O mensalão ianque

Crônica

O que este país mais precisa, neste momento histórico, é de doses cavalares de… Memória.  Só revendo o passado é que poderemos avaliar o presente e projetar o futuro. Para tanto, porém, teremos que retroceder no tempo. Voltaremos, neste texto, a cerca de meio século.

Em um momento em que só se fala em “mensalões” – petistas, tucanos etc. –, um documento histórico nos propiciará enxergar o que até hoje permanece nas sombras: o maior mensalão de todos os tempos, bem como coincidências impressionantes entre o ontem e o hoje, as quais continuam a nos roubar a tranqüilidade quanto à democracia que, a duras penas, ainda pelejamos para construir no Brasil.

O documentário “O Dia que Durou 21 anos” (2011) é uma produção da TV Brasil com a Pequi Filmes, com direção de Camilo Tavares, filho de uma das vítimas da ditadura. O material apresenta os bastidores da participação do governo dos Estados Unidos no golpe militar de 1964.

Sim, muitos já assistiram, mas a esmagadora maioria dos brasileiros infelizmente não viu, o que explica a ignorância e a perenidade de tantas mentiras sobre aquele período histórico, que, meio século depois, a grande mídia brasileira mantém vivas.

Esse material imprescindível, que deveria figurar em todos os currículos escolares dos quatro cantos do país, mostra como e por que os Estados Unidos decidiram interferir na política interna do Brasil.

Documentos inéditos e oficiais, amparados em depoimentos de acadêmicos norte-americanos e brasileiros, revelam como, sob o pretexto do avanço comunista em Cuba, os Estados Unidos vieram ao Brasil e compraram, literalmente, políticos, governos estaduais e, acima de tudo, meios de comunicação, que enriqueceram graças à intervenção americana.

Uma frase dos golpistas manipulados pelo governo norte-americano abre o documentário: “Aqueles que não amam a revolução, ao menos devem temê-la”.

Era a senha para o terror que sobreviria por mais de duas décadas, durante as quais verdadeiros facínoras, travestidos de militares, roubaram a nação ao custo de seqüestros, torturas e assassinatos.

Uma rica coleção de documentos oficiais e confidenciais norte-americanos, que vazaram há poucos anos, comprovam cada letra do parágrafo anterior, narrando, minuto a minuto, a estratégia ianque desde pouco antes do golpe militar de 1964 até o dia 2 de abril daquele ano.

O documentário não trata do desenrolar da ditadura, mas de como os Estados Unidos, através do seu então embaixador no país, Lincoln Gordon, ao custo de incontáveis milhões de dólares compraram consciências e colocaram como seus empregados todos os atores do golpismo que seqüestrou e manteve cativo um país inteiro durante mais de duas décadas.

O Brasil, então uma potência emergente, a maior da América Latina, entregava aos ianques o sangue e o suor de seu povo. Homens como Jango Goulart e Leonel Brizola, porém, ameaçavam os “interesses” da potência estrangeira. E o que era “pior”: eram apoiados pelo povo.

Para eliminar a ameaça “comunista” aos seus “interesses”, sob a crença insana de que a América Latina lhes pertencia os EUA fizeram de seu embaixador no país um agente secreto, alguém que se tornou um dos mais relevantes personagens da história brasileira.

Gordon chegou ao Brasil ainda no governo Jânio Quadros, que renunciaria e deixaria o vice-presidente, Jango Goulart, em seu lugar. O objetivo da nomeação desse “diplomata” fluente em português era, escancaradamente, o de transformar a embaixada norte-americana em um mero departamento da CIA.

Gordon abraçou a causa com ardor. E foi através de seu empenho, das idiossincrasias de um único homem, que a maior potência militar e econômica daquela época transformou em um inferno as vidas de dezenas de milhões de brasileiros.

Para seduzir a elite branca, dona de imensidões de terra, de indústrias e, sobretudo, de jornais, rádios e televisões, as idéias de Jango e Brizola sobre reforma agrária cairiam como uma luva.

Os ianques pouco se importavam com os interesses econômicos dessa elite, mas tais interesses lhes seriam úteis para evitar que uma nação do porte do Brasil se tornasse “Não uma Cuba”, como diziam, mas “Uma China”, dada a já imensa população nacional.

O que mais impressiona em “O Dia que Durou 21 Anos” é o depoimento de Robert Bentley, então assistente de Gordon. Grande parte das afirmações que você acaba de ler foram confirmadas e até relatadas por esse homem.

Se você leu, nos últimos anos – talvez em jornais como Estadão ou Folha ou em revistas como a Veja –, que o governo Lula teria inaugurado uma “república sindicalista” no Brasil, saiba que a expressão nasceu nos momentos que antecederam o golpe de 1964.

Eis a primeira das muitas coincidências que sobrevirão.

Em documentos oficiais do governo norte-americano de então, é dito, explicitamente, que o que deveria desencadear o golpe não seria o interesse dos brasileiros, mas o dos Estados Unidos – ou seja: o golpe foi dado por brasileiros com a finalidade de satisfazer outro país.

O presidente norte-americano era John Fitzgerald Kennedy. Esse que alguns até hoje consideram herói cometeu crimes inomináveis contra nosso país de forma a roubá-lo, nem que, para isso, milhões de brasileiros tivessem que pagar o preço. Para tanto, fez com que a agência de inteligência ianque, a CIA, começasse a expandir suas ações no país, começando por São Paulo.

Empresas norte-americanas concessionárias de serviços como energia ou telefonia tinham suas concessões vencendo em um quadro em que não tinham cumprido as exigências do Brasil para que se instalassem aqui. Dependia do governo brasileiro, portanto, renová-las ou não. Era nosso direito. Mas os norte-americanos só aceitariam uma decisão…

Com efeito, o combate midiático ao tamanho do Estado que se vê ainda hoje começou muito antes. Quando você lê num desses veículos supracitados o inconformismo de editorialistas com essa questão, na verdade está dando uma mirada no passado.

As televisões norte-americanas, então, apresentavam longos programas sobre o risco de o Brasil se insurgir contra seus interesses. E avisavam: “Para onde o Brasil for a América Latina irá junto”.

Abertamente, portanto, Kennedy falava à sua nação que seu governo “não aceitaria” uma decisão eleitoral do povo brasileiro que contrariasse seus interesses. E ameaçava: “Temos recursos, habilidade e força para proteger nossos interesses”.

Os Estados Unidos, porém, não precisariam de tanto. Bastaria usarem a carteira.

Primeiro, os norte-americanos tentaram comprar o povo brasileiro – e os de outros países da América Latina – despejando na região quantidades imensuráveis de dinheiro através de um programa que intitularam “Aliança para o Progresso”.

Segundo Bentley declarou em “O Dia que Durou 21 Anos”, eram gastos em Educação, agricultura, infra-estrutura: “Fale em um setor e ali estava o dinheiro da Aliança”, disse ele.

Não foi suficiente. O dinheiro norte-americano não comprava nem o governo João Goulart nem o povo, que continuava apoiando aquele governo.  Assim, sob recomendação de Gordon, os Estados Unidos decidiram que era preciso “organizar as forças militares e políticas contra o governo”.

Kennedy, então, passou a literalmente comprar os opositores de Goulart no Congresso brasileiro, em governos estaduais e, sobretudo, na imprensa. Veículos como o jornal o Estado de São Paulo e O Globo passaram a ser receptáculos de quantidades pornográficas de dólares desembolsados pelos Estados Unidos.

Os beneficiários da dinheirama ianque, em contrapartida, tinham que organizar uma campanha de “enfraquecimento” e de “desestabilização” do governo federal.  Para esse fim, a arma mais importante foi a… Imprensa.

Para que os recursos chegassem aos destinatários, uma trama criminosa foi engendrada. O mensalão ianque, que corromperia a imprensa, parlamentares e governadores de Estado como Carlos Lacerda, chamava-se Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (IPES). Escritórios dessa agência do golpe foram abertos em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Porto Alegre.

A imprensa, subsidiada pelo IPES, passou a fazer campanha anticomunista relatando os “horrores” da União Soviética, de Cuba etc. O empenho anticomunista domou Estadão, Globo e Folha, primeiro, através do bolso.

Esses veículos passaram a verter, dia após dia, acusações e críticas de “descalabro administrativo” e de “corrupção” contra o governo brasileiro. Não passava um único dia sem que torrentes de matérias nesses veículos, entre outros, fossem despejadas sobre o povo.

Informações falsas ou manipuladas eram plantadas na mídia, que, como hoje, pouco admitia uma mísera opinião divergente ou dava destaque a desmentidos. E, se dava, era sempre em proporção absurdamente desigual. Sem falar que muitos assuntos eram simplesmente vetados.

A grande mídia de então inundava tudo que podia com propaganda contra o governo. Cinemas, jornais, rádios, novelas. Tudo. Não havia como escapar de coberturas como as que o Jornal Nacional fez diariamente contra o governo Lula e continua fazendo contra o governo Dilma.

Tudo muito bem pago por dinheiro subtraído ilegalmente do erário norte-americano e repassado, mensalmente, aos escritórios do IPES, que, por sua vez, repassavam, além de a meios de comunicação, também a parlamentares, que passavam a votar no Congresso como queria o presidente… Dos Estados Unidos.

Qualquer semelhança com o que se passa hoje não é mera coincidência.  Se você acredita em mim, pode parar por aqui. Do contrário, assista, abaixo, à primeira parte do documentário “O Dia que Durou 21 Anos”. Já vai bastar, pois o resto da história você conhece.

O DIA QUE DUROU 21 ANOS

169 comments

  • Todos esses detalhes sórdidos do envolvimento dos americanos no financiamento do golpe militar deveriam ser amplamente divulgados para que todos ficassem sabendo quem são os americanos (tempo presente porque eles continuam os mesmos) e quem são os barões da grande mídia que também continuam os mesmos golpistas vendidos lambe-botas de 1964.

    • Pois é, Marcos, deveria ser matéria obrigatória no 2º grau, para que os jovens saibam exatamente como agem os governos dos EUA (seja do Partido Republicano ou do Democrata).

      ________________
      PS.: os povos da nossa América (a do Sul) chamam os estadunidenses assim. Só no Brasil se aceita que eles sejam chamados “americanos”, que é como eles se autodenominam. Ao se referirem a si próprios dessa forma – I”m American – eles dão a entender que são donos do Continente. Aliás, eles se acham donos das Américas. Ora essa, o Canadá e o México também ficam na América do Norte.

      • E mesmo muito interessante esse “pequeno detalhe”. E como é dificil pra nos mudarmos esse habito tão conotativo. Eu, por exemplo, ja sabia e tinha “esquecido”. A partir de hoje so direi estadunidense.

      • Roberto você tem toda a razão, outro dia estava lendo os comentários de jovens sobre um post referente ao Carlos Marighella e fiquei assustado com o ódio neles externado. Na verdade trata-se de uma mistura que tem como ingredientes a desinformação divulgada pela mídia golpista, a preguiça em pesquisar uma informação e/ou assunto em várias fontes diferentes, a falta de conceito de nação e o deficiente/pobre/desprezado ensino da história recente do Brasil no segundo grau.

        • É, Marcos, nossa juventudo sofreu uma lavangem cerebral, principalmente os jovens da classe média para cima.

          Alguns dos super-heróis da moçada brasileira usam roupa com as cores da bandeira dos EUA e todos são brancos, de biotipo ariano. Alguns são claramente da classe capitalista, como Batman e Homem de Ferro. Nenhum é operário. Nenhum é de esquerda.

          Os herois de verdade, como Carlos Marighella, que deram a vida por um Brasil melhor, são alvo de ódio da juventude alienada. Eles odeiam o que não conhecem.

          No mais recente filme de Batman, o “paladino da justiça” burguesa enfrenta o movimento Occupy. Claro que é tudo subliminar, mas para quem tiver olhos mais abertos, tá lá o Batman enfrentando o levante popular.

    • Eduardo, obrigado por esse post e por publicar esse video.

      Nunca podemos esquecer como os canalhas manipulam a verdade para defender seus interesses espúrios e lesa-pátria.

  • Qualquer pessoa com mais de 50 anos de idade lembra que nas escolas havia a disciplina OSPB – Organização Social e Politica do Brasil. Os professores eram obrigados a fazer “estágios” no DOPS e, de lá, partiam com a pauta a ser dada em sala de aula. Tinhamos os EUA como modelo e referência para tudo.
    Lembro de uma professora que nos chamava depois da aula, íamos a um botequim e, lá, ela dava a aula de verdade, sob risco até de ser morta!

    • Lembro-me de ter falado para a professora de uma outra classe (uma freira): Irmã, ninguém gosta dessa aula de OSPB que a senhora dá. Ao que ela respondeu: Também, eu não posso falar o que eu quero…

  • Muito bom. Há também um livro que se baseou na tese de doutoramento pela Universidade de Glasgow/Escócia, do falecido professor da UFMG, ele era de origem judaíca, nascido no Uruguai e se chamava Reneé Armand Dreyfuus; O título do livro:1964: A Conquista do Estado: Ação Política, Poder e Golpe de Classe, Vozes – Petrópolis, 1.981.

    O livro é muito bom, todo documentado e mostra que além do golpe patrocinado pela CIA, o Brasil foi o laboratório para o Chile. EU tinha um exeplar e o doei a uma universidade federal, creio que lá será ou é mais lido.

    O professor em apreço foi muito feliz em sua tese. Uns diziam que a direita abriu seus documentos para a pesquisa, para mostrar o quanto é poderosa e que percebam que vai vencer sempre. Outros dizem que o professor se uniu à direita. Eu e muitoas pessoas progressitas que leram o livro, todos ficamos com a primeira avaliação, de que a direita quis mostrar seu poder. O ano de 2012 estáparecido com 1964.

    • Sem duvida 2012 tem muitas similitudes com 64,apenas sem o impacto da revolução cubana e sem o contexto da guerra fria,mas com um impacto muito mais dramatico em virtude do esfacelamento da ordem neoliberal no mundo inteiro.Tem outro aspecto que não pode ser esquecido,com o golpe militar de 64 os problemas então existentes ficaram praticamente congelados,não apenas por duas decadas(tempo exato da duração do regime militar)mas por mais de tres decadas,se considerarmos os cinco anos perdidos de Sarney,os dois anos e alguns meses de tumulto que foi o governo Collor alem dos oito anos da era FHC,que foi o auge do modelo neoliberal no Brasil.Portanto,as reformas hoje postas para a discussão são as mesmas da decada de 60.Ou seja o Brasil está defasado em relação ao que poderiamos chamar de modernidade capitalista,de fato,uns cinquenta anos.

      • Bem lembrado, Dimas, que o Brasil ficou congelado mais de 30 anos.

        A evolução ainda tímida que estamos vivendo, com progresso social e redução da desigualdade, era para ter sido concluíoda já há 50 anos. Mas não interessava ao Tio Sam que o maior país da América do Sul se tornasse também o mais poderoso. Como não interessa AGORA.

        Quando a esquerda argumenta que o atual golpe de estado em andamento conta com a mão da CIA, a direita – em coro com os ingênuos de sempre – responde: “deixem de ser paranoicos!”

        Na época do golpe no Chile, Henry Kissinger declarou, à imprensa dos EUA: “nós não vamos ficar sentados vendo um governo comunista ganhar eleições”.

        Em anos mais recentes, Bush promoveu um massacre no Iraque, tendo como base uma mentira: que Saddam tinha “armas de destruição em massa”.

        Então, que ninguém diga “eles não fariam isso”. Fariam sim! E farão, se o povo brasileiro não for às ruas.

        • O pior de tudo Dimas e Locatelli é que nossos jovens não sabem nada dissso.
          Raros os que tiveram informações corretas nas suas faculdades.
          Grande parte do que o poste produz, está no livro “A grande partida – os anos de chumbo” de
          Francisco Soriano. Não só os jovens. Tem marmanjo que viveu esse período e nada sabe porque
          estava pastando. Quem esteve sob as botas dos milicos sabe o que é bom p tosse.

    • Rodrigo,

      Muito bem lembrado. Mas existe um livro desse autor que resume tudo o que está acontecendo e virá a acontecer. Chama-se “O Jogo da Direita”. Você já leu?
      Se não leu, eu recomendo a todos. E vocês verão que jogo é esse.
      Só para resumir: como a direita se reunia diuturnamente, principalmente antes da eleição de 89, para traçar estratégias para derrubar Lula ou Brizola caso fossem eleitos.
      A lista de nomes é que é supreendente; há nomes que inclusive fazem parte do atual governo federal.
      Vale apenas dá uma olhada.

      Abs

  • Edu, muito oportuno esse seu post. Vemos muitos comentários de garotos que mal sairam da escola para a Universidade e não conheceram o que se passou naqueles dias. E o paralelismo que existe com o que está acontecendo hoje. Opinam sem conhecimento de causa. Vamos educá-los e fazê-los ver o que tem por trás do poderio e dos interesses da mídia ontem, hoje e sempre: golpista!!

  • Os americanos são corruptores sim, porém a nossa dita elite é calhorda, canalha, venal e acima, muito acima de tudo, traidora da pátria semvergonha até bater de pau. Com raras, raríssimas, mas muito raras mesmo, exceções. Chegam ao ponto de desejar ardentemente votar na eleição para a escolha do imperador lá nos states. E William Bonner, dizem, foi para lá para fazer a cobertura da eleição, vá ser colonizado assim na capadócia, eleição dos que financiam a campanha antipatriótica contra a manutenção do pré-sal para os brasileiros. E faz parte da corriola venal e lambe botas de gringo uma significativa parte do desprezível supremo. O Supremo e a PGR agem a favor da destruição das nossas instituições. Que raio de 3º poder é este, sem votos, sem compromisso com o povo e os interesses da nação? Podem destituir quem quer que seja do gosto do povo, a qualquer momento que lhes der na telha e que se danem todos porque a corriola togada se sente como Deus. E soltam os Barrabás a toda horÉmais fácil comprar um poder de meia dúzia de togados do que se os tais tivessem que apresentar ao povo as suas propostas. É um engodo profundo estes tais 3 poderes, em que um deles sobrevive mediante complicada retórica “técnica” politiqueira e quer açambarcar os demais. Agora com o agravante de ser suscitado e insuflado por um tal de 4º poder, onde quem quer comandar o Brasil são Kaméis, Hucks, Jabores, Marinhos, Frias, Murdochivitas, que só têm votos das suas próprias mulheres. Que descalabro! É o fim do Brasil potência. Voltamos para a rabeira da fila do desenvolvimento.

