologias, que discutiam os assuntos de maneira inteligente. Hoje, o que se vê é a dita cuja ‘endireitada’ até a medula…
      Quanto ao Ferreira Neto, não esqueço sua frase predileta: “Os políticos brasileiros legislam em causa própria”. O cara dava umas espetadas bravas na nossa famigerada classe política.
      E para recordar, nada melhor que música: http://www.youtube.com/watch?v=wqfeusy1xr4

  • uma concessão publica que deve para o fisco, para o bndes,para a previdência social e muito mais, deveria ter esse direito já cassado. esse grupelho de merda, que agora estimula as manifestações de rua dos vândalos, deveria se, tivessemos um ministro da justiça,ter prendido todos os seus diretores por atitudes anti patrioticas e estimulos à bandidagem, bandidagem essa em que eles são mestres.
    reinaldo carletti

  • Não assisto, nem recomendo que se assista o Jornal Nacional.
    Onde o panfleto eletrônico televisivo diz: vozes críticas, na verdade se diz vozes golpistas.
    Onde o panfleto eletrônico televisivo diz: independente, na verdade se diz de oposição.
    A grande Mídia na maior cara de pau, quando se tratam de governos progressistas, arroga para si a condição de imprensa independente.
    Ao mesmo tempo, malandramente, finge que não é dependente de dinheiro público que os governos de Direita roubam e enchem-lhes os bolsos.
    Alguém lembra de a Imprensa do Brasil se auto-definir como independe na época da Ditadura, nos governos Sarney, Collor e FHC? Não, não, muito pelo contrário…
    Nestes quase vinte anos de Tucanato em São Paulo, alguém já viu ou ouviu uma grande rede de tv, de rádio, jornal, revista, etc se auto-declarar independente diante dos governos do PSDB?
    Não muito pelo contrário, são desesperadamente dependentes, escancarada e escandalosamente chapas-brancas, pois sem o dinheiro público dos paulistas desviados para os bolsos dos donos, a grande mídia bandeirante vai à falência.
    Vai à falência (e aí vale para a dita Imprensa brasileira inteira), porque nunca soube, nem quer saber, do que se trata fazer jornalismo.
    No Brasil qualquer pitt bull com diploma de jornalista tem emprego garantido numa dessas empresas jornalísticas de mentira.

  • Essa questão de uma concessão ser transformada em oligopólio privado é uma aberração como sabemos, né, Edu?
    Voce viu o caso da mulher que foi ofendida pelo tal “comediante” Gentile da Band? Ela é a maior doadora de leite do país. Pois os ‘engraçadinho” resolver fazer ‘piadas” de duplo sentido a respeito. Agora depois de exposta, virou objeto de gozação e envergonhada não doa mais.
    Além de humilhar uma cidadã que fazia um gesto humanitário, o babaca prejudicou os bebes prematuros que precisam de leite doado.
    Alguns dizem que a liberdade de fazer “piadas” deve ser preservada. E depois que se processe se for o caso. Eu acho que, em se tratando de uma concessão, deveria haver um código, numa lei de medios, específica para esse caso. Um imbecil que não sabe respeitar uma mãe de família não pode ter o direito de falar o que quer numa concessão pública. Além do que é um desserviço para a saúde pública. Para mim é caso de suspensão de pelo menos uma semana fora do ar

  • Vida longa à suave e tristonha viúva. Nossa presidenta Dilma deveria se espelhar nela e acabar com essa iníqua hegemonia da reacionária e preconceituosa mídia brasileira. Como? Simples, cortando seus privilégios e cortando a verba de propaganda do governo. Sem ideias mas com dinheiro essa mídia é forte, mas sem ideias e sem dinheiro ela morre logo.

  • acho que o ódio raivoso
    de auto etiquetada elite
    contra quem suspeita de ascenção COMPETIÇÃO
    está deflagrando mais desgastante luta disputa
    do que empenhando energia na construção dum partido
    por ELLA pessoalmente assumido
    além dos que patrocina
    no conjunto dos que foram criados com a
    reDEMOCRATIZAÇÃO

    e$$elite não enxerga
    como sua cultivada luta impiedosa
    tradicionalmente vencedora
    desde que expulsou nativos
    importou cativos
    empregou ignorantes
    como sua velhaca sabedoria
    mostrou-se no ciname
    virou roteiro em novela
    caiu em rede
    desmoralizou-se em eleição
    PERDEU DA MAIORIA
    garantia de votação

