Requião: OAB ataca direito de resposta a troco de páginas amarelas da Veja

Sabe aquelas capas da Veja acusando, julgando e condenando inimigos políticos? Para o senador Roberto Requião, esse tipo de crime contra a honra pode até ter virado coisa do passado devido à lei 13.188/2015, de sua autoria. A entrevista que Requião deu ao Blog explica e refuta os argumentos que grupos de mídia estão usando para não terem que dar direito de defesa àqueles que atacam. Em seu estilo duro, Requião diagnostica que “eles estão apavorados” com o Direito de Resposta

Gilmar Mendes, o “antídoto” da mídia contra o direito de resposta

As associações de classe dos impérios de mídia (ABERT e ANJ) anunciam que vão ao STF contra o Direito de Resposta contra os ataques que fazem, recém-sancionado por Dilma Rousseff. Em algum momento desse processo, ele passará por Gilmar Mendes. E assim como ele segurou por um ano e meio a proibição de doações eleitorais de grupos econômicos a políticos, quando tiver que opinar sobre o direito de resposta não há dúvida de que pedirá vista do processo e irá segurá-lo em sua gavetona por quanto tempo puder. A sociedade tem que reagir a isso. É um deboche o que esse sujeito faz naquela Corte.

O dia em que a ‘Veja’ sumiu

Sábado, 7 de agosto de 2010, 8h30m. Desjejuo e vou à banca de jornal da esquina para começar a cumprir promessa que fiz aos meus leitores de reproduzir para eles o direito de resposta que o PT conseguiu na Justiça Eleitoral contra a revista “Veja” por esta ter endossado acusação sem provas de Índio da Costa, candidato a vice-presidente na chapa de José Serra. Índio afirmou que o partido adversário é ligado ao “narcotráfico”.