  • O que mais dói é ver as pessoas que lutaram contra toda essa violência estarem sendo condenadas sem provas. Onde estavam os nossos doutos ministros do supremo enquanto Dirceu e Genoino colocavam suas vidas em risco? Talvez por covardia não quisessem se envolver em ativismo político como já declarou o mais imaturo deles. A história se encarregará de colocar cada um no seu devido lugar. Com certeza os doutos ministros não aparecerão nem na foto.

  • Esse documentário deeria fazer parte do currículo escolar, como material imprescindível para a construção de cidadãos conscientes e imunizados contra qualquer tipo de manipulação da mídia ou dos “salvadores da pátria” de qualquer época. Talvez houvesse, é claro, uma reação dos conservadores de plantão em nome da (sua) moral e dos (seus) “bons costumes” ou melhor, interesses….

  • Presidência da República: Dilma Rousseff
    Assunto: Assessorias do Governo

    Prezada presidenta Dilma Rousseff o governo através de campanhas pede a participação popular do cidadão no destino do país, mas esse quando colabora com sugestões de projetos (ideias) enviadas para o governo federal, ministérios, secretarias, e empresas estatais, infelizmente não tem recebido resposta das assessorias dos mesmos. Presidenta todo cidadão brasileiro tem o direito de ser ouvido por nossos autoridades e ser respondido para se sentir um pouco mais brasileiro. Vivemos numa democracia onde o cidadão deve ser estimulado em participar do destino da nação brasileira, mas pergunto: para que serve tantos assessores se esses não respondem o cidadão, quando esse escreve para o governo tentado melhorar o país?

  • Edu, meu amigo, há um livro que para mim é de cabeceira, escrito por dois jornalistas americanos, Carl Oglesby e Ri
    chard Shaull.
    Chama-se Reação e Mudança.
    Impressionante o relato que ambos fazem da relação Barros-(Ademar)-Lacerda-Mesquita na conspiração contra João Goulart , de como a “revolução”, vulgo golpe, foi tramada lá nos States em conlúio com a direitona paulista que já vinha tramando-a desde 1930 , a relação com Mr. Roberto Marinho, enfim tudo…
    É nauseante e também assustador notar que estamos vendo novamente a velha engrenagem se mover, azeitada que está agora pela revistinha, pelo “supremo”, pelo psdb.
    O que podemos fazer Edu?
    Parafraseando a invasora de terras, namoradinha do brazil com Z, estou com medo!

  • Eduardo, admiro a sua resiliência.
    99% do PT está alheio a tudo isso, Dilma fala de “exageros da imprensa” quando deveria falar que Liberdade de Imprensa e de Expressão não dão autorização para em nome delas se praticar de crimes.
    Se depender do PT, o golpe será dado.

  • Prezado Eduardo: Seria bom que os leitores desse blog lessem o livro SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, ed. Record, autores Gerard Colby e Charlotte Dennett; e não deixassem de ler com muito cuidado o capítulo 29 , intitulado Operação Brother SAM. Alí descreve como o golpe de 1964 foi preparado, por quem do exterior e quais os brasileiros que foram os traidores do pais(só tem nome de gente “boa”) de governadores, empresários, generais e outros “democratas e nacionalistas”. Bando de entreguistas e saqueadores do povo brasileiro e agora muitos desses caras ainda querem posar de democratas de verdades e defensores do Brasil.
    Sugiro tambem a leitura do livro O GOLPE COMEÇOU EM WASHINGTON, de Edmar Morel.
    Esses livros são antigos, talvez sejam encontrados somente em algum sebo.
    Há um livro mais recente que eu creio que é o que nos leva a tirar conclusões sobre a raiva ampliada que a classe empresarial(pois são os empresários que mandam no governo americano, desde a fundação daquele pais) americana tem em relação à américa latina. Trata-se do livro do embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto. O nome do livro é QUINHENTOS ANOS DE PERIFERIA, publicado pela Ed. da Universidade, Universidade do Rio Grande do Sul.
    Acredito que essas leituras ajudarão a entender a caminhada que estamos vendo em direção a mais um golpe de estado.

    • O livro “Seja feita vossa vontade” é um dos mais impressionantes livros que já li sobre a história de dominação estadunidense nos países pobres e emergentes, onde o Brasil aparece com bastante destaque dada a cobiça de Rockefeller sobre os recursos naturais brasileiros (petróleo, principalmente). Para atingir seus objetivos, eles não hesitaram em trucidar povos indígenas na América do Sul, bem como não hesitaram em assassinar líderes políticos de esquerda em diversos quadrantes do mundo, como foi o caso de Patrice Lumumba. É uma leitura portentosa (o livro tem em torno de 900 páginas) com todas as informações baseadas em documentos dos quais o livro apresenta referências bibliográficas completas.

      Ao final da leitura a gente (enquanto nação) se sente uma completa marionete dos desejos imperialistas estadunidenses, um processo que se estendeu por praticamente todo o século XX e que, não há dúvida, adentra o século atual com a mesma voragem de antes.

  • Edu,

    Sempre é bom lembrar, também, como complemento a esse documentário, este aqui, sobre a tortura no Brasil nos anos 1970. Foi feito no Chile e entrevistou uma série de exilados políticos:

    http://www.youtube.com/watch?v=kD9kALNsRwA

    Chama-se “Brazil: a Report on Torture”, e é de autoria de Saul Landau e Haskel Wexler. Foi filmado logo após a chegada dos ex-presos políticos que haviam sido libertados após o sequestro do embaixador suíço. Saul e Haskel estavam no Chile para filmar outra coisa. Quando souberam da chegada dos brasileiros, mudaram de idéia e acabaram fazendo esse documentário. O curioso é que muito pouca gente já ouviu falar dele. Por que será, né?

  • Parabéns pelo seu texto, Eduardo.

    Sinto as mesmas preocupações e, quando fui fazer uma indicação de sua postagem em meu blog acabei por escrever um monte de coisas, entre elas o período em que, adolescente, fui papagaio repetidor daquilo que a mídia martelava sempre em nossas jovens cabeças. Fico corado em lembrar o quanto deixei de ouvir meu pai, um operário muito sábio (demorei muito a enxergar isso), e agora mais corado ainda ao lembrar (neste exato momento) que, contra a vontade dele, doei “ouro para o bem do Brasil”. Era um pedacinho pequenininho, um fragmento bem curto de uma velha corrente de ouro que fiz questão de levar e depositar numa urna solene que ficava na sede do clube dos ricos da cidade, bem na esquina da igreja matriz. Emblemático esse local, né?

    Abraços, Eduardo, e obrigado pela sua injeção diária de reflexões que estimulam as nossas próprias reflexões e a revisão crítica de nosso passado.

    Espero que a Vitória e toda a sua família estejam bem, e que seu problema de saúde tenha desaparecido de vez.

  • De fato não apenas o EUA, mas a nossa classe rica e principalmente a classe média morriam de medo de acordar sob uma ditadura de esquerda como Cuba.

    Lembrem-se que o mundo era dividido em 2 blocos, os de pouca idade não sabem o que foi a cortina de ferro, quem foi Mao Tse Tung, não sabem o que foi o levante da Hungria em 1956 e muito menos o que foi a Primavera de Praga. Os de pouca idade também não irão se lembrar de personagens enfadonhos como Lindon Jonson ou Nixon. Tão pouco saberão do Khrmer Rouge ou dos crimes de guerra americanos no Vietnam, cometidos largamente e impunemente de 1961 até 1975.

    Definitivamente, santo e coitadinho era o que não tinha no bloco comunista (subserviente a China ou a URSS) e nem no bloco capitalista (subserviente aos EUA).

    No fim das contas foi o apoio da classe média emergente daquela época que foi decisivo para a sustentação do golpe militar e da posterior implantação da ditadura de direita que durou 21 anos.

    Obvio e pouco se fala disso, que a postura irresponsal do Sr. Janio, que chegou a condecorar o Sr. Tche Guevara e aproximou de Cuba, ouriçou as nossas elites, a Igreja Católica, os americanos e … e a nossa classe média católica conservadora (que se não era maioria, sabia gritar alto e bater na mesa).

    A cereja do bolo foi o ato desmedido de Janio com a sua renuncia. Ato impensado com a desculpa de “forças ocultas”.

    Atitudes desnecessárias que contribuiram indiretamente para lançar o Brasil nas trevas por 2 décadas.

    Existem os que defendem que a fanfarronice de Janio apenas precipitou o que iria acontecer logo a frente, mas não são a causa mor.

    As minhas dúvidas considerando o Brasil da época permanecem as mesmas:
    – Jango de fato tinha um projeto para uma reforma de bases de verdade ? Digo palanque aceita tudo.
    – As más linguas dizem que Brizola e Arraes deram sumiço em um bom lote de armas vindas de Cuba para uma reação ao golpe. Será ?
    – Que o golpe não passou de uma reação alérgica das classes abastadas temente por uma ditadura de esquerda ? Dizem que nunca de fato, existiu plano nenhum para reforma agrária ou estatização da economia.

    Sim, o brasileiro carece de refletir sobre a época, e principalmente, quais lições aprendemos com 1964 ou que deveriamos ter aprendido.

  • Kennedy conspirou, e uma conspiração o derrubou…

    E a estratégia do PT, aparentemente, é a da resiliência. Continuem batendo… Eu aguento, e uma hora vcs cansarão! Será mesmo?

  • Tomo a liberdade de reproduzir abaixo um belo comentário postado pelo FrancoAtirador no blog do Azenha (Viomundo) que tem tudo a ver com este texto do Eduardo.

    Fonte: http://www.viomundo.com.br/denuncias/bernardo-kucinscki-estamos-assistindo-ao-surgimento-de-um-macartismo-a-brasileira.html

    UM NOVO NOME PARA A VELHA ‘GUERRA FRIA’

    O antipetismo é uma transfiguração do anticomunismo
    espalhado no mundo pelos United States of America.

    A matriz ideológica é a mesma vigente no Século 20,
    a partir da revolução russa, e acentuada no pós-guerra
    com as revoluções socialistas no Oriente e em Cuba.

    A derrocada da União Soviética foi somente uma batalha
    vencida pelos EUA, com a sucumbência do estalinismo.
    Mas foi uma vitória muito mais política do que econômica.

    No Século 21, o colapso financeiro do capitalismo ocidental,
    fundamentalmente provocado por governos desestatizantes,
    e a ascensão da China, com a economia sob controle estatal,
    somada ao descolamento da maioria dos países sul-americanos,
    que adquirem cada vez mais autonomia em blocos multilaterais,
    significaram uma derrota muito maior para os EUA e aliados.

    Na verdade, a ‘Guerra Fria’ não acabou, apenas mudou de forma,
    vez que, hoje, a batalha da informação ou da contra-informação
    retorna ao patamar do período mais drástico do conflito EUAxURSS.

    Por exemplo, quando o Departamento de Estado Norte-Americano
    percebeu que, em dado momento da Revolução Popular Egípcia,
    as informações haviam fugido ao controle, pois eram geradas
    por redes na internet e jornais médio-orientais independentes
    e, depois, repercutidas pela TV Al-Jazeera que apoiou a revolta,
    Hillary Clinton foi de imediato discursar no Congresso dos EUA
    pedindo a liberação de verbas para o setor de telecomunicações.
    “Estamos perdendo a Guerra da Informação”, declarou a Secretária.
    Não demorou muito, e a emissora de TV do aliado Catar mudou de rumo.

    GUERRA DA INFORMAÇÃO: ESTE É O NOVO NOME DA VELHA ‘GUERRA FRIA’.

    Daí a máxima ‘O que é bom para os EUA, é bom para o mundo’
    voltar ao Brasil, nos círculos impatrióticos de neocolonizados,
    tentando conquistar desavisadamente uma classe sócio-econômica
    que ascendeu substancialmente em escolaridade e remuneração,
    mas que não tem absolutamente qualquer consciência política.

    E o Cartel Empresarial Máfio-Midiático é o principal responsável
    pela disseminação, aqui no País, dessa ideologia antipatriótica.

  • Agora eles estão usando outra tática, mais fácil: ESTÃO COMPRANDO O BRASIL. Além dos jornalistas que ainda hoje defendem o neoliberalismo, os estadunidenses estão comprando enormes quantidades de terras agricultáve, compraram vários laboratórios de exames como o Delboni, compraram os restaurantes Viena, Brunela, Frango Assado…e outras áreas como a Tok Stock.

    E Dilma fala que prefere o barulho da imprensa ao silêncio da ditadura. Porém, o que ouvimos não é o barulho da imprensa…é o barulho de criminosos como a revista Veja;

    Assim fica mais fácil…ACORDA DILMA!

      • Só os otários que comem bigmac é que estarão á mercê disto aí, catão.
        Aqui no sul o treco tá tão caro que com a grana de 4 bigmac se compra contrafilé que dá pra fazer um churrasco pra 6 pessoas….
        Bigmac= R$17,00 * 4 = R$68,00
        Contrafilé = R$ 18,00/kg *3 = R$54,00 (considerando que uma pessoa normal come 500gr de carne) e ainda sobra din din pro carvão e dois pets de coca-cola ou três garrafas de cerveja.
        Percebeu porque eu escrevei ‘otários’ lá em cima?

  • A tese de doutorado que citei é muito boa. O emprestei a umas 10 pessoas, todos a devolveram e somente 2, portugueses apenas passaram as folhas. Os demais o leram e ainda disseram: É revoltante.

    O que é pior é a classe média alta e parte da média apresentando um nível de alienação alarmante. Acreditam piamente em rede globo, veja e saem repetindo tudo. E acham que conhecem e sabem votar. São rídículos, elegeram a imprensa e esse STF como os donos da verdade. Nunca vi tanta mediocridade assim.

    Outro fator importante: O PIG passou a publicar com maior ênfase a violência que assola o país. Aqui em MG onde o jornaleco Estado de Minas, aecista desde sempre, domina, aparecem as manchetes de tantos mortos, violência e outras assim. Querem passar a idéia de que o país está em nível de violência intolerável, até está assim mesmo, mas isto ocorre há muitos naos. Eles estão somado vários fatos até virar um bem grande.

    Não me canso de passar e e repassar fotos, análises e vídeos, mas amaior parte acredita no PIG (classe média). O PT foi vitorioso, sim, mas se não fosse PIG, conluio STF e outros, nem haveria oposição.

    O recado do PT deveria ser que PSDB e afins não gostamd e pobre. E deveria tomar uma posição, sim. O PT está sendo covarde!!!

  • Reparem em “O dinheiro norte-americano não comprava nem o governo João Goulart nem o povo, que continuava apoiando aquele governo” O povo ou a população do Brasil jamais apoiou o governo Goulart como apresentatado pela esquerda, um governo revolucionário e “libertário”. A população brasileira apoiou em peso a reação contra a esquerda com sua ideia de “reformas de base”. Em nenhum momento a luta da esquerda teve apoio da população brasileira. Nenhum ato da “luta armada” teve aprovação da população. Que respondia em peso denunciando os “guerrilheiros” em fotos pregadas nas ruas, pontos, rodoviárias e estações. Essa esquerda comemorativa que fica aí se dizendo representante do povo brasileiro, nem do governos que recebia dinheiro, Cuba, União Soviética e China, tinha consideração. Prestes, um ícone da esquerda tupiniquim voltou da Rússia donzelão, vigiado e feito pela Olga Benário, que era uma agente russa. Nos anos sessenta, um comunista não era convidado para jantar na casa de moça de família. Era praga. Ficam aí agora dizendo que eram heróis, mas eram uns brancaleones, revolucionários de meia tigela. Patotinha.

      • As informações seguintes foram controlvezadas desse link aí apresentado pelo Guimarães , do Jornal da Unicamp: (…) No campo político, 80% dos paulistanos eram contra a legalização do Partido Comunista do Brasil e 57% viam o comunismo aumentando no país; 32% temiam o regime como um perigo imediato, 36% como um perigo futuro e 19% não o consideravam um perigo. (…) depois dos tanques, 70% dos entrevistados diziam que a situação do Brasil “agora ia melhorar”, 10% que ia piorar, 7% que ficaria igual e 13% não sabiam. (…) A cassação de deputados comunistas foi aprovada por 74% e a prisão de líderes sindicais ligados aos comunistas por 72%.

        • Você só leu o que lhe interessa. Bloqueio mental. Ninguém disse que não havia apoio do outro lado. O que eu disse é que Goulart tinha apoio. O Ibope mostrou o país dividido. Contudo, o enunciado da matéria da Unicamp diz: “Pesquisas de opinião nos dias que antecederam a derrubada de João Goulart e nos meses seguintes mostraram que o governo tinha apoio popular”. Bem diferente do que você veio pregar aqui.

        • Noooossa…. controlvezadas….demorei pra perceber o que ‘quer dizer’ isso aí….
          Mania de estadunidense inventar palavras, que aterrisou aqui e grudou nas pobres cabecinhas….
          tsc tsc tsc

    • O que vc não consegue ver, além de não aceitar a verdade do ocorrido, que era o grande apoio popular de Jango, não era a questão do povo fazer a ligação do governo Jango ao comunismo. Para o povo, o governo Jango era um governo que ele aprovava, e não um governo comunista, na verdade o povo não fazia esta ligação de seu governo à ideologia comunista, pois talvez o povo não tivesse a noção do que fosse o comunismo.