  • Então eu sou pela minha per-som-nalidade. Pela minha expressão de voz (som)falada ou pela palavra escrita como estas aqui agora.
    No Brasil vivemos como nas sombras da Caverna de Platão. Tais sombras são as noticias falsas, tendenciosas, partidárias da oposição. Tubo bem se tais veiculos sejam privados. Porem é INACEITAVEL quando se trata de meios eletrônicos cujos donos são o POVO BRASILEIRO. Fico pasmo como tenho conhecidos que se prestam a difundirem mentiras do PIG eletronico. Cometem uma lesão ao desenvolvimento da humanidade.

  • ” Ela quer derrubar um suposto oligopólio ” ( conforme o presidente da Associação Internacional de Radiodifusão, Alexandre Jobim ).

    Suposto oligopólio!

    O que se percebe nos dias atuais é que os ínimigos da democracia não têm mais nenhuma consistência, é uma falência total de argumentos e idéias.

    Transformaram-se em covers do professor Hariovaldo.

    ( E existem milhões de idiotas que neles acreditam… , o poder do suposto monopólio não é suposto ).

  • “Assim caminha a humanidade: a passos de formiga e sem vontade…”. Como dizia um dos representantes da elite, o folclórico Ibrahim Sued: “Gigi, devagar eu chego lá”. E devagar chegaremos. Basta continuar, persistir e insistir no caminho ora trilhado. PT e Dilma na cabeça. Retorno ao passado, jamais.

  • E aqui, na gestão do Paulo Hibernardo até agora nada. Depois que a foia/uol publicou foto da calcinha da esposa/ministra, ele sentou em cima da lei de medios do Franklin. Quem tem * tem medo!

    • Para vc que conta com a morte dela como saída. Lembre-se que o seu amado fhcgagá também tá ruim de saúde. Se bem que o seu amado não bate mais nem em bêbado.

      • O Nosferatu Cerra por enquanto é um auxiliar do Coiso, mas ele pretende assumir o lugar do Coiso. O Nosferatu Cerra é tão poderoso que ele vai conseguir novamente que o Aébrio Never, aquele do “pó pára pô”, deixe de se candidato.

        O Aébrio Never deve gostar muito do pó de pirlimpimpim (aquele pó que fazia a bonequinha de pano viajar, viajar, viajar).

  • A elite é hipócrita. Vive berrando contra a democratização das comunicações, mas já começa a pedir ajuda ao governo contra a provável chegada dos gigantes Google e Facebook à área de mídia. Livre concorrência só vale quando não os prejudica…

    Aliás, a Globo abocanha milhões de propaganda governamental na tv aberta e no rádio. Ou seja, são a favor do tal “estado mínimo”, mas mamam no estado. A Globo inclusive usa e abusa da Lei Rouanet, mesmo sendo uma big devedora do Imposto de Renda. Absurdo!!

    • Concordo. Agora, essa coisa de “ZELITE” é dureza. O Lula mesmo pertence à Zelite hipócrita. http://www.youtube.com/watch?v=LCpYtBxi_Ok
      Precisamos sim de Estado Mínimo, concorrência livre para melhorar os serviços que temos no Brasil. Outros grandes grupos de Telecom, modernos como os que vc menciona, são o caminho.
      Leis ridículas como a Lei Rouanet sõ promovem os que querem mamar.
      Proganda oficial existe porque o estado brasileiro é empresário (péssimo empresário). E como tal, para fazer propaganda dos seus serviços (gasolina cara, correio lento, bancos de araque) ou mesmo do próprio governo (clara propaganda eleitoreira), anuncia onde está maior a audiência.
      Vá aos EUA e assista à televisão. Aquilo é que é democracia de mídias. Aqui nem a TV a cabo é livre. Lá vc compra o canal que quer, não pacotes ridículos. Daí a competção ferrenha entre eles, gerando produtos de altíssima qualidade para todos os bolsos.

      • Estado mínimo é exploração máxima dos trabalhadores.

        Impressionante como ainda tem gente fraca a ponto de defender dogmas neoliberais, amplamente rejeitados por representas apenas a exploração da grande maioria por uma ínfima minoria.

        Não é à toa que tenta (sem conseguir) debochar das pessoas que denunciam as manobras dessa elite privilegiada para manter seus privilégios. É porque é um FATO que quer esconder da maioria explorada.