      O que ocorreu, foi que os EUA, vendo o pais avançar, ficou preocupado com este avanço ir de encontro a seus interesses, portando, aproveitando a onda vermelha que lhes atormentava, eles lançaram a pecha de comunista no governo Jango, então comprando parlamentares, a elite branca, a grande mídia e os militares, incitaram o golpe a uma governo que não era comunista, mas tinha idéias progressistas e sociais. Simples assim.

      O comunismo foi uma desculpa esfarrapada para golpearem o país. Que jamais se tornaria comunista, caminharíamos para um capitalismo autônomo nos moldes do keynesianismo.

      • Chamar o governo de Goulart de um governo comunista ou é muita burrice ou má-fé.Prefiro acreditar em principio que seja má-fé mesmo.Se ele se cercou de elementos que poderiamos chamar de esquerda,ele mesmo,Jango,era reformista.Claro,a direita sempre vai jurar de pé junto que iria ser implantado um regime comunista no Brasil,ate mesmo para poder justificar um golpe contra a democracia.Vale a pena ler um livro do jornalista Luis Mir¨Revolução Impossivel-a esquerda e a luta armada no Brasil¨.Ali está demonstrado que se radicalização houve e que culminou com o fechamento total do regime em 68,com a edição de AI-5,não foi a radicalização da oposição ao golpe,mas foi a radicalização do proprio regime militar,que existia ja desde o inicio,mas que foi se acentuando gradativamente,a ponto de unir contrarios tais como Carlos Lacerda(um dos lideres civis de 64,depois cassado)e Jango,alem de JK,para a formação da frente ampla contro o regime em 1966.As pessoas precisam pelo menos conhecer um pouco dos fatos passados com mais isenção.Podem ser ate conservadores,de direita,mas não precisam ser tão idiotas como parecem ser os ditos conservadores brasileiros,que não querem justiça social e depois reclamam do aumento da criminalidade.A elite com raizes fincadas no Brasil-Colonia,esta assistindo desesperada a sua derrocada final.O Brasil hoje se encontra em uma situação limite.Ou se liberta dessa elite,mesmo que isso custe sangue,suor e lagrimas e se projeta plenamente no seculo XXI com pujança ou continua preso ao passado e portanto,preso ao subdesenvolvimento,à miseria e ao recrudescimento exponencial da violencia principalmente nos grandes centros urbanos.O futuro de qualquer nação,depende e muito das escolhas que são feitas num determinado momento de sua historia.O nosso momento de escolha é agora.

        • Falou e disse Dimas. Esse pessoal é bitolado mesmo. Acho que existe uns com má-fé e outros com alucinações paranóicas. Bom livro o que vc falou.

        • “como parecem ser os ditos conservadores brasileiros,que não querem justiça social e depois reclamam do aumento da criminalidade.”
          Pô, Dimas, hoje tu tá impossível….
          Essa equação aí de cima não se resolve nem que a vaca tussa canivete….

  • É triste dizer isso mas o PT tem muita culpa em tudo isso.
    Onde estão nossos parlamentares? Estão todos quietos.
    POr onde andam Fernando Ferro, Tatto, Marco Maia, Suplicy, Odair Cunha, Vacarezza?
    E o governador Tarso Genro?
    Onde estão as lideranças do partido pra romper esse cordão esmagador do trio PIG-STF-PGR?
    Estão esperando o quê? O golpe? Para quando ocorrer, aí sim tomar providências? Aí já será tarde.
    Não vejo ninguém subir à tribuna do senado ou da câmara para diariamente responder a essa ingerência reacionária.
    O que está acontecendo com o PT? A covardia já está passando de todos os limites do bom senso.

  • Sempre a forma mais fácil de dominação é a cooptação das elites (econômica/midiática ) Como é dito no filme “coração valente” : Dai-lhes terras e títulos que eles ficarão gananciosos o suficiente para não se oporem à dominação .A Elite entrega o país, por alguns beneficios, é claro.Só que agora, há a resistencia da internet ,dos blogs “sujos’ e do povão em geral.Em 2014, a reeleição da presidenta Dilma é muitíssimo provável de acontecer.Tucanos e demonios nunca mais…

  • A direita é cinica em todos os sentidos.Não fosse a eleição de Lula em 2002 e possivelmente o Brasil teria mergulhado numa convulsão catastrofica,caso José Serra fosse o vencedor.Lula,por mais paradoxal que possa parecer salvou do colapso o que poderiamos chamar de capitalismo brasileiro.A direita sempre falsificou a historia para garantir a impunidade dos crimes que sempre cometeu ao longo da historia brasileira.Goulart jamais foi comunista,mutto pelo contrario,até mesmo porque ele era um grande latifundiario com fazendas não só no sul do Brasil como tambem no Uruguai.Mas ele era um reformista e um reformista convicto de que tais reformas fariam com que o Brasl,ingressasse definitivamente no seculo XX,na era da modernidade capitalista,que pressupõe acima de tudo um forte mercado interno,uma solida rede de pequenos e medios empresarios(o que incluiria tambem a reforma agraria para a criação de pequenos e medios empresarios no setor agricola) a impulsionarem vigorosamente a economia,criando um circulo virtuoso de consumo-investimento-produção.Oras,basicamente este seria o modelo a ser implantado no Brasil,caso as reformas de Jango fossem integralmente implantadas.Ocorre que o governo dele,que muito longe estava de ser nitidamente de esquerda,havia proposto algumas medidas que contrariavam diretamente os interesses dos EUA,como a lei que limitava a remessa de lucros das multinacionais às suas matrizes.Temos que levar em conta que tanto lá em 64,como hoje em 2012,a elite não era apenas uma elite cujas raizes estavam fincadas no seculo XIX(de onde alias ela nunca saiu)como tambem era(e é)profundamente antinacionalista e muito mais antipopular do que propriamente antidemocratica.Não era e não é antidemocratica tão somente porque aceita o jogo democratico,na medida em que esse jogo democratico seja adequado a seus interesses,mas ela é profundamente antipopular,na medida em que ela é contra as legitimas aspirações do povo.Mas porque ela não é antidemocratica,porem,democratica dentro de estreitissimos limites,ela é adepta de golpes de estados,quando ve seus interesses contrariados.Em suma,é uma elite do seculo XIX,vivendo num pais que ainda aspira a viver no seculo XXI.

  • Lendo outros comentários, fiquei sabendo da Vitória. O amor que toda a família dedica a essa menina é contagiante. Fazemos parte da tua família e muito nos interessa sabe rque ela está bem.
    Também é admirável o teu fôlego para manter este blog, com posts da relevância deste. Belíssimo trabalho para as novas gerações. Por que não dizer também que é importante para as gerações que vivenciaram o golpe, sofreram com ele e não o compreenderam?

  • Vi o filme no Festival do Rio : um documento histórico !! Foi aplaudidíssimo ao final. Há revelações espantosas. Imperdível !
    Muito boa essa refer~encia !

  • Um povo sem memoria,movido a alienação,manipulação e ao lixo cultural produzidos pela midia,so pode cometer por ignorancia os mesmos erros do passado.Povo passivo é massa de manobra,não só para uma elite comprometida com a traição ao pais,como para oportunistas dos mais variados matizes,desde politicos oriundos de facções do crime organizado(como Demostenes)como para falsos lideres religiosos que não passam de verdadeiros estelionatarios(R R Soares,Waldemiro Santiago,entre outros).

  • A HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONTA:– COPIE E DIVULGUE – No dia 24 de agosto desse ano (2012) fez 58 anos da morte de Getulio Vargas. E foi no seu governo que se iniciou um movimento da CIA para sabotar o governo brasileiro e até, se possível, derrubá-lo em um golpe de Estado, o que de fato aconteceu uma década depois. Felizmente está mais que declarado e provado com documentos do próprio EUA, que foi CIA que planejou, coordenou e executou o golpe militar no Brasil, que derrubou o João Goulart da presidência do Brasil, para implantar uma ditadura militar que durou 21 anos. Esse golpe, foi apresentado ao presidente John Kennedy que o aprovou na hora. Kennedy, que achava que o Brasil era quintal dos EUA e também não gostava do Jango, porque achou-o muito atrevido, porque na década de 50, quando João Goulart era ministro do Trabalho do governo Vargas sofreu uma crítica maldosa (insuflada pela imprensa vendida brasileira) do “The New York Times” e então escreveu uma carta-resposta, (fato que nenhum político de país subdesenvolvido no mundo fizera- razão da raiva de Kennedy) ao jornal que o criticou baseado nas mentiras da mídia (sempre lacaia) brasileira e que foi publicada no dia 8 de março de 1953, em editorial! Se eu não me engano o presidente dos EUA era Harry Truman. E Jango respondeu ao jornal americano: “O Ministério do Trabalho não foi criado para servir de instrumento deste ou daquele grupo, mas sim para atender a todos – patrões e empregados – sem qualquer distinção. Argumentam os pseudo-guardiães da democracia brasileira, contudo, que sou apenas o ‘ministro dos trabalhadores’, pois estaria inteiramente divorciado da indústria e do comércio. Na verdade, venho dedicando especial atenção ao proletariado, que não dispõe, como aquelas duas classes, de meios prontos e eficazes para a defesa dos seus direitos. O trabalhador, isoladamente ou através dos sindicatos, recorre somente ao seu Ministério. Mas isso, essa confiança do proletariado na Secretaria de Estado que dirijo, deveria constituir um motivo de tranquilidade e nunca de alarme. Pretender-se-ia, talvez, que o operariado brasileiro, já tão desencantado, não acreditasse nos poderes constituídos? Nesse caso, sim, estaríamos fazendo o jogo dos inimigos do regime, que desejam levar as massas ao desespero, a fim de implantar no país o clima de inquietação social propício à subversão da ordem.
    “No meu caso, além de ataques infames à minha honorabilidade, inventam as mais sórdidas mentiras e intrigas, como é exemplo essa pitoresca ‘república sindicalista’ que anda nas manchetes de alguns jornais. Acusam-me de peronista porque prestigio as organizações dos trabalhadores, que são os sindicatos. Ora, os sindicatos são, exatamente, os órgãos de representação e defesa dos interesses profissionais e econômicos das diferentes categorias, tanto de empregados como de empregadores. É dever do Ministério do Trabalho, portanto, estimular e prestigiar a organização sindical. Jamais poderia estar nos meus intuitos a transformação dessas entidades em instrumentos de ação política, não só porque isto seria desvirtuar-lhes as finalidades, como também a isso se opõem os preceitos da lei. “Nesta oportunidade, e a propósito de um editorial no The New York Times, devo dizer que o Ministério do Trabalho não pretende utilizar-se da sua influência para fazer inclinar o movimento operário neste ou naquele rumo, mas deseja tão somente que se oriente no sentido dos legítimos interesses das classes trabalhadoras e rigorosamente dentro da Constituição, das leis e dos sagrados interesses nacionais. “Também, não passa de torpe intriga o boato de que sou contra o capitalismo. À frente do Ministério do Trabalho estou pronto para aplaudir e estimular os capitalistas que, fazendo de sua força econômica um meio legítimo de produzir riquezas, dão sempre às suas iniciativas um sentido social, humano e patriótico. Sou contra, isso sim, o capitalismo parasitário, exorbitando no ganho e imediatista no lucro, contra o capitalismo cevado à base da especulação, que afinal só contribui para o desajustamento social. Não é admirável que, enquanto uns estão ameaçados e morrem de fome, outros ganham num ano aquilo que normalmente deveriam ganhar em 50 anos ou até séculos.” (Fonte dessa carta: jornal Hora do Povo)
    Com a morte de Kennedy, Lindon Johnson o aprovou o golpe também e assumiu a sua direção. O golpe militar da CIA, foi coordenado aqui no nosso país, pelo embaixador americano no Brasil, Lincoln Gordon, que viajou muito pelo nosso país, como agente da CIA no início do governo Jânio Quadros e o plano foi executado pelo seu assessor militar, o então major Vernon Walters. Todavia, repito, o início de tudo aconteceu bem antes, no início da década de 50, quando houve a guerra da Coréia (26 de Junho de 1950 a 27 de Julho de 1953). Foi nesse tempo que surgiu um fato que deu origem a atitude dos EUA procurar sabotar o governo brasileiro nacionalista de Getulio e que se estendeu para os governos de Juscelino e João Goulart e que culminou com o golpe militar de 1964. Getulio Vargas estava sendo vítima de uma cobrança sistemática do atrevido embaixador americano no Brasil (se não me engano Pawley Jr.), no palácio do Catete, para que o Brasil enviasse uma tropa para a guerra da Coréia. E o general nacionalista Newton Estilac Leal, ministro da Guerra de Getulio, o aconselhou a não enviar tropas brasileiras à guerra da Coréia devido as condições do terreno do local, totalmente inóspito para os nossos soldados! E o embaixador dos EUA pressionava o governo de Getulio. Então o general Estilac Leal, pediu ao Getulio para que ele (Estilac) assumisse a missão de informar ao embaixador americano que o Brasil não iria mandar tropas para participar da guerra da Coréia! E foi o que general fez, mas não imaginava a reação áspera e dura do embaixador ante à negativa do governo brasileiro. O embaixador ligou de imediato para o presidente dos EUA e o aconselhou a suspender toda ajuda ao governo brasileiro e começaram a trabalhar para prejudicar o governo brasileiro! E foi naquele dia, daquele mês e daquele ano que chegou até às forças armadas brasileiras um plano inicial elaborado para enfraquecer o governo nacionalista de Getulio Vargas! O governo dos EUA afirmou publicamente que não iria mais ajudar o governo Vargas em novos projetos e se iniciou uma guerra surda e suja contra o governo de Getulio! E foi quando surgiu entre os militares das Forças Armadas, várias a organizações que começaram a operar no final da década de 50. A conspiração era para desfechar um golpe de Estado a pretexto de combater o comunismo que chegou até o governo João Goulart. Eram militares simpatizantes da UDN e PSD (como o PSDB, DEM e PPS, hoje) partidos que sofriam a ojeriza dos eleitores brasileiros, isto é, não tinham como ganhar uma eleição presidencial e então só restava conspirar para derrubar em um golpe o presidente eleito. Toda aquela onda, pressão diária sistemática da mídia brasileira (sempre vendida) contra Getulio comandada por Carlos Lacerda fazia parte do plano da CIA, que resultou no suicídio de Getulio Vargas no DIA 24/08/1954) Diante da reação popular de revolta ante a morte de Getulio, os golpistas ficaram com medo e se encolheram. E no governo Juscelino os golpistas voltaram a agir e tentaram aqui e ali, o golpe com insurreições, mas o general Henrique Dufles Teixeira Lott, legalista e nacionalista, ministro da Guerra, estava de ouvidos apurados e olhos bem abertos contra os golpistas. Aí veio o Jânio e sua renúncia e a tentativa dos golpistas de impedir a assunção de João Goulart (Jango) à presidência do Brasil. Todavia havia um político nacionalista chamado Leonel de Moura Brizola governador do Rio Grande do Sul, que fez a campanha pela legalidade através do rádio e Jango foi empossado, mas em um governo parlamentarista, que depois, através de um plebiscito popular, voltou ao presidencialismo. Bem, aí piorou, pois veio com toda a força a CIA com o seu plano para derrubar o Jango, de qualquer maneira e que teve como coordenador, o embaixador dos EUA aqui no Brasil, Lincoln Gordon, como executor o assessor militar da embaixada, o então major Vernon Walters. Para isso a CIA recrutou pessoas e entidades, tanto através das organizações criadas para isso como o IPES (Instituto de Pesquisa Social), da ADEP (Ação Democrática Popular) quanto do IBAD (Instituto Brasileiro de Ação Democrática) e até diretamente, de inúmeros oficiais dos mais diversos escalões das forças armadas. E com esse bem articulado trabalho de corrupção, inédito na história do Brasil (revelou a CPI DO IBAD), a CIA aliciou o que pôde: militares, empresários, fazendeiros, vereadores, prefeitos, deputados estaduais e federais; senadores, governadores de Estado, jornalistas, profissionais liberais, donas de casa, estudantes, dirigentes sindicais, cardeal, arcebispos, bispos, padres, pastores das igrejas evangélicas, operários e camponeses. Enfim, todas as classes e categorias da sociedade civil brasileira, segundo apurou a Comissão Parlamentar de Inquérito, do IBAD, do IPES e da Cruzada Democrática. Para conseguir financiamento, inicialmente para impedir a eleição de políticos nacionalistas, foi convocado o americano que vivia no Brasil, Ivan Hasslocher, dono da agência de propaganda S.A. Incrementadora de Vendas Promotion, que de imediato criou o IBAD (Instituto Brasileiro de Ação Democrática) no mês de maio de 1959 ainda no governo Juscelino Kubistchek e depois em 1961 foi fundado o IPES (Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais), um dos fundadores era o general Golbery Costa e Silva e ainda, não satisfeitos, fundaram a ADEP (Ação Democrática popular), em 1962 para ajudar a recolher dinheiro dos empresários americanos com negócios no Brasil. Até o início de 1963 foram arrecadados mais de dois bilhões de cruzeiros (muito mais grana do que dois bi hoje)! Até o general Golbery Couto e Silva viajou com milhões de cruzeiros ao Rio Grande do Sul para financiar candidatos antinacionalistas! O IBAD tinha uma conta secreta no Royal Bank que enviava as doações das grandes empresas estrangeiras, principalmente as norte-americanas e algumas poucas brasileiras. Ivan Hasslocher ganhou o apelido de “Goebbels caboclo” (referência ao general Paul Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha nazista, que era encarregado de moldar e irradiar as mensagens nazistas para o povo alemão e é dele a ideia que a CIA hoje usa na mídia internacional quando quer invadir um país para roubar-lhe suas riquezas, que é: repita sempre, sempre uma mentira, cem vezes, se preciso for, a favor do governo ou contra os seus inimigos que ela se transformará em verdade para a maioria do povo. E as doações arranjadas pelo Ivan Hasslochen, arrecadadas no início foi para financiar a campanha eleitoral dos candidatos que não fossem nacionalistas e isso tudo era falado na maior “careta de pau”, sem esconder nada, falando abertamente, que a grana era para financiar políticos, empresários, fazendeiros, banqueiros, profissionais liberais e as diversas lideranças religiosas e associativas, para eleger políticos que não fossem nacionalistas. Segundo o ex-deputado Eloy Dutra, foi cassado depois, que participou da CPI e escreveu o livro “IBAD A Sigla da Corrupção”, Ivan Hasslocher, com o dinheiro arrecadado, selecionou e apoiou cerca de 250 candidatos a deputado federal, 600 deputados estaduais, 8 candidatos a governadores e inúmeros candidatos ao senado. Um candidato à deputado federal recebia CR$ 1 milhão e 600 mil, um deputado estadual CR$ 800 mil. O grupo IBAD/IPES/ADEP gastou 1 bilhão e 40 milhões de cruzeiros, nos 150 dias que antecederam as eleições de 1962. E posteriormente como os eleitores brasileiros continuaram a votar nos candidatos nacionalistas, isto é, contra os candidatos antinacionalistas. Apesar de tanto dinheiro, perderam a eleição e houve uma grande reviravolta na missão fim do dinheiro arrecadado e ele passou financiar uma estrutura cívico-militar para derrubar o presidente João Goulart, através de um golpe militar! E também era na maior “careta de pau” que os emissários do IBAD/ADEP/IPES, entravam nos quartéis para falar do dinheiro disponível (só com alguns oficiais superiores e generais, porque de capitão pra baixo, em sua maioria eram getulistas, janguistas e nacionalistas). Ivan Hasslocher fez um grande trabalho, pois comandou 80 programas semanais de rádio, arrendou por 90 dias o jornal “A Noite” (era um dos grandes jornais do Rio de janeiro) e a “Ação Democrática”, uma revista mensal com 250 mil exemplares, em papel couchê de ótima qualidade. Era distribuída gratuitamente e “milagrosamente” sem nenhum anúncio publicitário. E Ivan Hasllocher, depois do golpe militar, com medo de represálias, fugiu do Brasil, com a mala cheia de dólares e viveu uma vida nababesca em paraísos fiscais e acabou no seu país de origem milionário (ou bi?) em dólares. O principal “organizador civil” do golpe militar de 1964, morreu em Houston, EUA em maio de 2000, no mesmo mês em que ele fundou a sua entidade golpista no Brasil em 1959. Uma grande parte dos bilhões arrecadados foi para pagar órgãos de imprensa escrita, falada e televisada para desmoralizar o governo João Goulart. Essa dinheirama toda foi para entidades e pessoas em todos os estados do Brasil e para pagar a arregimentação de pessoas, associações neutras, políticas, religiosas e de trabalhadores em todos os movimentos anti-Jango e principalmente para participar das duas marchas do Rio e São Paulo. A “Marcha da Família pela Liberdade” e a fatura foi muito bem paga, porque os organizadores conseguiram arregimentar nas duas marchas quase 3 milhões de pessoas. Eles tinham urgência em tirar o Jango do poder! E, infelizmente, eles conseguiram no dia 1º de abril de 1964! Quando os militares derrubaram o Jango, o general Castelo Branco (quem diria?) foi o escolhido, “à dedo” pela CIA para ser presidente do Brasil! E tão logo os militares assumiram o poder, colocaram em toda a mídia que o governo João Goulart, além de ser comunista e subversivo, havia destruído as finanças do Brasil, pois devíamos 3 bilhões de dólares ao FMI e 3 anos depois o Brasil ditatorial passou a dever 6 bilhões e 6 anos depois a dívida foi à 12 bilhões e para resumir: 21 anos depois, no fim da ditadura militar estávamos devendo 128 bilhões de dólares ao FMI e já havíamos pagos só de juros (sem os 129 bilhões), 280 bilhões de dólares! A ditadura militar aumentou a dívida (sem os juros pagos à parte) do João Goulart em 43 vezes! E tem muitos coronéis e generais (a maioria deles eram 1º ou 2º tenentes em 1964, portanto não tinham as informações dos coronéis e generais sobre a organização e o andamento do golpe militar) que dizem por aí que a sociedade foi aos quartéis para pedir para derrubar o João Goulart porque ele era comunista! Que sociedade foi essa que foi nos quartéis chamar os militares para derrubar o João Goulart? Só se foi a sociedade da CIA, do IBAD, do IPES, da ADEP e da Cruzada Militar Os militares demitiram, cassaram, perseguiram, prenderam, torturaram, desapareceram e mataram tanta gente, mas, como incompetentes que eram (eles sim destruíram a economia do Brasil), deixaram até os seus próprios salários defasarem e foi somente no governo do presidente Lula que melhorou esses salários, isto é, cerca de 50 anos depois. Ah, acabou que o Lula pagou toda dívida do FMI! Quanto a falação dos amantes da ditadura militar, que criticam os casos de corrupção no governo Dilma, que bom que eles possam falar porque, estamos todos em um regime democrático. No governo deles quem se atreveria a denunciar corrupção seria morto em praça pública! Imaginem alguém denunciar na ditadura militar o escandaloso super-faturamento da construção da Ponte Rio-Niterói, do ministro-coronel Mario Andreazza e principalmente, o maior escândalo no Brasil até hoje de super-faturamento, que foi o da construção da represa de Itaipu que consumiu cerca de 39 bilhões de dólares, o que dava para construir duas represas! E naquele tempo o dólar era muito mais valorizado do que hoje! Mas como era uma ditadura sanguinária, ninguém podia denunciar nada porque na mídia os senhores ditadores vendiam uma imagem de “santos” e “super-honestos.” Se prendia, se torturava e se matava por muito menos do que isso! Acessem na internet o documentário do jornalista Flavio Tavares “O dia que virou 21 anos” com vídeos feitos pelo governo americano, onde tem até exigência do Lindon Johnson de que todos os partidários do João Goulart deveriam ser presos e surrados, logo após a sua derrubada! O sinal aberto para as perseguições, para cassações, prisões ilegais, para as torturas e mortes na ditadura militar no Brasil!

  • Pois é…o roteiro está feito e montado.Pronto para as luzes e ação…e o PT ,quieto.Acham, que se esconder a cabeça, vão aliviar o golpe.Até nos blogs espiritualistas a figura de Lula aparece…acabou o inimigo comum(comunistas)e foi criado um outro inimigo comum…petistas.Que o Pt e a Dilma,consigam mudar o cenário.Só o controle remoto não vai ajudar!

    • Perfeito Regina, os artistas globais do STF chamaram o PT de mafiosos, quadrilha, etc e tudo ficou por isto mesmo, sómente umas timidas declarações isoladas. Alias, não falaram que a CUT iria para as ruas em caso de condenação do Dirceu?????????????????????????????????????????????

  • estou ROXO de raiva…
    com azia!!!!
    se pudesse voltar no tempo e por uma bala na cabeças deles ANTES de crescerem(ainda crianças) e transformarem o Brasil no inferno da ditadura???
    e se para isso eu tivesse que morrer???
    Mataria como alagoano, “com um sorriso nos lábios!!!”
    Estou possesso!!!!

  • É EXATAMENTE A MESMA PRÁTICA, OS MESMOS MÉTODOS, A MESMA SABOTAGEM, OS MESMOS INTERESSES CONTRARIADOS, O MESMO DESEJO DE INDEPENDÊNCIA QUE TENTAM SUFOCAR. E NÃO APENAS EM 64 E AGORA, MAS MESMO ANTES; NA TENTATIVA DE DEPOSIÇÃO QUE LEVOU AO SUICÍDIO DE GETÚLIO E NA PERSEGUIÇÃO A JUSCELINO(SEM CONTAR AS INÚMERAS SABOTAGENS DOS INGLESES NO SÉCULO XIX, QUE IMPEDIRAM QUE TIVÉSSEMOS PRIMEIRO UMA INDEPENDÊNCIA E DEPOIS UMA REPÚBLICA CAPAZES DE INICIAR A CONSTRUÇÃO DE UMA NAÇÃO LIVRE E SOBERANA). EM TODOS ESSES EPISÓDIOS, TÃO OU MAIS IMPORTANTE DO QUE AS AÇÕES PRÁTICAS, É A CONSTRUÇÃO DO QUE NO DOCUMENTÁRIO FOI CHAMADO DE “CLIMA” PARA O GOLPE, OU SEJA, O ARCABOUÇO MENTAL E IDEOLÓGICO CAPAZ DE JUSTIFICAR, DE TORNAR PALATÁVEL, DE LEGALIZAR OS DESMANDOS E AS BARRBARIDADES PRATICADAS PELOS ESTADUNIDENSES E POR NOSSA ELITE CANALHA PARA PRESERVAREM SEUS PRIVÉLIGOS NABABESCOS ÀS CUSTAS DA MISÉRIA DE MILHÕES. ARCABOUÇO MENTAL E IDEOLÓGICO EM QUE, DIGA-SE DE PASSAGEM, SEUS “CONSTRUTORES” ACABAM EXERCENDO O DUPLO PAPEL DE AUTORES E PERSONAGENS(CONFORME REFERE-SE MARILENA CHAUÍ EM SEU CONCEITO DE IDEOLOGIA). PARA SER MAIS PRECISO, VAMOS AO CASO DE LICON GORDON : É EVIDENTE QUE ELE NO FUNDO SABIA QUE GOULARTH; UM FAZENDEIRO RICO; NÃO TINHA NENHUM INTERESSE, E NEM CONDIÇÕES POLÍTICAS E SOCIOLÓGICAS PARA TRANSFORMAR O BRASIL NUM PAÍS COMUNISTA. GORDON SEMPRE SOUBE QUE A GRANDE “AFRONTA” DE GOULARTH E BRIZOLA ERA TENTAR TRANSFORMAR O BRASIL NUMA NAÇÃO SOBERANA, JUSTA, COM DESENVOLVIMENTO AUTÔNOMO, INDEPENDENTE E DEMOCRÁTICO, VOLTADO PARA A INCLUSÃO DOS SEUS CIDADÃOS. CONTUDO, ISSO CONTRARIAVA OS INTERESSES DAS MULTINACIONAISNAIS DO CAPITALISMO IANQUE(O EXEMPLO DA RENOVAÇÃO DAS CONCESSIONÁRIAS DE ENERGIUA É PERFEITO)E ERAM DESSES INTERESSES QUE GORDON E O VERME DO KENNEDY ERAM MEROS DESPACHANTES. CONTUDO ERA NECESSÁRIO “ILUMINAR” SEUS OBJETIVOS COM UMA JUSTIFICATIVA IDEOLÓGICA, SERVE NÃO SOMENTE PARA “NOBILIAR-LHES”, MAS PRINCIPALMENTE PARA DESPERTAR PRECONCEITOS QUE ESTIMULAM A IRA IRRACIONAL ,E POR ISSO CONSEGUEM FACILMENTE AS ADESÕES DAS PESSOAS. NESSE INTUITO, A HISTERIA ANTICOMUNISTA, JÁ COMUM NA SOCIEDADE IANQUE DESDE A ÉPOCA DOS MARCARTISMO, CAIU COMO UMA LUVA(ALIMENTADA POR MENTIRAS ABSURDAS, MUITO BEM PAGAS, COMO A DAQUELE POLÍTICO BRASILEIRO QUE DECLARA A INSANIDADE DE QUE O BRASIL DEFENDERIA MILITARMENTE CUBA NO CASO DE UM ATAQUE IANQUE, ATAQUE QUE OCORREU EM 1963, SENDO OS EUA DERROTADOS SEM QUE O BRASIL SE METESSE). É CLARO QUE GORDON TAMBÉM NECESSITA DE SUAS PRÓPRIAS JUSTIFICATIVAS INTERIORES E TEM SEUS PRÓPRIOS PRECONCEITOS, ASSIM ACABA POR ACREDITAR NA PROPAGANDA HISTÉRICA DA QUAL FOI UM DOS DIVULGADORES, NUM PROCESSO DIALÉTICO QUE MISTURA AMBIÇÕES, DEFESA DE INTERESSES E PRECONCEITOS E AJUDA-NOS A ENTENDER COMO ALGUÉM PODE SER TÃO MÍOPE AO ANALISAR UMA REALIDADE, NÃO SOMENTE NAQUELA ÉPOCA, MAS TAMBÉM NA ATUALÇIDADE(ALGUÉM SE LEMBRA DO RETRATO TRAÇADO NÃO SOMENTE DO BRASIL, MAS DE DIVERSOS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA, NOS DOCUMENTOS SECRETOS DO GOVERNO IANQUE, VAZADOS PELO WIKEALKS EM 2010 E 2011, QUE MOSTRAVAM NOSSA PAÍS E NOSSA REGIÃO DE UMA MANEIRA AINDA MAIS TORTA DO QUE A VISTA NA GLOBO, POR EXEMPLO; E FAZIAM “PREVISÕES” SOBRE NOSSO FUTURO PRÓXIMO QUE PARECIAM SAÍDAS DOS COMENTÁRIOS DE MÍRIAN LEITÃO – DIZIAM QUE DILMA NÃO TERIA A MENOR CHANCE DE SER ELEITA; QUE A FALÊNCIA ECONÔMICA DA VENEZUELA DERRUBARIUA CHÁVEZ; QUE A ARGENTINA ESTAVA PRESTES A RETIRAR CRISTINA KIRCHNER DO PODER; E EVIDENTEMENTE NÃO SE CONFIRMARAM NA REALIDADE. É ESSE JOGO ENTRE INTERESSES E PRECONCEITOS QUE EXPLICA OS ABSURDOS RELINCHADOS POR EXEMPLO PELOS “JORNALISTAS” AMESTRADOS DO BARÕES MIDIÁTICOS, QUE AGORA, DO MESMO MODO QUE NO PASSADO, PODEM ATÉ “ACREDITAR” NO QUE SEUS PRECONCEITOS LHES APONTAM, MAS SÃO OBVIAMENTE MUITO BEM PAGOS PARA FAZÊ-LO, JÁ QUE SE NÃO BASTASSE O GRAU DE TORPEZA DE SUAS OIPINIÕES, CHEGAM AOS NÍVEIS GOLPISTAS DA MENTIRA EXPLÍCITA, DA TRAPAÇA E DA INJUSTIFICÁVEL DISTORÇÃO DE FATOS QUE MOSTRA O QUANTO SÃO COMANDADOS POR INTERESSES GOLPISTAS, E RECEBEM MUITO PARA FAZÊ-LO, JÁ QUE ADENTRAM POR PRÁTICAS DE GUERRA EXPLÍCITA CONTRA O GOVERNO. EVIDENTEMENTE SE OS LACAIOS ESTÃO SENDO FINANCIADOS, MAIS AINDA O ESTÃO SEUS PATRÕES(COMO NO PASSADO, NÃO SE ENCONTRA UM MINUTO DE PROGRAMAÇÃO RADIOFÔNICA NESTE PAÍS NO QUAL UM VEÍCULO DA MÍDIA CONSERVADORA FIQUE SEM ATACAR LULA, JOSÉ DIRCEU, JOSÉ GENOÍNO, OS MOVIMENTOS SOCIAIS, O PT, OS SINDICATOS). COMO BEM DITO POR PLÍNIO DE ARRUDA SAMPAIO(QUE INFELIZMENTE AGORA ACEITOU PARTICIPAR DO JOGO DO QUAL RECUSOU-SE NOS ANOS 60, AO APOIAR SERRA NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS E COM ISSO MANCHAR SUA BIOGRAFIA PARA SEMPRE), O OBJETIVO NO PASSADO ERA IMPEDIR GOULARTH DE PARTICIPAR DAS ELEIÇÕES DE 65(COMO CANDIDATO OU APOIANDO ALGUÉM), DO MESMO MODO O QUE SE PRETENDE AGORA É IMPEDIR LULA DE PARTICIPAR DAS ELEIÇÕE S DE 2014; COMO CANDIDATO OU O MAIS PROVÁVEL, APOIANDO DILMA). PARA ISSO É NECESSÁRIO ENCARCERÁ-LO, TRANSFORMANDO EM “PALATÁVEIS” AS MAIS ABSURDOS ACUSAÇÕES FABRICADAS PELA MÍDIA, OU SEJA, É A NOVA VERSÃO DO GOLPE ATRAVÉS DA CRIMINALIZAÇÃO DESPÓTICA DE UM LÍDER POLÍTICO, PRÁTICA QUE ANTECEDERÁ O GOLPE FINAL, QUE SERÁ O IMPEDIMENTO DA PRESIDENTA. COMO NO PASSADO, A REALIDADE NÃO CONFIRMA EM NADA OS DISPARATES DOS CONSERVADORES, E PARA MOLDÁ-LA JÁ COLOCARAM EM AÇÃO SUA MÁQUINA MIDIÁTICA DE PROPAGANDA. TODAVIA, AO CONTRÁRIO DO PASSADO, QUE ATÉ ORGANIZOU UMA REISTÊNCIA, MAS DE FORMA INCIPIENTE E POUCO COESA; TEMOS QUE REAGIR IMEDIATAMENTE A ESSE GOLPE EM CURSO. ESTÁ NA HORA DA MÍDIA ALTERNATIVA CONCLAMAR AS FORÇAS SOCIAIS PARA SAÍREM ÀS RUAS. SINDICATOS, MOVIMENTO ESTUDANTIL, MOVIMENTOS SOCIAIS, PARTIDOS POLÍTICOS, ORGANIZAÇÕES CIVIS NÃO PODEM ESPERAR QUE O GOLPE GANHE DIMENSÕES AMPLIADAS, NÃO PODEMOS COMEÇAR A REAGIR QUANDO LULA JÁ ESTIVER PRESTES A SER DERRUBADO, TEMOS QUE COMEÇAR IMEDIATAMENTE A MOSTRAR O ABSURDO QUE A DIREITA MIDIÁTICA USA PARA ATACAR O MAIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA DESTE PAÍS, PROCURANDO DESTRUÍ-LO, TENTANDO CRIMINALIZAR AQUELE QUE COMANDA AS FORÇA POLÍTICAS AS QUAIS NÃO CONSEGUE IMPOR-SE NO DEBATE DE IDEIAS, E POR ISSO PRETENDE FAZÊ-LO PELA FORÇA, JÁ QUE NO EMBATE DE IDEIAS OS CONSERVADORES TERIAM QUE REVELAR QUE SEU PROJETO DESTINA-SE À EXCLUSÃO DE MILHÕES DE BRASILERIOS. É HORA DE IRMOS PARA AS RUAS, MOSTRANDO O QUE ESSA GENTE PRETENDEM ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS PARA IMPEDIRMOS QUE NOVAMENTE ROUBEM NOSSO FUTURO

  • Então Edu.