  • No caso do Brasil, é urgentíssimo que venha uma lei de democratização das comunicações. A Globo, com seu poder de mercado, mata o cinema brasileiro, exercendo pressão que resulta num sufocamento das produções, exceto as da “Globo Filmes”.

    Em muitas cidades, o sinal das emissoras abertas é ruim, exceto o da Globo. Isso acontece porque a Globo monopoliza as antenas retransmissoras em várias regiões.

  • É MUITA CARA DE PAU! NEM PRECISO LER A “MATÉRIA” DESSE JORNALZINBHO CANALHA PARA SABER SEU TEOR, AFINAL ESTOU CANSADO DE OUVIR TODAS AS MENTIRAS QUE EM UNÍSSONO OS BARÕES DA COMUNICAÇÃO(AS TREZE FAMÍLIAS EMPRESÁRIAS QUE CONTROLAM AS COMUNICAÇÕES NO BRASIL DE MANEIRA OLIGOPOLISTA, IMPEDINDO QUE OUTRO SETORES SOCIAIS TENHAM SEUS PRÓPRIOS MEIOS PARA EXPRESSAREM SUA VISÃO DE MUNDO, COMO TAMBÉM CENSURANDO A EXPOSIÇÃO DESSAS VISÕES EM SEUS VEÍCULOS, EXPOSIÇÃO QUE SÃO OBRIGADOS A FAZER POR EXPLORAREM CONCESSÕES PÚBLICAS E/OU SUSTENTAREM-SE COM DINHEIRO PÚBLICO)RELINCHAM CONTRA A LEI DE MEDYOS ARGENTINA E QUALQUER OUTRA FORMA DE DEMOCRATIZAÇÃO E REGULAMENTAÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO QUE, COMO OS PRÓPRIOS TERMOS JÁ DIZEM, TÊM A INTENÇÃO NÃO DE “ATACAR” A LIBERDADE DE EXPRESSÃO, MAS EXATAMENTE DE CONSTRUÍ-LA, UMA VEZ QUE ELA NÃO EXISTE EM NOSSO PAÍS E EM BOA PARTE DA AMÉRICA LATINA, POIS SOMOS NAÇÕES ONDE OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO CONCENTRAM-SE NAS MÃOS DE UMA MINORIA, COMO JÁ DITO, PERTENCENTE À MESMA CLASSE SOCIAL E POSSUIDORA POR ISSO DOS MESMOS OBJETIVOS E VISÃO POLÍTICA, SENDO SEU ACESSO VEDADO A TODOS OS OUTROS COMPONENTES DA SOCIEDADE QUE NÃO PERTENÇAM A ESSA CLASSE QUE CONTROLA A MÍDIA E NÃO CONCORDEM COM SUA VISÃO POLÍTICA, AINDA QUE TAL CENSURA À DIVERGÊNCIA SEJA NÃO SOMENTE IMORAL, MAS ILEGAL EM VIRTUDE DESSES VEÍCULOS FUNCIONAREM GRAÇAS À EXPLORAÇÃO DE UMA CONCESSÃO PÚBLICA(O ESPECTRO RÁDIO-ELÉTRICO, FAIXA DA ATMOSFERA ONDE CIRCULAM OS SINAIS DE TELECOMUNICAÇÕES, É DEFINIDO POR LEI COMO UM BEM PÚBLICO, TANTO POR PERTENCER A TODOS – COMO OS MARES E FRONTEIRAS – COMO POR SEU USO SER UM DIREITO E UMA NECESSIDADE DE TODOS – COMO O TRANSPORTE PÚBLICO – E SUA EXPLORAÇÃO É FEITA MEDIANTE AUTORIZAÇÃO DESSE PÚBLICO A QUEM ELE PERTENCE. PORTANTO PRECISA SER REALIZADA ATENDENDO ÀS NECESSIDADES DO PÚBLICO, O QUE SIGNIFICA GARANTIR-LHES TANTO A EXPOSIÇÃO PLURAL DOS DIFERENTES PONTOS DE VISTA ALI ENCONTRADOS, COMO O ACESSO DE TODOS OS CIDADÃOS A ESSAS DIFERENTES VISÕES). CABE AINDA LEMBRAR QUE ALÉM DA EXPLORAÇÃO DE CONCESSÕES PÚBLICAS, A PRINCIPAL FONTE DE RECEITA DESSES VEÍCULOS SÃO OS ANÚNCIOS DO ESTADO, PAGOS COM DINHEIRO PÚBLICO, O QUE OFERECE MAIS UM RAZÃO, SE A EXPLORAÇÃO DE CONCESSÕES PÚBLICAS NÃO FOSSE MAIS DO QUE SUFICIENTE, PARA OS VEÍCULOS DE MÍDIA SEREM OBRIGADOS A EXPOR AS DIFERENTES VISÕES QUE CONSTITUEM O PÚBLICO QUE OS SUSTENTA. Contudo, nada disso ocorre os proprietários dos meios de comunicação exploram tais meios como se a comunicação fosse um bem pertencente a eles(e não uma concessão, com autorização de exploração dada pelo público através de seus representantes no Legislativo), sua propriedade exclusiva e pessoal, que usam como arma para a imposição de seus interesses políticos(lembrando que falamos do áudio-visual que explora concessões públicas. No caso da mídia impressa, embora não haja obviamente exploração de concessões públicas, continua a valer o princípio de que é o dinheiro de todos, através do anúncios do Estado, que os sustenta, apesar desses veículos não darem voz aos diferentes pontos de vista que constituem a Sociedade de cujos recursos extraem a sua sustentação financeira). A Lei de Medyos argentina tenta exatamente construir essa pluralidade, sempre negada pelos oligarcas que controlam as comunicações lá, no Brasil, em toda a América Latina