    A mídia gorda,o Judiciário e os partidinhos vão dar, sim um novo Golpe de Estado
    que chamarão de Revolução de 14, agora, depois que o companheiro de 70 anos,
    o Sr. Iukio Hasegawa, o qual nos devemos respeitar e muito, no chamou para partimos
    para cima da mídia, e nos não demos a mínima importancia, então nos somos masoquistas
    sim Sr, e vamos sentar e aguardar o Golpe em cima da Dilma, e depois compraremos lenços.

  • Prezado Eduardo e seguidores do Cidadania.
    Se não me engano, financiado pelos norte americanos havia também o IBAD – Instituto Brasileiro de Ação Democratica que por longos anos editou e distribuia gratuitamente uma revista que “fazia a cabeça” do povo contra os governantes brasileiros da época.

  • Edu, se não me falha a memória, o extinto jornal “Gazeta Mercantil” publicou uma matéria com o Lincoln Gordon (isso no final dos anos 1990 ou começo dos anos 2000), onde o próprio declarava que o golpe de 1964 teve ativa participação dos EUA. Isso destacado em primeira página. Pois é, um povo sem memória é um perigo!

  • “Qualquer semelhança com o que se passa hoje não é mera coincidência”. A diferença está na época que vivemos.
    .
    Se antes só o PiG falava e conduzia as opiniões e Kennedy dava todo o apoio para isso ( através de seu embaixador), atualmente o PiG, apesar de ainda ser forte, não fala sozinho. Temos blogs, redes sociais, twitter, internet em geral, Record, Carta Capital, uma aliança grande no Congresso, um ex-presidente amplamente aprovado por dezenas de milhões de brasileiros ( e com muita força social e carisma), uma presidenta muito bem avaliada e um povo que não dá para o PiG a importância que o PiG acha que tem, haja vista o fracasso eleitoral do “mensalão” no qual o PiG tanto confiava).
    .
    E, ao que me consta, Obama tem seus próprios problemas e, de qquer forma, não me parece nem um pouco entusiasmado em patrocinar um golpe à direita no Brasil.
    .
    Existe o risco de golpe judiciário, sim, mas digo que não será nada fácil, aliás, será dificílimo para a direitada conseguir isso. Não basta o Gurgel aprovar o que o Valério disse, o Barbosa concordar e o STF e alguns de seus “juízes” julgarem ( considerando que serão maioria numa tal “votação’) e todos, governo, parlamentares, blogosfera, redes sociais, twitter, centrais sindicais, o povo em geral, ficaremos paradinhos, assistindo, aceitando e acatando tal “decisão”. Muito antes disso, bem no comecinho da tentativa mais explícita de tal golpe, já estaremos nos movimentando num contra-ataque.
    .
    Vai esperando, PiG e direitada ( judiciária). Parafraseando o Eduardo, “que venham, pois vão ter resposta e bem à altura”, será daí pra mais… Como diz a já comentada expressão, “mexeu com Lula, mexeu conosco”.

  • Muito bacana que os leitores estejam indicando vários livros que relatam esses fatos históricos.

    Como lembrou o Eduardo, João Goulart era muito popular e tinha boa aprovação de seu governo. Hoje sabemos disso porque temos acesso a dados de uma pesquisa Ibope feita na época, e não divulgada (por motivos óbvios).

    Além do mais, se o governo fosse mesmo impopular, bastaria derrotá-lo nas urnas. Mas os a CIA e o Pentágono sabiam que isso era quase impossível.

    • Muito bom este post. Principalmente o efeito produzido na maioria dos comentaristas. Uma indignação que se alastrou, pela convergência de ideias, a citação de mais outras ideias, livros, artigos e filmes. Onde você encontraria o milagre da opinião se construindo tão rapidamente e em uma dinâmica de espantar senão na blogosfera? Que viva e cresça ainda mais a blogosfera dita progresssista. Este ambiente pode fazer a diferença na luta contra o golpismo crescente na cena política que hoje vivemos. A velha imprensa, a soldo da direita, vai encontrar muita resistência para as suas tramas golpistas se a blogosfera continuar neste crescendo de influência no debate político, até para compensar a passividade do PT, partido que lidera este projeto político tão hostil aos interesses da direita, tão decadente e cada vez mais sem votos.

        • Se o PT não age,agimos nós,em lugar do PT.Mesmo com sacrificio de horas de lazer e sono.Porque o futuro de nosso pais e não estamos falando de qualquer pais,mas de um pais continente,lider inconteste do continente sul americano,é muito mais importante do que nossos eventuais achaques.Para o lado que for o Brasil,irá toda a America do Sul.Porque ou as republicas sul americanas se submetem à zona de influencia do Brasil ou se submetem à zona de influencia do Brasil,caso queiram ter futuro, como nações soberanas,caso contrario é cair na zona de influencia dos EUA e se transformarem em meras colonias produtoras de materias primas para consumidores da República do Norte.

  • A influência externa no Brasil, ou melhor, contra o Brasil, está cada vez mais descarada e explícita,como essa ação orquestrada e uníssona da mídia,contra tudo que se faz para o progresso do país. Um exemplo significativo é a campanha massiva contra a construção de usinas hidroelétricas, que produzem energia limpa e barata depois da amortização dos investimentos. As forças nacionais e nacionalistas não podem ficar imóveis. Não é possível que os poderes executivo e legislativos se submetam passivamente a um judiciário que fere a constituição e a uma mídia claramente antipatriótica. Executivo e legislativo têm que agir rápida e enérgicamente e exigir o cumprimento da lei. Não é possível que fiquem de joelhos para uma dúzia de indivíduos que interpretam como querem a carta magna, sem reação, sem exigência alguma de coerência e tratamento igual para crimes ou desvios iguais. ACORDA PT E SEUS ALIADOS , ACORDA CONGRESSO NACIONAL. Não fiquem de joelhos esperando a guilhotina!!!!!!!!!!!

  • Impressiona. Pelo que aconteceu e pela semelhança com o que acontece hoje no Brasil. O pior é ficar assistindo tudo sem que se faça algo para estancar esse proceso. A diferença de hoje é a judicialização da politica no lugar dos militares.

  • Quando da implantação da TV Brasil, em 2007, lembro-me perfeitamente que o PSDB/DEM fizeram forte oposição.
    Mas só agora entendo o porquê…

  • Portugal, Inglaterra e/ou EUA, verdade mesmo é que hoje importa-nos a CHINA ..e com a nossa falta de inciativa, com o câmbio no chão e as reformas que nunca chegam, convenhamos, potencialmente retardatários, continuaremos correndo um sério risco de ver outras Nações ditarem o nosso destino.

    Sobre o MENSALÃO, parece mesmo que o termo genérico cunhado por BOB Jeferson (o canalha) encontrou acolhimento e hoje, como posso ver, esta sendo usado pra qualificar toda e qualquer atitude VIL que homens públicos venais de espírito privado constantemente se permitem, ou pra permanecerem sem compromisso e/ou consequência no poder, enricando a si e/aos seus, ou enquanto oferecem ao seu povo palavras e promessas vazias, quando não, sem nenhuma perspectiva de serem cumpridas.

    ps 1 – Paulo Maluf (PP) e Jose Sarney (PMDB), hoje progressistas, muito provavelmente poderiam ser classificados, já naquele tempo, como mensaleiros ..que ironia ?!

    ps 2 – quanto a JANGO, desculpe, mas se hoje, com tanta comunicação, político que é político NÃO fala e nem é cobrado por nada, DUVIDO que ele tenha dito ao povo o que ele “defendia” e que pretendia ..ademais, enquanto o presidente fugitivo tinha 2 milhões de votos de diferença sobre seu opoente, o vice, eleito, Jango (cargo que desde aquela época NÃO tinha função nem importância) conseguiu apenas 200 mil votos de vantagem, caracterizando aqui que o tal “apoio” não era em nada consistente, nem retumbante, quanto menos, transparente.
    ]
    ..verdade mesmo é que tanto a revolução, como a contra “rebolucion” eram e foram feitas SEM o consentimento e anuência do povo ..este que hoje, como dantes, geralmente não é levado em consideração pra quase nada.

  • Histórico post, Edu.
    PERFEITO.
    E o antológico documentario “O Dia Que Durou 21 Anos” deveria ser exibido DIARIAMENTE, em contínuo, por anos a fio, que fosse pelas Tv Brasil e Tv Escola do MEC, além de disponibilizado em DVDs – gratuitos e bancados pelo proprio governo federal, até que grande parte da população tivesse conhecimento do mesmo.
    Ou, melhor: o governo Federal deveria usar sua prerrogativa de rede de radio e tv e transmiti-lo, inclusive pela famigerada rede Golpe, globo – digo, em horario nobre. Seria um sucesso! A midia “livre” (ou BANDIDA, melhor dizendo), iria estrebuchar e babar de ódio…

    Basta de sermos o quintal dos inimigos do Norte. Porque, amigos, sabemos que eles não o são…

    Eu me dei ao trabaalho de gravar o doc quando exibido pela Tv Brasil no passado ano e fiz eu mesmo um DVD, o qual distribui aos amigos, alguns colegas e parentes. É espetacular.

    Abraço, boas vendas, e muita saúde à Familia Guimarães!

  • Edu, curioso foram alguns comentários dos pistoleiros da globo sobre a eleição dos EUA.
    Um exemplo foi o de jabor torcendo pela vitória de OBAMA. Certamente ele já sabia da im-
    possibilidade de vitória de ROMNEY, por isso fazia aquele falso discurso apoiando as
    reformas sociais de OBAMA e “torcendo” pela sua vitória. Soou tão mal que na hora deu
    pra perceber que tinha algo estranho no ar; certamente foi pra tentar passar para a sociedade
    brasileira que eles não são golpista e de ultra-direita.

  • O golpe em marcha, mais uma vêz, agora no “modelo a lá Paraguai”.

    A ponta de lança é o STF, ou a “revolta dos sem-voto” da direita.

    José Dirceu acusa Joaquim Barbosa de “populismo jurídico” e diz que “não estamos no absolutismo real”
    publicado em 8 de novembro de 2012 às 22:41

    O que justifica?

    José Dirceu, via e-mail de assessoria

    08/11/ 2012

    A decisão do relator Joaquim Barbosa de apreender os passaportes dos réus da Ação Penal 470 é puro populismo jurídico e uma séria violação aos direitos dos réus ainda não condenados, uma vez que o julgamento não acabou e a sentença não transitou em julgado. Cabem recursos mesmo após a publicação do acórdão. Mostra-se também exagerada porque todos os réus estão presentes por meio de seus advogados legalmente constituídos e em nenhum momento obstruíram ou deixaram de atender as exigências legais.

    Mas o mais grave são os argumentos para tal decisão, alegando que os réus adotaram comportamento incompatível e desrespeitoso com o Supremo. O ministro sustenta o pedido de recolhimento dos passaportes porque dois réus – antes de serem condenados – viajaram para o exterior e voltaram normalmente. Afirmou ainda em seu despacho que alguns réus “deram a impressão de serem pessoas fora do alcance da lei” com atitudes que afrontariam o Supremo Tribunal Federal.

    Ou seja, os argumentos cerceiam a liberdade de expressão e são uma tentativa de constranger e censurar, como se os réus não pudessem se defender e, mesmo condenados, continuarem a luta pela revisão de suas sentenças.

    É importante ressaltar que eu nunca me manifestei sobre o mérito dos votos dos ministros ou sobre a legitimidade e o respeito à corte. Sempre respeitei as decisões do Supremo Tribunal Federal, uma vez que lutei pela nossa democracia, mesmo com risco à minha própria vida.

    Nada vai me impedir de me defender em todos os foros jurídicos e instituições políticas. Mesmo condenado e apenado, não abro mão de meus direitos e garantias individuais – do direito de me expressar e contraditar o julgamento e minha condenação.

    Nenhum ministro encarna o Poder Judiciário – não estamos no absolutismo real. Nenhum ministro encarna a nação ou o povo – não estamos numa ditadura. Mesmo acatando a decisão, tenho o direito de me expressar diante de uma tentativa de intimidar os réus, cercear o direito de defesa e expor os demais ministros ao clamor popular instigado, via holofotes de certa mídia, nestes quase quatro meses de julgamento

  • Estou vivendo ha anos fora, embora passe uns quatro meses no Brasil, todos os anos. Sou obrigada a acompanhar as noticias pelos grandes jornais na internet, e o faço diariamente. Mas de uns tempos pra ca, é nos blogs, como o seu, que consigo me inteirar realmente da realidade brasileira.
    Não sou neofita, em cultura politica ou em historia do Brasil, mas esse seu post de hoje é PRECIOSO, pela quantidade de informações, inclusive as adicionadas pelos comentarios de alto nivel !

    Precioso sobretudo pela ligação feita com a palavra Mensalão do titulo, pela analogia que o artigo e o filme fazem com o momento nosso, em que muitos engolem o propagado (pelo Pig) “escândalo do século”, e vemos essa escalada sinistra se repetindo (bato na madeira).

    Não quero dizer que o blog deva ser ditatorial com criticas e discordâncias, mas uma certa “triagem”, que nos livre de certos “perfeitos idiotas”, como aqueles com os quais você (nomalmente tão diplomatico) perdeu a paciência no post anterior, acho que é benvinda. Parece que foi o titulo que os atraiu.

    Mesmo que o momento não seja prazeiroso, é um prazer compartilha-lo com com quem tem o mesmo desprazer.
    Parabéns pelo seu trabalho, é um prazer lê-lo todos os dias,

  • Reassisti a este documentário esta semana, também assisti ao que fala sobre a consipiração para derrubar Vargas e me veio à mente a mesma coisa que veio à sua, Eduardo. Também assisti ao do Marighella, do Sílvio Tendler. O que me chamou a atenção é que as figuras da direita, os estereótipos, o domíno da mente do país pela manipulação das notícias, ou seja, as pessoas são as mesmas, algumas podem até ter morrido, mas seus sucessores permanecem com a mesma ideologia preconceituosa, mesquinha, dissimulada e que não querem o avanço do país.

    Esta foi uma semana que assisti a outros, também, inclusive dois que falam sobre racismo; um da BBC, focando o racismo na Europa, Ásia, África, EU e América Latina e um outro do Tendler abordando as mudanças sociais e os racismos ao negro e ao judeu. Enfim, não faço ideia de como e quando a humanidade caminnhará na construção de um mundo melhor, mas o que entendo é que, a sociedade precisa acordar e ser mais participativa nas decisões que lhes dizem respeito. Há instituições que não apenas precisam ser transformadas, mas outras que precisam por fim, precisam deixar de existir, pois são mantenedoras de preconceito e da discriminação.

    Não sei como o Brasil sairá disto, mas quem controla mentes e pensamentos do povo brasileiro há mais de séculos e, a partir da tv, há mais de quarenta anos, precisa ser abortada suas formas ideológicas mesquinhas e segregadoras. Enfim, se o Brasil não acordar, correremos o risco de termos novamente, adequados aos nossos dias, um outro golpe.

  • Prezado Eduardo: Complementando ARTHUR/WALTER (22:41) Uma boa parte dos recursos para construir a ponte Rio/Niteroi foi retirada- desviada – da previdência social.A partir daquela época a previdência social passou a ser deficitária. Essa é a razão de que muitos desejam que o teto dos benefícios da previdência seja mantido em nível baixo para que os que desejam se aposentarem com um salário melhor, recorrarm à aposentadoria complementar, ou seja, previdência privada. Eu mesmo entrei pelo cano, viví na própria pele essa mentira e exploração. Paguei por mais de 20 anos um plano de aposentadoria complementar e quando fui verificar a quanto tinha direito de complemento, não chegava sequer a um salário mínimo. E olha que eu pagava uma boa grana por aquela porcaria, muito, muito mesmo, maior do que um salário mínimo. O caso está sendo assim em todo o mundo: 1° – criticam o Estado por interferir na atividade econômica, ou no jargão desta nossa época, o Estado inteferindo na vida das pessoas. 2°- recebem financiamento do Estado e não pagam. 3° – quebram as empresas para não pagarem ao Estado aquilo que foi tomado como financiamento.4° -recorrem ao Estado para salvar as empresas que eles(os “empresários e executivos do mais alto nível” quebraram. 5° – aí empobrecem a população com o desemprego e baixos salários, começando com a alegação de que precisa-se diminuir as contribuições sociais para baixar o custo da folha de pagamento se não “não conseguiremos enfrentar a concorrência estrangeira”.Vejam que estes projetos já estão sendo analisados no congresso nacional. 6° – diminuindo e paralisando a atividade econômica obriga o governo a voltar a tomar empréstimo ao FMI,Banco Mundial, Clube de Paris e outros agiotas internacionais , co sede em Nova York, Londres, Paris e Berlim e Frankfurt. 7° -Esse é o que os golpistas estão querendo que aconteça. É por isso que o governo do PT não presta

  • Prezado Eduardo

    Ainda não vi o documentário, mas a sua análise não está completa e muito provavelmente o documentário também não esteja, já que não falou do IBAD – Instituto Brasileiro de Ação Democrática – uma das origens da movimentação golpista voltada especificamente para a corrupção eleitoral e parlamentar. (vide http://pt.wikipedia.org/wiki/Instituto_Brasileiro_de_Ação_Democrática e http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/NaPresidenciaRepublica/O_Instituto_Brasileiro_de_Acao_Democratica). Concordo contigo que, neste momento devemos resgatar a história para tentar transformar o limão, que foi o golpe do supremo/midia, numa limonada que pode ser a ampliação da discussão sobre o financiamento público das campanhas eleitorais. E para isto considero fundamental a recuperação do que foi o IBAD e de seu papel no longo dia de 21 anos.

  • sugiro trocar todos os nomes de praças, ruas,avenidas, cidades e outros logradouros no brasil inteiro, de presidente john kennedy para vice presidente jose de alencar. Tenho certeza que do lado de lá não existe nada como presidente getulio vargas ou outro.
    nossa historia precisa de nacionalismo.

  • Prezado Edu
    Hoje é mais fácil e mais barato. Corrompem o JUDICIÁRIO (além da imprensa, é claro). O circo armado no STF (juiz bonzinho versus juiz mauzinho) e os parvos votando contra ou a favor das “punições” e “penalidades” dos acusados… É o espetáculo circense do século para divertir a “crasse mérdia” ignorante e devidamenbte desinformada pela mídia venal.
    É o “show” do mensalão! Condenam o ZD, o Delúbio e o Genoíno que lutaram contra a ditadura MILICANALHA “made in USA” e libertam ladrões e criminosos condenados como o Abdelmassih, o Cacciola e o Daniel Dantas, entre outros. Quer circo maior e mais corrupto que esse?
    E a farsa para agradar a “crasse mérdia” ainda não acabou… Querem o Grande Prêmio! Lula!
    Se não formos para as ruas isso VAI ACONTECER.
    Abraço
    Castor

  • Fora de pauta.

    Rapaz, eu fiquei impressionado com a mente humana, o quanto ela pode ficar bitolada e intransigente.

    Eu falava sobre a diminuição dos juros provocada pelos bancos estatais, que forçou os bancos privados a baixarem os seus juros. Em conversa com um senhor, gente boa até, é um colega de trabalho e que cumpre bem suas coisas, mas altamente direitista, ele foi ouvindo, parecendo até concordar, chegou a dizer que o Santander tá com uma mensalidade de R$ 32,00, e que os bancos estão inflacionando a mensalidade. Daí eu disse que tenho conta no Banco do Brasil e no Itaú, no Banco do Brasil a mensalidade tinha permanecido em R$ 8,00 e no Itaú, estava em R$ 13,00. Aí, o impressionante aconteceu, parece que nada do que foi dito antes valeu, ele começou a dizer que o Banco do Brasil estava aumentando tudo para pagar o Bolsa Família e dar dinheiro para vagabundo.

    Deixei então ele falar mais só para ver onde esta conversa ia dar. Então ele começou a esculhambar o aumento que os vereadores daqui se deram, que foi de 45%. Eu disse que isto está previsto na constituição e nas leis, posso até não concordar com o total, mas entendo que um político tenha que ter um valor maior para compensar a falta de trabalho que terá após o mandato, mas está lá. Ele olhou meio reticente para mim. Daí, ele falou do caso de um engenheiro que ganhou uma causa em que ele tem o aumento de salário atrelado ao aumento do salário dos vereadores. Então, outro colega meu disse que para ele bastaria o salário dele aumentasse de acordo com o percentual do mínimo. Eu disse que a pretensão do governo era que o mínimo aumentasse ao ponto de igualar as classes e termos uma grande classe média. Mais uma vez, o impressionante aconteceu, o pensamento conservador se mostrou como ele é, o senhor meu colega disse que o PT quer socializar a mizéria, e que o PT deveria ser banido da política.

    Continuando, aí é que ele deslanchou suas idéias bitoladas e conservadoras. Falou do mensalão, que era para acabar com o PT de vez e que agora era a hora de pegar Lula, eu o interrompi e falei que estava para vir o mensalão do PSDB, mas parece que ele nem ouviu, então ele largou a grande pérola, que ainda não tinha lido a veja para saber das últimas revelações de Valério, que jogava Lula na fogueira, que mostrava que Lula chantageava, que deve ter mandado matar Celso Daniel e que tinha dinheiro fora do país, falou do filho de Lula e da foto da fazenda dele, eu o interrompi, e disse que a foto da fazenda era de um instituto, daí ele me disse, “-que nada, é a fazendo do filho dele”.

    Pois é, este é um autêntico direitista, vota em ACM Neto que disse que ia ampliar o bolsa família, mas é contra o bolsa família, que segundo ele, subtrai o dinheiro dele… já que ACM Neto disse isto, então ele deveria não ter votado nele…

  • Perfeito Edu, vamos recontar a história do Brasil, a verdadeira porque até agora só tivemos manipulações. E falando em mensalão lembrei-me do famigerado Baneser aqui em SP, aquele cabidaço que o Quércia criou para abrigar seus acóllitos e que levou o Banespa à quase falência, pois era dali que saiam os recursos.

  • Oi Eduardo!
    Parabéns!!

    Você realmente faz um trabalho de imensa utilidade nesse blog, nas horas que se dedica a escrever ou reescrever a história do nosso querido Brasil, tão arrasado por esse tipo de manipulação!
    Sempre achei que se Jango tivesse colocado em prática todos os seus projetos, livre, nossa história seria outra, de verdadeira justiça, igualdade, distribuição de riquezas, reforma agrária, respeito e proteção ao que é aqui produzido, sem interferência ou influencias externas, etc!!
    Com Darcy Ribeiro junto nem se fala, era um sonho!

    Que seus textos possam ser espalhados aos 4 cantos, inspirando outros!

    Infelizmente os EUA exercem grande influencia em mentes demais aqui ainda, quando irão parar com essa bobagem, acordar???!!!

    Obrigada! Continue! Saúde, energia e inspiração!
    A grande mídia que temos é uma enorme tragédia.
    Abraço

  • A luta do Brasil é contra o seu proprio passado.E lutar contra o passado significa conhece lo de tal maneira que se possa reconhecer nele.É incontestavel a influencia politica do Brasil,um pais-continente,sobre os demais paises da America do Sul.Só que muito lentamente estamos nos dando conta do poderio que nós temos.Poderemos moldar o curso da historia das republicas sul americanas,nas proximas decadas,caso venhamos a reconhecer tal poderio.Esse é o nosso destino manifesto,gostemos ou não dessa expressão,principalmente se levarmos em conta que ela surgiu em um momento em que o poderio dos EUA se projetavam no mundo.E quanto à República do Norte e a nossa República,trata se de uma briga pela hegemonia no continente americano.Tanto EUA quanto Brasil,são inegavelmente dois colossos.É inegavel o poderio militar dos EUA,porem,não é por essa razão que o Brasil tem que olhar de baixo para cima a República do Norte,mas de igual para igual,Até mesmo porque nada na historia é permanente e muito menos ainda o poderio das nações.Ninguem diria no inicio do seculo XX,que o ¨imperio onde o sol nunca se põe¨(Inglaterra) chegaria ao fim em menos de cincoenta anos.As nações assim como as pessoas nascem,se desenvolvem,chegam a sua maxima potencia,começam a decair.Isso Arnold Toynbee,historiador britanico conservador,reconheceu com relação ao colapso do Imperio Britanico.O desafio a todos nós está posto e as escolhas são bem claras:ou sermos uma nação com peso nas decisões regionais e internacionais ou continuarmos como uma ridicula republiqueta de bananas sem futuro e sem identidade.

    • O maior problema é sabermos se temos lideres que estejam à altura desse momento historico que se apresenta.Se Dilma é a terceira mulher mais poderosa do mundo,que use esse poder,mesmo que em principio pareça uma atitude autoritaria,mas em beneficio do pais,de seu povo,e de um principio que não deve ser esquecido:somos uma grande nação e portanto temos de agir como uma grande nação.

  • Acredito no que você fala, vi parte do que aconteceu, mas assisti assim mesmo o vídeo. A gente não sabe tudo e talvez isso ainda seja só parte da história. Muito oportuna a memória documentada nesse instante. Fico pensando de onde viria o dinheiro hoje para nossa oposição midiática e dos partidos quase quebrados de oposição. Num mundo globalizado, mas em crise, quem seria os mais afetados com o desenvolvimento do Brasil? Os bancos e as instituições financeiras de investimentos? A mídia global, em crise também, mas em expansão avassaladora e competitiva por conta da telefonia e das novíssimas tecnologias? Sabemos que as corporações são superiores aos governos em dinheiro e poder. Quais as que devemos temer mais?
    Nessa história toda de conspiração vinda dos EUA, tem um dado irônico atual. Segundo alguns comentaristas, Obama foi eleito graças ao voto latino-americano. Será que a globalização fará das Américas uma única América latina? A imigração seria uma nova forma de revolução cultural e inclusão mundial que ultrapassa o medo e a submissão dos países outrora colonizados, hoje chamados periféricos?

  • Edu,

    Sinto tanta vergonha desse tempo e quando você me lembrou dessa fase imunda da our history fiquei com um nó na garganta. O livro do jornalista Paulo Moreira Leite, correspondente da Gazeta Mercantil em Washington, obteve um documento com a transcrição dos 28 minutos do encontro, ocorrido em 30 de junho de 1962, na Casa Branca, entre o presidente John Kennedy, o seu assessor Richard Goodwin e o embaixador americano no Brasil, Lincoln Gordon. Hoje, conhece-se até uma gravação em áudio dessa reunião. Nela, Gordon pediu autorização para apoiar a preparação de um golpe militar no Brasil e ajuda financeira para isso. Fixou em 8 milhões de dólares o necessário para derrubar Jango. Kennedy regateou e bateu o martelo em 5 milhões de dólares.

  • Edu,
    Era bom reproduzir este post seu para o E-Mail da “nossa” grande “eminência” jurídica (mas, zero de cultura histórica !), Min. Marco Aurélio de Mello, que achou a ditadura “o mal necessário”, segundo as suas próprias palavras. Outros ministros seus colegas (quase todos), também deveriam receber estas informações.

  • Prezado Eduardo: A tão famosa aliança para o progresso viava basicamente 3 coisas.
    1° – anular( e de fato conseguiu) o pan americanismo que era idéia de juscelino kubitscheck para integração da america latina e mais especificamente a américa do sul.
    2° enviar espiões para se infiltrarem na pequenas cidade e comunidades do interior do Brasil.Esses espiões tinham o bonito nome de Voluntários. Muitos ao chegarem aqui largaram a aliança para o progresso, casaram-se com brasileiros / brasileiros e foram ser professores de inglês.
    3° – procurar endividar o Estado brasileiro a fim de que vivêssemos de cócoras sob as bençãos do Tio SAM.
    Pergunto: Por que será que tem uma turma que participou do governo de FHC e está agora criticando as baixas taxas de juros no governo de PT ?

  • Bom dia.

    O Mensalão é uma mistura de política, Direitos Fiscal / Eleitoral, Fauna e Fenômeno Geográfico: Quando é nacionalizado, é do PT; quando se refere aos tucanos, passa a ser mineiro; aí ele já não é mais mensalão, é caixa-dois. Haja malabarismo, nesta sanha de enquadrar o Lula.

    Baseado (epa, FHC!) nisto, gostaria de fazer uma pequena correção: de acordo com a nomenclatura malabarística do PIG, o Mensalão cito deveria ser cognominado Mensalão novaiorquino. Fica chique. Profundamente criminoso, mas chique.

    E, além do mais, solicitar ao Meister Hariovaldo de Almeida Prado, o gaiato serapiônico da Respública, que faça um retumbante artigo enaltecendo o IPES, o IBAD e a Fundação Ford (com a gente!), pelos relevantes serviços prestados aos “irmãos” do Norte.

    Saudações obâmicas, haddádicas e luláticas,

    Morvan, Lula e que venha o STF4P, digo, Usuário Linux #433640.

  • Bom , vamos ver até aonde vai o compromisso com os fatos e se este tema é de interesse para ser debatido ou tão sómente algo unilateral e de visão parcial . Vamos aos fatos :
    – Na década de 60 , o mundo estava em plena guerra fria entre o capitalismo e o comunismo . Afirmar que tão sómente os EUA defendiam seus interesses mundo afora , realizavam ingerencias em outros paises e empreendiam ações de ineligencia para defender sua ideologia é de uma parcialidade vergonhosa . No caso do Brasil , a URSS , via Cuba , já treinava , financiava e apoiava guerrilhas no Brasil , desde o final dos anos 50 , portanto 4 anos antes do golpe militar . E , para se ater a nossa região , a ingerencia e apoio comunista em Cuba depois da revolução também é um fato irrefutável .
    – Infelizmente , a postura das ditaduras de esquerda em relação aos seus documentos sigilosos não é a mesma que a das democracis capitalistas , que após um periodo de sigilo, divulgam seus aqrquivos . Na verdade , os unciso documentos liberados pela ex URSS , foram alguns arquivos antigos da KGB que , na verdade , acabaram confirmando que os emricanos supeitos de espionarem para a URSS durante o period nos EUA , conhecido como Macarthismo , eram de fato agentes a serviços do comunismo . Então temos pelo lado dos capitalistas documentos oficiais e pelo lado das esquerdas , fofocas e achismos interesseiros .
    – Não ha como negar o viés esquerdista de Goulart , Brizola e das ligas camponesas , e , considerando novamente a guerra fria citada acima , da mesma forma que os EUA tentavam puxar a sardinha para a sua brasa , seja lá como fosse , a URSS fazia a mesma coisa .Ou será que devemos partir do hilario credo de que a URSS nada mais era do que um inocente , igenuo e bem intencionado império , movido pelas melhores intenções , que era enganado e tripudiado pelos insensíveis americanos capitalistas , rs ?
    Interessante também é criticar o fato de os EUA , para defenderem seus interesses , terem feito no Brasil , investimentos em educação , agricultura e nas Industrias brasileiras .
    – Durante a ditadura militar , a dissonancia e atritos entre o governo brasileiro e os EUA foram patentes . Desde a implementação da ampliação do território brasileiro com as 200 milhas da costa , a lei de informática e a compra das usinas nucleares da Alemanha , todas estas ações baterma frontalmente com os interesses americanos . Ao mesmo tempo, afirmar que as guerrilhas de esquerda que atuaram no país por quase 20 anos queriam implementar a democracia no Brasil também não passa de mentira crassa . Queriam sim , imnplementar a mesma ditadura comunista de Cuba , tendo os guerrilheiros se abrigado , treinado e terem suporte financeiro e logistico dem Cuba .
    – Os mesmos documentos secretos liberados pelo pentágono , bem como inclusive uma declaração no filme acima , atestam que , até o golpe militar , os EUA nao tinham nem certeza e muito menos ingerencia sobre o que estava para vir . Ouviam alguns rumores , mas só tiveram a confirmação , um dia antes do golpe .
    – Em termos de ditaduras , não ha uma unica ditadura sequer nos ultimos 60 anos na América Latina , que possa ser comparada , nem de longe , em termos de longevidade ,radicalismo , mortos gerados e violencia , à ditadura cubana . Demosntrar indignação com as ditaduras militares na América Latina e aos mesmo tempo ser passivo em relação a ditadura cubana é de uma parcialidade e alienação imressionantes .
    – Por fim , uma pergunta : Teria o Brasil vantagens ou desvantagens em frear a escalada esquerdista , a guerrilha e a tentativa de implementação de uma ditadura comunista no país ?

    • O celerado esqueceu-se de citar suas fontes: Veja, Estadão, Folha de São Paulo e o diário do Lacerda..
      Incrível que 50 anos após o golpe ainda existam rebotalhos intelectuais que usam exatamente os mesmos argumentos das senhoras católicas de antanho para justificar a ingerência americana e os golpes na América Latina.
      Só a morte para livrá-los destes laços. Pena que ela demore tanto e a gente não possa, legalmente, ajudá-la…
      Eutanásia já!

    • Que silencio interessante !! . Ele por acaso poderia ser interpretado como opção pela fantasia ao invés da realidade ou algo como , na falta de bons e factuais argumentos , é preferível deixar para lá , rs ?

      • Mas como ainda tem puxa-saco de americano nesta porra de terrinha de Santa Cruz, hein?
        É tão bom assim lá, meus caros?
        Por quê então vcs não se mudam de uma vez por todas, com passagem só de ida (que eu duvido muito que vcs consigam, dado que a raça pura norte americana não se interessa por qqer alma nascida abaixo da divisa com o México, a menos que vá pra lá lavar banheiros e cuidar de velhos enfermos ou repassar conhecimentos que tenha adquirido por conta própria…)
        Não dá pra entender, e não adianta vir com este negócio de ditadura cubana, porque nós vimos como a borracha (borracha?) comia no lombo da galera aqui por volta da década de 70.
        Não tem argumento, vitor bonini e catão, que me convença que se fôssemos ‘colonizados’ por norte americanos seria bom. Nâo tem!
        E prestem atenção ao documentário: é um deles falano deles mesmos! Será por acaso um traíra?
        E se for, estará sendo assistido por dois traíras como vocês!
        Precisa desenhar ou já entenderam?

      • Você quer ser levado a sério, Vitor? Deixe de repetir o que aprendeu no cursinho (o contexto da Guerra Fria) e estude mais. Depois, vá e faça uma crítica interna ao texto do Eduardo.

    • O burrão nem se dá conta que ao citar número de “mortos gerados pela violência” em Cuba tem, obrigatoriamente, que colocar-se diante de duas alternativas:

      1 – Ou Cuba permite que qualquer zé-ninguém saiba suas estatísticas reais de mortos e não pode ser caracterizada como ditadura;
      2 – Ou Cuba é uma ditadura sangrenta, e as estatísticas reais estariam guardadas a sete chaves e as que você se exime de mostrar são falsas.