e no mundo, embora nos países desenvolvidos existam há décadas Leis de Medyos que se não são perfeitas(nenhuma Lei o é dentro da dinâmica da luta de classes da qual o Direito é só uma consequência e ainda por cima ao enfrentar o poder econômico, principal motor e controlador das Sociedades Capitalistas), conseguem enfraquecer bastante o poder dos grandes magnatas da comunicação e dar a essas Sociedades uma pluralidade informativa inimaginável em nosso país. Por sinal, no país desenvolvido onde havia a menor regulação legal do poder dos barões da mídia, a Inglaterra(embora ainda houvesse alguma regulação, o que deixava mesmo os ingleses em situação infinitamente melhor que o caos que vige no Brasil), tal situação de leniência com a ditadura midiática resultou no escândalo dos grampos ilegais, levado a cabo por um dos jornais do barão da mídia Rupert Murdoch, que teve como uma de suas consequências a criação de um projeto de regulação e democratização das comunicações em vias de tornar-se Lei, destinado a limitar os abusos dos coronéis eletrônicos e garantir a pluralidade informativa. E como essa pluralidade pode ser construída? Tomando-se como exemplo a Lei de Medyos argentina(que por sinal se destina somente ao aúdio-visual, TV e rádio, quando deveria açambarcar todos os meios de comunicação), podemos observar claramente através de aspectos como o fim da “propriedade cruzada”(um mesmo grupo controlar diferentes plataformas de mídia, como TV, TV a Cabo – que na Argentina é muito mais presente do que no Brasil- e rádio), ou seja, diferentes setores sociais poderão controlar plataformas diversas para, através delas, expressarem seus pontos de vista. Essa pluralização torna-se ainda mais vital se pensarmos que o espectro rádio elétrico, onde circulam os sinais de televisão e rádio, é um espaço da atmosfera limitado, ou seja, com capacidade máxima de quantidade de sinais a serem enviados numa mesma região, acima do qual o fluxo torna-se sobrecarregado e não se consegue transmitir. Além de tal limitação, é critério de justiça democrática dar-se condições iguais para todos expressarem suas opiniões, o que jamais ocorreria se uma dessas opiniões fosse apresentada de maneira devastadora, em inúmeros meios, praticamente “engolindo” nesse coro outras visões expostas numa quantidade menor de plataformas(seria como considerarmos justo um debate em que um dos contendores tivesse direito a um megafone e o outro expusesse sua visão sem qualquer amplificador de voz e com um pano na boca a prejudicar-lhe a articulação das palavras). Além desse, a limitação de 35% do território para a abrangência de um sinal midiático vai na mesma linha de estímulo à pluralidade e à diversidade regional, para que um mesmo grupo não fale monocraticamente para todo país(o poder econômico facilitaria que alguns atingissem toda a Nação e outros não), além de ajudar a acabar com a imposição da maneira de ser de uma região, a mais “desenvolvida”, sobre as demais, acabando com o colonialismo interno, situação nefasta que vemos no Brasil onde, num país de pluralidade regional fantástica, vemos uma massificação da maneira de ser “sulista”(do Rio e São Paulo)sobre as outras regiões, agredindo a pluralidade cultural e impedindo o brasileiro das diferentes parte de nosso país reconhecer-se e identificar-se na mídia. A outra “alegação” global, e que será também a do restante da ditadura midiática, referente à “quebra de contratos” quanto à obrigatoriedade dos barões midiáticos livrarem-se do excesso de concessões para se adequarem à Lei, também é cínica e não procede. PARA COMEÇAR, DEVEMOS LEMBRAR QUE O PODER MONOPOLÍSTICO DE TODOS OS GRUPOS QUE CONTROLAM A MÍDIA ÁUDIO-VISUAL DA AMÉRICA LATINA, CLARÍN, GLOBO E OLIGARCAS ASSOCIADOS, NASCEU E FLORESCEU COM AS DITADURAS MILITARES