      A menos que o jerico tenha se baseado em “contagem de corpos” (os irmão do norte são peritos nisso…) feita pela Fundação Ford ou pela USAID.
      Qual delas, burrão?

      • Puxa Scan , pela tua reação e rotulagem pareçe que este tema é meio esínhoso para voce , não é ? Voce posta uma barbaridade alienada destas e ainda se acha na posição de chamar quem seja de burrão ?
        Quanto a este absurdo da contagem de mortos resultantes da ditadura cubana , voce por acaso estaria exigindo o a testado de óbito de cada um deles , rs ? Ou nesta espantosa intelectualidade que te guia , voce gostaria de afirmar que não ha morto nenhum gerado pela ditadura cubana e que isto nada mais é do que uma invenççaõ do PIG e das oligarquias , rs ?
        E , caso o número de vítimas de fato seja um assunto delicado e obviamente carente de bons argumentos para voce , podemos debater sobre as liberdades , a democracia , a economia e o bem estra social ?

        • Primeiro me mostre as suas estatísticas sobre o assunto em pauta.
          Prove que a “contagem de corpos” em Cuba supera, “de longe” a contagem do restante da AL.
          Chame teus irmãos do north que são excelentes no mister…
          Hehehe.
          Tente a Fundação Fairfield, o DoD, o DoS e instituições reconhecidamente isentas em termos de estatísticas.
          Parece que Rand Corp também tem algumas interessantes.
          Meu deus, me pergunto o que estou fazendo aqui perdendo meu tempo com inúteis…

          • Estou te dando uma colher de chá Scan , isto é , se voce tiver mais algum tempinho nesta tua soberba agenda reservada aos intelectuais e excludente dos inúteis , rs .
            Esqueça as vítimas , vamos fazer de conta que a ditadura cubana nunca , mas nunquinha mesmo gerou uma vítima sequer .
            Me humilhe , me de uma lição de história , rebatendo e contrapondo os outros pontos do meu comentário . Alias , é a segunda vez que est burrão aqui te cobra isto e voce insiste em sabonetar , se atendo a contagem de corpos , rs .

          • Eu não quero colher de chá.
            Bastam-me as estatísticas.
            Tem ou não tem?
            Se tem, divulgue-as e mostre que Cuba não é a ditadura apregoada; se não, retire o que disse sobre contagem de corpos.
            Simples assim.
            E (bocejo), por favor (bocejo), não me venha com a velha e cansada tática (sic) de tirar o foco, aumentar a amostra e a entropia na tentativa de esconder sua ignorância sobre fato específico.
            Não cola mais: sua estirpe já levou isso à exaustão.
            Números, por favor.

    • Prez ado Vitor: TUDO sobre as razões (digamos assim…) para o golpe de 64, são suposições !!! a verdade é algumas pessoas, comprovadamente, traíram a pátria, a soldo de nação estrangeira. Pelo insignificante número de (verdadeiros!!!) comunistas presos logo após a traição, logo se vê que não era NADA daquilo…

      E sobre Cuba, onde os (lá sim!!!) revolucionários colocaram “os seus na reta” , estás completamente “por fora” do que aconteceu e do que acontece em Cuba, amigo…
      Queria eu que, em São Paulo, o estado mais rico da federação , os índices de mortalidade infantil e analfabetismo fossem iguais aos de Cuba….

  • “Jamais permitiremos o surgimento de um outro Japão, principalmente abaixo da linha do Equador”.
    Henry Kissinger – (Fürth, 27 de maio de 1923) é um diplomata usamericano, de origem judaica, que teve um papel importante na política externa dos Estados Unidos entre 1968 e 1976.
    —————————————————————————————————————————–

    “Os Estados Unidos não têm amigos. Têm interesses”.
    John Foster Dulles (Washington, 25 de Fevereiro de 1888 – Washington, 24 de Maio de 1959) foi um político usamericano, secretário de Estado, que por várias vezes participou na elaboração de vários tratados internacionais. Foi uma das figuras de destaque durante o período da Guerra Fria.
    —————————————————————————————————————————–

    Certamente, Kissinger e Dulles estavam se referindo ao Brasil. No segundo caso, Dules respondeu a um discurso de Juracy Magalhães, que falava da amizade entre os países.

    • Retiro a expressão em relação a H. Kissinger, por não concordar com ela “…de origem judaica…”. Estava na fonte onde busquei a informação e eu passei batido. Peço desculpas.

  • Prezado Eduardo.Companheiro Dimas Antonio Granado de Pádua – (11:37 horas) estamos sendo colonizados de modo sutil que pouca gente enxerga a “sinuca de bico” em que estamos entrando.Estamos fornecendo armas legais através da ONU(defensora de interesses das chamadas grandes potências).Estamos dando ouvido às ONG.Digo sem medo de exagero ou de erro.Mais de 70% dessas ONG é que estão cavando a nossa sepultura como nação unida e independente, pois elas estão a serviços de governos estrangeiros que querem nos manter colonizados e criando condições legais para a separação de parte do território brasileiro, notadamente a região norte que é rica em água, florestas e minérios.
    Sugiro a leitura dos livros abaixo.Alí podemos constatar com que fio a corda está sendo feita.
    1° Uma Demão de Verde- os laços entre os grupos ambientais, governos e grandes negócios.
    2°- Máfia Verde -Ambientalismo : Novo Colonialismo -vol.1 e 2.
    3°- América do Sul – Integração e Infraestrutura.
    Todos esses livros são da Capax Dei Editora Ltda.
    Até parece que sou vendedor de livro da Capax Dei(rss.rss,rss), mas acredite, os livros são bons e nos dão uma boa visão – os 2 primeiros indicados- sobre a safadeza dos governos estrangeiros em relação ao Brasil.

    • É inegavel a ligação entre ONGs ¨ambientalistas¨e o imperialismo anglo-americano,ja que são as verdadeiras pontas de lança de dito imperialismo.A defesa do meio ambiente hoje,mais do que nunca,esconde por tras interesses extremamente sordidos.Um imperio que cresceu à sombra da Pirataria(Inglaterra) assim como uma República que se expandiu pelo mundo atraves do suborno e da mais pura e criminosa intimidação,quando não recorrendo pura e simplesmente ao assassinato seja de Jacobo Arbenz ou de Allende ou de Saddam Hussein( ex agente da CIA e ex ditador iraquiano que por mais sanguinario que fosse merecia um julgamento no minimo justo e não um julgamento,que a exemplo do julgamento da AP 470(ou a farsa do mensalão),foi apenas uma grotesca simulação de julgamento),assim como o assassinato de Osama Bin Laden(outro ex agente da CIA eliminado como queima de arquivo),digo,um imperio que cresceu à sombra da pirataria e uma república que cresceu à sombra dos mais variados crimes,mais cedo ou mais tarde teriam que se associar,para partilhar o mundo entre si.E é isso o que Estados Unidos e Inglaterra fazem,seja no continente Africano,no Oriente Proximo ou no Extremo Oriente ou mesmo na America Latina.Eo destino dos povos desses continentes?Para tal Imperialismo tais povos,como os respectivos paises,são descartaveis.Use,abuse e depois jogue fora.

      • Dimas, com esses ‘dados’ vc quebra as pernas da ‘moçada’ do hallowen….
        moderador, com licença…..KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Eduardo Guimarães,

    peço-lhe encarecidamente: por favor deixe esse post – o Mensalão ianque – por mais seis meses em destaque entre os posts mais recentes. E’ correto lembrar do governo Vargas como o inicio do golpe de 64 , como fez ARTHUR/WALTER. Chomsky escreveu que em 1950, num encontro de Embaixadores latino-americanos, o estratega politico George Kennan, advertiu os presentes ”a maior preocupação dos EUA é proteção das nossas (isto é, da A. Latina) matérias-primas. Devemos combater a heresia que o governo tem responsabilidade direta pelo bem do povo. Isso é comunismo, seja qual for a real opinião dos que a defendem”. Kennan explicou como agir: ”… repressão policial do governo local. Isso não é vergonhoso, porque os comunistas são essencialmente traidores”. Entrevistado por Carta Maior, o documentarista P. Guzmán falando sobre Allende e Pinochet, fez uma apaixonada defesa da memória: “Os países que praticam a memória são mais vívidos, mais criativos, são mais distintos. Os países sem memória são anêmicos, não se movem, são conformistas, e caem numa espécie de cultura de sofá, gente que está sentada no sofá assistindo a televisão… E não se movem. A memória é um conceito tão importante quanto a circulação do sangue”, afirma Guzmán. O colunista Mario A. Jakosbkind, do DR, escreveu relatando a sua experiência: ”perguntei a dois jovens de classe média se já tinham ouvido falar em V. Herzog e J. Goulart. Ambos disseram que não. Para um deles, que se apresentou como recém formado em publicidade, de 21 anos, ”Goulart foi um guerrilheiro que lutou contra a ditadura”.

    O quadro é desalentador. João Goulart foi um guerrilheiro que lutou contra a ditadura? Quem foi Janio Quadros? Foi o cara que – apenas- renunciou?. Quantos sabem que foi ele que entregou os cargos estratégicos de sua administração ao grupo estadunidense MELLON TRUST, através de seus agentes diretos, como o banqueiro Clemente Mariani (no Ministério da Fazenda), o industrial Artur Bernardes Filho (no Ministério da Indústria e Comércio), o advogado Pedroso Horta (no Ministério da Justiça), o comerciante João Batista Leopoldo Figueredo (no Banco do Brasil, junto com o lacaio fiel do capital financeiro internacional Roberto Campos também da HANNA, o advogado da HANNA Caio Mario da Silva Pereira (na Consultoria-Geral da República), além de ter mantido intacta a máquina do Ministério da Fazenda montada na gestão de Sebastião Paes de Almeida, também do MELLON TRUST. Foi como entregar o ouro (Brasil) pros bandidos. Precisamos recordar os nomes desses vende-patria. Quantos brasileiros conhecem os Atos do Poder Legislativo assinados por Delfin Neto, Magalhães Pinto, Lyra Tavares, Mario Andreazza, Macedo Soares, Leonel Miranda, Hélio Beltrão, Jarbas Passarinho, Gama e Silva, etc.. Quantos sabem o que custou – e ainda custa – ao Brasil, o desempenho politico/institucional de um indecente como Delfin Neto? De um Zé Sarney? Quantos sabem que Janio passou o comando das FFAA ao braço armado desses vende-pátria (almirante Sylvio Heck, o brigadeiro Grum Moss, o general Cordeiro de Farias?) Por favor deixe o post ”o Mensalão ianque” em destaque por mais 12 meses. O Brasil democratico agradece.

    • Eliseu, este post está me ensinando coisas que eu jamais tive acesso, mesmo perguntando e lendo a respeito. E os comentários acrescentando mais ainda.
      Realmente este post do Edu deve ficar em evidência, pra que outros que não o leram agora o façam quando puderem.
      PS. esta da cultura de sofá é ótima…

  • Oi Eduardo

    Eu li esse texto no “Midiacruci’s Blog”, se achar interessante, divulgue, de toda maneira, obrigada!
    É sobre o julgamento…uma atitude em conjunto precisa ser colocada em prática:

    http://midiacrucis.wordpress.com/2012/11/09/carta-aberta-aos-senadores-e-deputados-do-pt-e-das-forcas-progressistas/

    “Diga não à violação do artigo 5º da Constituição Federal pelo STF!

    Diga não ao julgamento de exceção do STF!

    Queremos que nossos representantes no Congresso Nacional se posicionem contra isso!

    Caros deputados e senadores,

    O atual silêncio da bancada petista nos incomoda. Vocês receberam milhões de votos de cidadãos e trabalhadores de todo o Brasil e devem sim honrar seus mandatos. Nós, cidadãos e eleitores do PT, estamos fartos de sermos chamados de desonestos, eleitores de “petralhas”, eleitores de bandidos, bandidos eleitores, achincalhados pelos grandes meios de comunicação (a atual ministra da Cultura e senadora por São Paulo, Marta Suplicy, eleita com milhões de votos de eleitores de São Paulo, escreve coluna periódica no jornal que mais nos achincalha, mais nos estigmatiza politicamente, a Folha de S.Paulo, e isso é algo inconcebível). Tomem tenência!

    Nós eleitores de vocês, deputados federais e senadores, queremos resposta imediata e sem delongas a este massacre midiático em que se converteu o julgamento da Ação Penal 470 no STF. Queremos pronunciamentos no Congresso já! Queremos declarações públicas de que este julgamento no STF é um julgamento de exceção, pois não somos eleitores leitores de Vejas da vida e nem dos jornalões. Sabemos o que se passa neste julgamento e por isso somos conscientes ao rotulá-lo como de exceção.

    Por isso, como eleitores atentos, queremos já a manifestação dos senhores eleitos com nossos votos. Não é possível tamanho e constrangedor silêncio dos senhores deputados e senadores diante do que está ocorrendo neste país. Não é aceitável este silêncio que nos causa vergonha diante das absurdas condenações, posto que extravagantes, esdrúxulas e ao arrepio da Constituição Federal e dos direitos elementares dos cidadãos que estão sendo proferidas no STF. Estamos vivenciando um tribunal de exceção em plena democracia e isso exige dos outros poderes, os senhores, que se manifestem.

    Provas estão sendo negligenciadas em prol de ilações e conjecturas. O ônus da prova da acusação, princípio basilar dos Direitos Fundamentais do Homem, perdeu-se no vendaval de absurdos que estamos assistindo, dia após dia, e os senhores se mantêm em silêncio obsequioso, sendo portadores do mais legítimo poder em uma democracia.

    Nós, cidadãos do Brasil, trabalhadores, abundantemente abastecidos por informações que nos permitem entender claramente o que está acontecendo e eleitores dos senhores, exigimos que se manifestem imediatamente.

    Sabemos que a Constituição Federal em seu artigo 5º inciso XXXVII preconiza de forma taxativa que não haverá juízo ou tribunal de exceção nesta República. Pois bem, estamos vivenciando este fundamental preceito constitucional violado pelo STF em nome das pressões da mídia monopolizada do Brasil, na qual o governo federal despeja rios de dinheiro. Trata-se de um julgamento venal, de exceção e que atinge o PT em suas origens e nós não aceitaremos isso. Estamos colocando em xeque a credibilidade do STF sim!

    Por isso exigimos que vocês, nossos representantes, não se omitam nesta quadratura política e de tensionamento. Nós, cidadãos e eleitores de vocês, por isso, exigimos que honrem seus mandatos, em nome do que resta de democracia neste país.

    Este movimento está apenas começando. Sabemos que responderão as nossas expectativas. Aguardaremos suas manifestações em plenário, nos blogs onde há livre manifestação de pensamentos e opiniões e em todos os espaços que julgarem fundamentais de modo a honrar os votos e a esperança das quais são depositários.

    O que jamais aceitaremos é a omissão!

    Jamais!

    Nós, cidadãos, hoje sabemos que somos o real poder neste país.”

  • EDU, maravilhosa a materia, meu pai meu tio e eu que participei ainda jovem contra o golpe estão comemorando no cemiterio da consolação, o verdadeiro registro da historia, eu me recordo Edu que alguns dos amigos do meu pai que nos visitavam na grafica no Bom Retiro não voltarão mais, eu Edu choro em recordar do desaparecimento deles. hoje ja velho aqui em Jundiai rio daqueles que gritam sobre democracia, mais nos anos de chumbo estavam ou debaixo da cama ou apoiando o golpe.

  • Desculpe Edu, se tratava de outra coisa…segue aquela que me referi:
    “EUA grampearam Alvorada e Itamaraty. Confira a entrevista

    Serviços secretos dos Estados Unidos grampearam os telefones do Palácio da Alvorada e do Itamaraty, em Brasília. A informação foi obtida pelo repórter Bob Fernandes, autor da reportagem de capa da última edição da revista Carta Capital, publicada nesta sexta-feira (19/03). Fernandes entrevistou o chefe do FBI no Brasil de 1999 a outubro de 2003, o português Carlos Costa.

    O jornalista revelou a Paulo Henrique Amorim as principais informações que obteve do FBI. Clique no vídeo ao lado para assistir.

    ”Carlos Costa não desmentiu nem confirmou se o Palácio da Alvorada e o Itamaraty foram grampeados por agências de inteligência dos EUA. Ele negou que o FBI tenha grampeado, mas deixou subentendido que serviços secretos dos EUA instalaram os grampos”, revelou o jornalista.

    Bob Fernandes reproduziu para o UOL News os principais momentos de seu diálogo com Carlos Costa. Confira:

    Bob Fernandes – Essa é uma questão muito delicada. Tenho a informação de que vocês receberam ordens para
    grampear o Alvorada e o Itamaraty.

    Carlos Costa – Como você sabe disso?! De quem você recebeu essa informação?! Estou surpreso. Não vou
    tocar neste assunto. Ponto final.

    Bob Fernandes – Então o senhor não confirma nem desmente ter recebido a ordem de pôr os grampos?

    Carlos Costa – Não confirmo nem desminto. Como você verá em nossa conversa daqui por diante, eu já me recusei a cumprir ordens bem menos graves do que esta.

    Polícia comprada

    Carlos Costa também revelou que a Polícia Federal brasileira teria sido ”comprada” pelas agências norte-americanas de segurança. Segundo Bob Fernandes, o ex-diretor do FBI no Brasil afirmou que a polícia brasileira ”pede esmolas para estrangeiros”. As principais operações da PF, de acordo com Costa, seriam financiadas pelos americanos que, desta forma, gozam de nefastos privilégios em território nacional.

    Fernandes reproduziu na entrevista a Paulo Henrique Amorim os principais trechos de sua conversa com o ex-diretor do FBI no Brasil sobre a polícia brasileira. Veja abaixo:

    Bob Fernandes – Como são as relações dos serviços secretos americanos com a polícia do Brasil?

    Carlos Costa – Você se refere à polícia de vocês ou à comprada por nós?

    Bob Fernandes – Comprada?