QUE ASSOLARAM NOSSA REGIÃO NOS ANOS 60 E 70. FOI ATRAVÉS PRIMEIRO DO APOIO INCONDICIONAL A ESSES REGIMES E DO ACOBERTAMENTO E CUMPLICIDADE DOS SEUS CRIMES, QUE AS EMPRESAS QUE REPRESENTAM ESSES GRUPOS TRANSFORMARAM-SE GERALMENTE DE JORNAIS OU VEÍCULOS MIDIÁTICOS LIMITADOS EM MONOPÓLIOS GIGANTESCOS, CONTROLANDO AS COMUNICAÇÕES DO PAÍSES EM QUE SE LOCALIZAM, GRAÇAS AOS “FAVORES” QUE RECEBERAM DAS DITADURAS, OU SEJA, CONCESSÕES ENTREGUES DE MÃO BEIJADA, DINHEIRO PÚBLICO(SOB A FORMA DE ANÚNCIOS E/OU EMPRÉSTIMOS)DOADO DE MANEIRA IRRESPONSÁVEL, TUDO COM O OBJETIVO DE DEFENDER AS DITADURAS DE NOSSA REGIÃO E IMPOR NA CABEÇA DAS POPULAÇÕES OPRIMIDAS OS VALORES E INTERESSES DOS EXPLORADORES DA CLASSE DOMINANTE QUE AS CONTROLAVAM. Portanto, os tais “contratos”(como se já não bastasse o “contrato” capitalista ser uma forma de aprisionamento ao Sistema), cujo respeito tanto pregam Globo, Clarins e sua laia não passam de imposições de regimes ilegítimos, pois alçados ao poder pela forças, estuprando a vontade popular que elegera governantes por eles derrubados, que por esse caráter ilegítimo jamais poderiam usurpar um bem do povo que não os elegera, para entregá-lo a quem melhor servia a seus interesses. Ainda devemos ressaltar a divisão do Sistema de Comunicação em três esferas, público, estatal e privado; como uma medida salutar para a construção da democracia informativa, uma vez que a comunicação e a informação não podem ficar atreladas e dependentes à lógica capitalista do lucro, senão jamais poderão afrontá-lo, e essa divisão permite que outros atores sociais; que não têm interesse no lucro empresarial, como movimentos sociais e sindicatos; possam constituir seus próprios meios de comunicação para apresentar ao público outras visões de mundo e de organização social opostas ao modelo capitalista-burguês. E nesse contexto, ainda cabe elogiarmos outro aspecto da Lei, novamente desvirtuado por Globo e queijandos, que é a divisão das verbas públicas, indispensáveis principalmente para a sustentação desses veículos não empresariais, que não terão o lucro entre seus objetivos, como os públicos, sendo que ao contrário do que relincham as mentiras conservadoras, o uso das verbas públicas não servirá como “arma” para o Governo “controlar veículos aliados”, já que têm destinação fixada em Lei para esses veículos, cujo controle e administração pertencerão a grupos completamente independentes do Estado ou do Governo, medida aliás que já caracteriza os Sistemas Públicos de outros países da América Latina que conseguiram democratizar os meios de comunicação, como a Venezuela. Conhecendo-se de fato a Lei dos Medyos da Argentina, e todas as Leis de democratização das comunicações que nascem em nosso continente, como as do Uruguai e Venezuela, fica fácil perceber o porquê do ódio dos barões da mídia a esses marcos legais que vêm para trazer pluralidade e independência DE TODAS AS FORMAS DE CONTROLE, SEJA DE GOVERNOS OU DO CAPITAL, para as comunicações. Independência indispensável para que o cidadão tenha acesso às mais diversas visões do mundo, tanto as dos conservadores capitalistas, que continuarão a poder expor sua opinião (dessa vez mostrando o que ela é, “uma opinião”, e não mais a “única verdade” existente); como as que hoje eles censuram à força, aquelas relacionadas às forças progressista de esquerda e/ou a outras visões alternativas de organização social, permitindo assim que nossas populações escolham livremente o destino que desejam para si, formando a partir desse mosaico de visões de mundo o seu projeto de desenvolvimento, livre, democrático, independente, soberano, forte e principalmente sem permitir a tutela de nenhum senhor feudal a nos dizer como devemos ser e ainda dopando-nos com a ilusão de uma “liberdade” que nem de longe existe..

  • Caro Edu, por falar em concentração, o que dizer do grupo Bandeirantes que consegue a proeza de ter mais de 5(CINCO) rádios FM´s(Bandeirantes FM, Rádio Bandeirantes, Sulamérica Trânsito, Band News e Bradesco FM) em SP, além de 2 emissoras de TV em uma mesma praça, TV Bandeirantes e Canal 21 ??? Recentemente, fiquei sabendo que o grupo entrou no mercado publicitário tbem, eles ganharam o direito de explorar a publicidade em relógios espalhados pela cidade e pontos de ônibus da capital paulistana.

  • Mesmo se sofrer só derrotas eleitorais daqui para a frente, a Presidente Cristina Kirchner conquistou a maior vitória entre todos os presidentes progressistas da América Latina. Seu nome foi inscrito na História para sempre!

  • A melhoria das telecomunicações é salutar. Mas no caso da Argentina, a real motivação do Governo é a de calar as opiniões contrárias ao (des)governo. Meu Deus até as estatísticas do Governo são falsificadas na Argentina e a Sra Kirchner sapateia quando mostram a real situação. Exceto pelos bons vinhos e pelo futebol, a Argentina não é exemplo de nada para ninguém. Os caras tem até câes farejadores de dólares no Aeroporto. Loucura.
    Da mesma maneira, a esquerda raivosa quer calar a boca dos críticos daqui através de uma ” Ley” como esta. Como disse, ainda que por princípio seja favorável a algo deste tipo, as motivações aqui são outras. Lá no fundo os esquerdistas doentios querem transformar as mídias em um sistema uníssono de apologia e louvor a Lula Dilma e outras marquetagens.
    Ora, não gosta do JN (como eu) não assista. Há outros canais de televisão, internet, jornais. Como sempre a mania de achar que o governo, os marcos, enfim OS OUTROS é que decidem como eu devo pensar.
    A propos, no que se refere aos meios de comunicação, temos aquele discurso do Lulla “metendo o pau” no Sarney e no Edison Lobão, por serem donos das retransmissoras locais em seus currais eleitorais. E agora, o Lobão trabalha pra ele e ele é amigaço dos Sarney. Essa é a POLÍTICA

    • Nigro…
      Você está dizendo um punhado de bobagens.
      Vou lhe explicar, como se quatro anos você tivesse.
      Nigrinho, meu pequeno garoto, numa democracia não é possível que os meios de comunicação pertençam a apenas um grupo ideológico. Vou explicar melhor.
      Seu papai gosta de salsichão, mas sua mamãe, seus irmãozinhos e você gostam de almôndegas, pois bem, se o Sr Nigrão comprar e também cozinhar com certeza vocês não terão alternativa e terão que todos os dias cair de boca no salsichão, maaas se o papai comprar e a mamãe cozinhar, o prato vai ficar mais equilibrado com duas almôndegas e um salsichão.
      Você entendeu, meu pimpolhinho?