    Carlos Costa – Sim, comprada. Nossas agências doam todos os anos milhões de dólares à polícia de vocês para executar operações vitais. No ano passado, a DEA doou US$ 5 milhões, o departamento de narcóticos doou uns US$ 3 milhões . . . Os EUA compraram a Polícia Federal do Brasil. E há um antigo ditado que diz o seguinte: quem paga dá as ordens.

    Bob Fernandes – Vocês se locomovem com facilidade no Brasil?

    Carlos Costa – Com toda a facilidade.

    Bob Fernandes – Mas o Estado brasileiro não controla a circulação dos agentes estrangeiros em seu território?

    Carlos Costa – Não controla. Repito: quem paga é que dá as ordens. Não creio que o governo brasileiro tenha
    noção do quanto sua polícia está infiltrada por nós há anos. A polícia do Brasil não tem autonomia na prática.

    O jornalista disse que Carlos Costa exemplificou a subordinação da PF aos interesses americanos com o caso de Shalom Weiss, foragido da polícia dos EUA, que estava escondido em São Paulo.

    ”Ele me contou que requisitou pelo menos quatro delegados na PF para caçar o foragido, que só foi capturado em Viena. Tudo foi pago pelos americanos. Carro, viagem, refeição, tudo. A PF de um país como o Brasil deveria ser capaz de fazer seu trabalho de forma autônoma. A dependência ameaça a soberania”, diz Fernandes.

    O jornalista disse ter ouvido de Costa que, formalmente, o FBI dá treinamento à PF. Na prática, os americanos pagam o dinheiro das grandes operações da PF. Segundo Fernandes, como a polícia vive uma situação de penúria, a situação favorece a dependência com relação aos americanos.

    ”A polícia encerrou o ano de 2003 com uma dívida de R$ 58 milhões em contas de água, luz, telefone. Na prática, são os americanos que financiam operações como a Anaconda [que investiga o crime organizado e suas ramificações no judiciário]. É vergonhoso”, julga o jornalista.

    Bob Fernandes relata que Carlos Costa deixou de chefiar o FBI no Brasil por conta de crescentes atritos com seus superiores. Um deles teria sido a recusa em grampear toas as mesquitas bem como as personalidades mais influentes da comunidade muçulmana do Brasil, após os atentados de 11 de setembro de 2001.

    ”Ele me disse que se recusou a cumprir esta ordem porque ela é inconstitucional tanto no Brasil quanto nos EUA. Mas Carlos Costa afirmou que não sabe se a ordem foi cumprida à sua revelia”, conta o jornalista.

    O ex-diretor do FBI, segundo Bob Fernandes, também criticou a Abin (Agência Brasileira de Inteligência),
    tachando-a de ”órgão sem missão”.

    ”Para ele, a Abin não faz o que se espera de um órgão de inteligência, que é espionar fora do país. Carlos Costa disse que a Abin faz apenas uma investigação rasteira de figuras de porte médio e do MST”, conta o jornalista.

    Fernandes informou que Carlos Costa era figura importante no âmbito das agências governamentais americanas. Suas relações pessoais incluem Felix Rodrigues, que contribuiu para a descoberta de Che Guevara. Segundo o jornalista Costa esteve com Rodrigues na posse do presidente americano George W. Bush, na qual o ex-representante do FBI no Brasil
    também ciceroneou o então governado do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho.

  • Quem esquece o passado está fadado a repeti-lo no futuro. Você, Edu, está fazendo um trabalho muito bom de lembrar sempre as pessoas o que foi que ocorreu e é necessário que discutamos muito para nos preparamos para um futuro de combate de idéias.
    Eles têm a mídia, nós teremos que nos contentar com o boca a boca e divulgar muito o que está ocorrendo no Brasil

  • Vendo a matéria eu me lembrei do IBAD. Na Wikipedia há as seguintes menções a esse instituto: 1. Instituto Brasileiro de Ação Democrática (IBAD) foi uma organização anticomunista fundada em maio de 1959, por Ivan Hasslocher. Ao lado dele, vários empresários fariam parte desta organização e da sua entidade-irmã, o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES), constituída dois anos e meio depois. Entre eles, Gilbert Huber Jr, Glycon de Paiva e Paulo Ayres Filho. Em entrevista concedida em 1998 à Folha de São Paulo, o general reformado Hélio Ibiapina revelou que o IBAD possuía ligações com a CIA estadunidense, e que ele foi encarregado pelo general Castelo Branco de confirmar a veracidade da informação. O Instituto acabou sendo extinto em dezembro de 1963, por ordem judicial. 2. O financiamento para sua criação do instituto se deu a partir de contribuições de empresários brasileiros e estadunidenses. A finalidade inicial era combater o estilo populista de JK e possíveis vestígios da influência do comunismo no Brasil. 3. O IBAD criou e incentivou com “fins explicitamente eleitorais” a Ação Democrática Popular (ADEP) cuja função era direcionar capital e financiar os candidatos contrários a João Goulart e anticomunistas em geral, que concorreriam às eleições legislativas e para o governo de 11 estados. O objetivo do Ibad era influenciar nos debates econômico, político e social do país através da ação publicitária e política. Para dar apoio publicitário ao IBAD, foi criada por Hasslocher a agência de propaganda Incrementadora de Vendas Promotion. Esta era subsidiária daquele instituto, financiada por capital estadunidense. Os métodos utilizados pela agência foram herdados do Office of the Coordinator of Inter-American Affairs (OCIAA). 4. O IBAD e o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES) financiaram, produziram e difundiram uma grande quantidade de programas de radiofônicos, de televisão e matérias nos jornais com conteúdo anticomunista. As duas entidades contribuíram decisivamente na oposição ao governo de João Goulart, fator crucial para o êxito do Golpe Militar de 64. Muitas das radionovelas, filmes de cinema e programas de televisão da época, tinham mensagens explícitas e implícitas a favor da absorção pelos brasileiros dos valores estadunidenses.

  • Eduardo,
    Bom dia,
    vi o documentário e a paticipação do Sr. Plinio Arruda Sampaio .
    Como pode alguém dizer as asnices que esta senhor fala hoje.
    Será efeito da idade ?
    Pra que envelhecer se é para ficar assim?
    Lamentável.
    Jésus da Silva

  • Para quem tiver interesse. “1964: A conquista do Estado, ação política, poder e golpe de classe.” (Vozes 1981) – René Armand Dreifuss

    Conclui Dreifuss: “O ocorrido em 31 de março de 1964 não foi um mero golpe militar; foi um movimento civil-militar; o complexo IPES/IBAD e oficiais da ESG (Escola Superior de Guerra) organizaram a tomada do poder do aparelho de Estado” (p. 397). Especificamente afirma: “A história do bloco de poder multinacional e associados começou a 1º de abril de 1964, quando os novos interesses realmente tornaram-se Estado, readequando o regime e o sistema político e reformulando a economia a serviço de seus objetivos” (p.489). Todo o aparato de controle e repressão era acionado em nome da Segurança Nacional que, na verdade, significava a Segurança do Capital.

    Fonte: 1964: Golpe Militar a serviço do Golpe de Classe – Leonardo Boff – http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=67183

    • Só não vou dar a resposta que eu dava quando criança porque não sou mais criança, catão.
      Aconteceu isto tudo e o Brasil ficou na mão de generalecos telecomandados. Esta história de que o Brasil comprou usina nuclear alemã e por isso houve atrito com os EUA é a famosa estratégia que a nossa ‘gloriosa’ imprensa usa e abusa dia sim, outro também: coloca o PML pra falar umas verdades só pra se dizer isenta…
      Quem não se lembra da Transamazonica? Integração nacional, diziam. Que nada, era pra abrir caminho pras ONG’s de hoje limparem nossa floresta de sua diversidade.
      Quem não lembra de Amaral Neto, o repórter? Pura bajulação do governo militar, mostrando empresas estatais que traziam o progresso para o Brasil. E aí vem a pergunta: se naquela época os defensores da ditadura achavam lindas as estatais, porque agora as demonizam? Ou tinham alguém que por trás, com exceção do crápula do Bob Fields, falava uma coisa e pela frente , outra?

  • Entendo que todo o Estado de Direito tem espaços normativos amplos para permitir-se, com legitimidade, tanto condenar sem provas como absolver com provas, nos seus Tribunais Superiores. Isso é parte de sua engenharia institucional e do processo político que caracteriza as suas funções. Nas decisões das suas Cortes, às vezes predomina o Direito, às vezes predomina a Política. O patamar da sua decisão legitíma – importante nos regimes de democracia política ampla – é alcançado, então, não somente através das suas instâncias jurídicas de decisão, mas – nos seus casos mais relevantes- na esfera da política, por dentro e por fora dos Tribunais.

  • Hoje, ao chegar no lar, e conectar o meu lap, lí dois textos que me transportaram ao século passado. Um flash back que me fez bem. Um deles seu brilhante texto, e o outro o não menos brilhante texto do poeta Lula Miranda( lí no 247) ” Mostre as algemas Zé Dirceu!”. Aconselho a leitura a todos brasileiros.. Relembrar os atos dos eternos golpistas é um bem para o Brasil contemporaneo. Vamos combater o bom combate. Vamos lutar contra os senhores da casagrande que estão cotidianamente urdindo um golpe contra o povo. Usando os mesmos inocentes úteis transfigurados nos Robertos Freires e Serras da vida na politica, e a mesma mídia com o acréscimo da marginal Veja.
    Parabéns Eduardo, e nos enriqueça sempre com essas narrativas;

  • Veja o tipo de gente que condenou Zé Dirceu
    O blog do Leandro Fortes, chamado Brasília, Eu Vi, publica uma matéria que diz bem quem é Gilmar Mendes. Vejam o noticiário da TV Diamante, de propriedade de Gilmar Mendes e famiglia:

    Segue texto do blog Brasília, Eu Vi:
    Oban cabocla nos rincões dos Mendes
    Esse fascitóide de quinta categoria se chama Márcio Mendes. É um técnico rural que a família do ministro Gilmar Mendes, do STF, mantém como cão raivoso na emissora de TV do clã para atacar adversários e inimigos políticos. A TV Diamante, retransmissora do SBT, é, acreditem, uma concessão de TV educativa apropriada por uma universidade da família do ministro.

    Mendes, vcs sabem, é o algoz do fim da obrigatoriedade do diploma para o exercício de jornalistas. Vejam esse vídeo e vocês vão entender, finalmente, a razão. Esse cretino que apresenta esse programa propõe a criação de um grupo de extermínio para matar meninos de rua. Pede ajuda de empresários e comerciantes para montar um “sindicato do crime”, uma espécie de Operação Bandeirante cabocla, para “do nada” desaparecer com esses meninos. E preconiza: “Faz um limpa, derrete tudo e faz sabão”.

    Repito: trata-se de transmissão em concessionária educativa na TV da família de um ministro do Supremo Tribunal Federal. Eu denunciei isso, faz dois anos, na CartaCapital, em uma das matérias sobre os repetidos golpes que o clã dos Mendes dava para derrubar o prefeito eleito da cidade de Diamantino, que ousou vencer a família do ministro nas urnas. Vamos ver o que diz o Ministério das Comunicações e a Polícia Federal, a respeito. Seria bom saber qual a posição do SBT, também.

  • O QUE ACONTECEU POR TRÁS DO FILME “ARGOS” -A RAZÃO DO ÓDIO DOS IRANIANOS PELOS EUA
    Mohammed Mossadegh primeiro-ministro do Irã entre 1951 e 1953 nasceu na capital iraniana, Teerã, a 19 de maio de 1880 e era filho do ministro das finanças e de uma princesa da dinastia Qadjar. Fez os seus estudos em Paris, na França, na École Llibre des Sciences Políques e na Suíça, onde em 1913 doutorou-se em direito pela universidade de Lausana. No ano seguinte regressou ao seu país e foi nomeado governador da província de Fars. E em 1921 foi nomeado ministro das Finanças. Anos depois assumiu a função de ministro dos Negócios Estrangeiros entre 1923 e 1925. Neste ano opôs-se ao golpe de Reza Khan, que tinha deposto o último membro da dinastia Qadjar, declarando-se Xá. Muhammed Mossadegh por causas de suas posições nacionalistas, foi preso por dois anos. Em 1943, Mohammed Mossadegh de volta à política e foi eleito deputado com uma votação estupenda (a maior da história do Irã até então). Liderou uma força política nacionalista. Dois anos antes Reza Khan tinha abdicado a favor do seu filho, Mohammad Reza Pahlavi. Mossdegh não era comunista, mas um nacionalista ferremho que defendia o controle pelo governo iraniano de suas riquezas petrolíferas. Foi contrário a um acordo de comercio com União Soviética sobre uma concessão de petróleo na região norte do país. Era a favor da nacionalização da Anglo-Iranian Oil Company. Por causa da sua enorme popularidade, o Xá do Irã teve que aceitar a sua eleição como primeiro-ministro do país em 1951. No dia 1º de maio do mesmo ano o parlamento aprovou a nacionalização do petróleo, tendo sido extinta a Anglo-Iranian. Nesse ano a revista “Time” nomeou-o “Homem do ano” e Mosadegh era visto no mundo todo como o símbolo da luta antiimperialista. Em represália, os ingleses “armaram” nos mercados internacionais um embargo ao petróleo iraniano com o objectivo de sufocar economicamente o país. Os Estados Unidos da América opuseram-se ao boicote por entenderem que ele poderia favorecer uma aproximação à União Soviética. Esta situação, aliada ao desejo de Mossadegh em possuir mais poderes como primeiro-ministro, instalou uma crise entre Mosadegh e o Xá. Foi então que os ingleses planejaram derrubar Mossadegh do poder, no qual envolveram os Estados Unidos, que iniciou uma sórdida campanha internacional acusando o Irã de ser controlado pela União Soviética! Em 15 de agosto de 1953, pressionado pela CIA, o Xá demitiu Mossadegh, o que provocou uma gigantesca reação popular com tumultos nas ruas e etc. E o Xá foi obrigado a se asilar em Roma. Foi então, que neste mesmo ano, os governos da Inglaterra e e dos EUA iniciaram um plano para a derrubada do poder de Mohammad Mossadegh. O plano O plano foi muito apoiado pelo secretário de estado ultra direitista John Foster Dulles. Ingênuo, Mossadegh confidenciou ao Kermit Rooosevelt que iria nacionalizar o petróleo iraniana a pressão da Inglaterra e contava com a ajuda dele (Kermit) e dos EUA para suportar a pressão da Inglaterra! E foi o bastante para o golpe da CIA/M-16 dar certo e no dia 19 de agosto de 1953 o golpe de estado foi dado e instalou o general Fazllolah Zaedi como novo primeiro ministro (naquele tempo e até hoje, tem sempre um fantoche de plantão)! Uma tropa do exército invadiu a casa de Mossadegh, procurando-o e como não o encontrou levou sua filha caçula de 13 anos, que foi presa e torturada e em consequência, ficou louca e os dez anos seguintes de sua vida passou em um manicômio, onde veio a falecer. Durante os primeiros 4 anos foram mortos sob tortura e execução mais de 20 mil de dissidentes. Compare com a população daquele tempo do Irã e a de hoje, para ver que foi muita gente! Mossadegh se refugiou durante muito tempo nas mesquitas do Irã e esse contato com os Ayatolás serviu para que Mossadegh pudesse esclarecer os detalhes do seu projeto nacionalista para fazer do Irã uma grande e poderosa nação, com justiça social para o seu povo E tudo isso foi interrompido pelos EUA e a Inglaterra! Durante o julgamento do Dr. Mossadegh no tribunal militar do Xá, ele contou que sofreu duas tentativas de golpe militar “d’État” contra seu governo. Julgado como traidor de sua pátria, por um tribunal militar, no dia 19 de dezembro de 1953, Mossadegh declarou em sua defesa no tribunal: “…O meu pecado maior para as nações poderosas foi o de ter nacionalizado a indústria petrolífera do meu país e descartado o sistema de exploração econômica e política do maior “império do mundo” (os EUA ). Fiz isso com alto custo para minha família, correndo o risco de perder a minha vida, da minha família e as minhas propriedades! Com a bênção de Deus e a vontade do meu povo, lutei contra esse sistema selvagem e terrível de espionagem internacional e contra o colonialismo. E eu estou bem ciente que meu destino deve servir de exemplo para no futuro, no Oriente Médio- quebrar as correntes da escravidão e da servidão aos interesses coloniais! ”Mossadegh foi condenado à prisão perpétua por traição e ficou três anos preso numa solitária e quando saiu de lá estava gravemente doente e o restante de sua pena foi transformada em prisão domiciliar na sua terra natal, Ahmad Abad, onde em 4 de março de 1967, morreu de câncer aos 85 anos. E a grande vingança do povo do Irã veio em 1979 na “Revolução Islâmica!” O Xá Reza Palhevi ficou doente e foi se tratar nos EUA e o povo aproveitou e foi às ruas e praças para protestar contra a ditadura do Xá e começou a espancar e depois matar os membros militares do governo que assegurava o Xá no poder! E acabou que os manifestantes invadiram a embaixada americana e estranharam que havia centenas de pessoas lá dentro! Nos primeiros anos da revolução, entre 1979 e 1981, os seguidores de Khomeini mantiveram presos, por 444 dias, , centenas de americanos na embaixada americana de Teerã. O evento conhecido como a “Crise Iraniana dos Reféns” Khomeini afirmou, em 23 de fevereiro de 1980, que o Parlamento iraniano decidiria o destino dos reféns da embaixada americana. O presidente Jimmy Carter tentou salvar os reféns, mas a missão falhou quando os helicópteros enviados tiveram de enfrentar condições adversas de tempo do deserto em Tabas. Os iranianos tiveram mais de um ano de alegria com a invasão da embaixada, humilhando os EUA perante ao mundo e vingando o que os americanos fizera com Mohammed Mossadegh!!!


  • “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


    “Se você não for cuidadoso, os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



    Ley de Medios Já ! ! !



Deixe uma resposta