      • Olha cara,
        O linguajar é desnecesário.
        Puxa vida coloquei logo na primeira linha- sou favorável a uma nova regra para as telecomunicações.
        Mas como disse e volto a repetir, por princípio sou favorável, mas no fundo, o que a Sra Kirchner (a que usa cães farejadores de dólares e maquia as estatísticas mais que a si própria) e os esquerdistas doentios querem é o oposto. Não uma mídia democrática, mas sim uma mídia dominada por eles. Não suportam idéias opostas às suas. Não suportam que mostre-se que o Lula é cachaceiro, não suportam que a imprensa diga que o carcinoma de laringe do Lula tem como fatores de risco mais fortes o tabagismo e o etilismo, que o Dirceu cometeu deslizes para eleger Lula, (com ou sem mensalão), que o bolsa família é um estelionato eleitoral (aqui eu cito Lula, quando falava do plano real).
        Não se iluda, não sou tucano e detesto a Marina e o Eduardo. Apenas acho bom meter a lenha em políticos brasileiros, que são todos baratas-tontas, moscas mortas, ou, pior, ratos de esgoto.

  • garoto-propaganda” Friboi, o ator Global Tony Ramos

    Como o maior frigorífico do setor de carne bovina do mundo, a Friboi tornou-se dona de uma avalanche de denuncias: tais como sonegação, cartel e carnes com vermes.

    Empresa muito ligada ao ex Presidente Lula e a atual Presidente Dilma Rousseff, o Grupo Friboi deu um salto quântico, tornando-se o maior e mais poderoso frigorífico do mundo. A Friboi, durante os últimos anos, foi comprando toda a sua concorrência ou quebrando-as, transformando-se numa espécie de Grupo EBX do ramo da carne para o PT.

    Sendo a maior financiadora da campanha de Lula e Dilma, chegou a doar a vultuosa quantia de mais de 40 milhões de reais à campanha petista, nas últimas eleições.

    Depois da quebra de Eike Batista, Grupo Friboi é o próximo da fila

    Presidente Dilma Roussef, com medo de mais informação negativa, está de olho na JBS. Governo quer impedir que efeito Eike se repita na empresa de Goiás.

    Não é apenas o resultado da pesquisa Serpes/O Popular que tem desestimulado o empresário Júnior do Friboi (PMDB). Após a onda de quebradeira das empresas de Eike Batista, o Governo Federal está de olho nos passos do grupo, o JBS, do pré-candidato goiano.

    Conforme fontes no Planalto, a presidenta Dilma Rousseff (PT), com medo de mais desgastes, teria orientado que agentes públicos fiquem atentos aos movimentos do grupo JBS. Em todo país, existem hoje pelo menos 30 promotores de Justiça se debruçando sobre questões legais do grupo.

    Depois que foram divulgados áudios de conversas em que José Batista Júnior, então dono do Friboi, relata como sua empresa e outras três (Independência, Mataboi e Bertin) agem para controlar o preço da arroba do boi em pelo menos cinco Estados no país.

    O JBS caiu na mira de vários órgãos fiscalizadores de que usa gado de fazendas que utilizam trabalho escravo, investigações quanto à sonegação de impostos e monopólio de mercado. No começo do ano, Joesley Batista, irmão de Júnior, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por sonegar R$ 10 milhões em dois anos.**

    Nem mesmo com o garoto propaganda e ator Global, Tony Ramos dizendo e propagando a qualidade de “primeiro mundo” da carne Friboi, o produto conseguiu escapar de uma ou outra de denuncia sobre a falta de higienização no interior da embalagem, dessa vez foram encontrados vermes no produto.

    Assista vídeo: http://youtu.be/FT5J_gxM1bw

    ARTICULAÇÃO

    A OGX, a mega empresa que Eike se gabava nas rodas políticas e empresariais, quebrou. Suas ações valem hoje centavos. Como a JBS, ela tem recursos públicos investidos, caso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

    A articulação em defesa de Eike e JBS se cruza: Lula, quando presidente, teria garantido aos dois inúmeros benefícios. Não se sabe o que o presidente teria em troca. Uma das recomendações foi de que a JBS empregasse Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central na gestão de Lula, mas que ficou sem função com Dilma. Meirelles também não tem uma função específica ou tradicional na empresa, conforme noticiou a revista “Exame”, mas mesmo assim é bem remunerado para dizer que presta consultorias ao grupo.

    O BNDES já perdeu R$ 359 milhões com as empresas de Eike. Por isso, no mercado, já existe uma onda de boatos de que a JBS estaria no mesmo caminho. Espalham pela internet informações de que a empresa teria dificuldades financeiras. Daí as propagandas com Tony Ramos em excesso e o uso da imagem de Henrique Meirelles.

    Dilma teria juntado o quebra cabeça e informado a um grupo dentro do Planalto seu receio. Não quer ser pega de surpresa por mais nada.

  • Off topic

    Edu,

    Para ter ciência e propriedade para comentar sobre o assunto eu decidi fazer o Enem 2013.
    A prova é de alto nível, muito bem feita e muito bem aplicada.

    Porem, para variar a FSP tenta achar cifres na cabeça de cavalo nesta matéria.
    O mais interesse são os comentários dos leitores REPUDIANDO TOTALMENTE o conteúdo da matéria.
    http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/10/31/no-enem-2013-dos-jornalistas-teve-fiscal-relapso-e-polemica-da-gazolina.htm

    Cada vez mais a mídia cai em descrédito…

    PS: acertei 64% das questões…até estou pensando em cursar, de novo, outra faculdade 🙂

  • Transcrito do Correio Brasiliense

    Correio Braziliense: Dia das Bruxas na PF – Policiais param por um dia »
    Blog do Servidor

    Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal paralisam as atividades, amanhã, mas os serviços essenciais e de atendimento ao público não serão interrompidos. O protesto, bem-humorado, terá como mote “O Dia das Bruxas na PF”. Em vários estados, como Brasília, São Paulo e Belo Horizonte, eles se encontram em frente às superintendências da PF, a partir das 9h30min. Vestidos de monstros, vão, em seguida, distribuir panfletos nos aeroportos, para explicar à sociedade que estão sendo boicotados pelo governo da presidente Dilma Rousseff como castigo pelas operações anticorrupção. Nas regiões Norte e Nordeste, os policiais doarão sangue e arrecadarão mantimentos para distribuir à população carente.

    “Os motivos dos protestos vão desde o descaso com a reestruturação das carreiras à quantidade insuficiente de efetivo. No último domingo, no aeroporto de Brasília, havia apenas um colega”, contou o presidente da Federação Nacional (Fenapef), Jones Leal. Ele se queixou do repasse desnecessário das competências da PF para o Exército e para a Força Nacional e do “sucateamento institucional do órgão, por meio de corte de investimentos, terceirizações ilegais e principalmente desvalorização do investigador da PF em relação às demais carreiras públicas”.

    Segundo Leal, os dados oficiais do Ministério do Planejamento confirmam que os agentes federais receberam na última década a metade dos reajustes concedidos às demais carreiras do Executivo. A queda na remuneração causou evasão recorde de servidores. Ele lembrou, também que vários especialistas de agências de segurança pública já alertaram sobre o risco efetivo de atentados terroristas no Brasil, durante os grandes eventos. “Por tudo isso, é inexplicável o governo sucatear a PF e boicotar oficialmente os responsáveis por inteligência e análise criminal, combate ao crime organizado e policiamento migratório de aeroportos e fronteiras

    • Seu comentário é capcioso, Guerrit.
      Toda e qualquer categoria profissional tem direito de manifestação, mas dizer que o governo está retaliando policiais federais porque não quer que a corrupção seja combatida é MENTIRA. Mentira deles e/ou sua.
      Mas não dá pra esperar menos que isso de malas sem alça de sua laia, cafajeste.

      • Prezado Sr. Wilsoleaks Alves:
        Meu comentário foi pinçado do correio brasiliense, também me causou estupefação!
        Sou um cidadão honesto, digno e patriota, admiro o autor deste Blog por desmascarar essa mídia suja, imunda, chego a sentir ódio visceral da rede globo, da veja, da folha….mas isso não significa que devo endossar tudo que o governo faz. Fui contra o leilão da libra, totalmente contra o aumento da selic, empréstidos do BNDS ao Sr. Eike Baptista…. O senhor talvez não saiba, mas os servidores públicos estão sendo severamente penalizados no atual governo, para cumprir as metas estabelecidas pelo mercado, sentímo-nos,com absoluta razão, traídos, sempre somos os culpados pelos fortes cortes de custeio efetuados em todos os órgãos, que afeta diretamente a prestação de serviços a população. Mas somos a vidraça. Os bodes expiatórios. Talvez, como queira o senhor, os mala sem alça, mas o adjetivo de canalha, ,jamais aceitarei.

  • Buenos Aires – A Suprema Corte de Justiça da Argentina decidiu nesta terça-feira a favor do governo da presidente Cristina Kirchner em uma longa disputa com o Clarín, ao declarar constitucional uma cláusula anti-monopólio que obriga o poderoso grupo multimídia a se desfazer de rádios e TVs por assinatura.

Deixe uma resposta