Quem você colocaria no lugar de Dilma?

Análise

A semana termina com outra pesquisa de opinião mostrando que a aprovação e as intenções de voto da presidente Dilma Rousseff sofreram nova queda. Após os institutos Datafolha e MDA, agora foi o instituto Ibope que não apenas confirmou os números dos outros dois institutos como também mostrou que o percentual dos que reprovam a gestão dela (49%) ultrapassou o dos que aprovam (45%).

Este Blog tem entrevistado especialistas em estatísticas políticas e econômicas a fim de que se possa entender o fenômeno de uma governante que há dois meses batia recordes de popularidade e, de repente, passou a enfrentar uma onda de reprovação como a que tem sido vista.

Nesse contexto, o sociólogo Marcos Coimbra, diretor do instituto Vox Populi, revelou um fato importantíssimo em entrevista que deu ao Blog no último dia 18: as grandes manifestações de junho, que prosseguiram em julho – com menos ímpeto, mas que prosseguiram –, não deram início à queda de popularidade da presidente da República, mas a aceleraram.

As quedas da aprovação e das intenções de voto de Dilma já se faziam sentir nas pesquisas de fim de maio, começo de junho. Abaixo, gráfico do Datafolha revelando a trajetória descendente.

Duas semanas antes da entrevista de Marcos Coimbra ao Blog, o diretor do Datafolha também falou a este espaço sobre pesquisa recém-divulgada por seu instituto. No dia 4 de julho, Mauro Paulino deu entrevista a esta página em que explicou que, independentemente dos questionamentos à metodologia do Datafolha (que não leva em consideração eleitores das zonas rurais do país), a detecção da queda da presidente ocorrera dentro da mesma metodologia usada pelo instituto anteriormente e, portanto, não havia o que questionar.

Fato: a afirmação de Paulino se mostrou certeira.

As entrevistas que os presidentes de dois dos quatro maiores institutos de pesquisa do país deram ao Blog apontaram para o mesmo fenômeno apontado pela pesquisa que o instituto MDA fez para a Confederação Nacional dos Transportes no dia 16 de julho. O post Pesquisa mostra o pessimismo como causa da queda de Dilma reporta dado que o MDA apurou e que explica a razão pela qual Dilma perdeu tanta popularidade em tão pouco tempo.

Na entrevista ao Blog, Coimbra analisou que a renitência do noticiário negativo da grande mídia sobre a economia, que teve início – com a contundência que se tem visto – a partir de janeiro, terminou por convencer um setor bem maior da sociedade de que o país deve piorar futuramente.

As manifestações de junho e julho, portanto, só fizeram essa percepção se acentuar. Ver tanta gente na rua reclamando furiosamente, depredando, incendiando, agredindo, produzindo cenas de confronto entre si e contra a polícia referendou o noticiário, levando à sensação de que se tantos reclamam é porque o barco deve mesmo estar afundando.

Esse processo de busca pelo entendimento do fenômeno político em curso no Brasil culmina, agora, em entrevista que o ex-diretor do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Marcio Pochmann também deu ao Blog na última sexta-feira (26).

Se realmente o descontentamento com o que ainda não aconteceu – uma grave crise econômica – estiver por trás da considerável perda de popularidade e de intenções de voto de Dilma ao longo de maio, junho e julho, a entrevista de Pochmann indica que essa situação pode ter vida curta.

Apesar do terrorismo econômico midiático (expressão usada pelo ex-diretor do Ipea), os dados macroeconômicos estão longe de apontar para o desastre. Segundo Pochmann, o Brasil deve fechar o ano com desemprego em patamar similar ao de hoje (ou igual ou um pouco melhor), o país deve crescer mais do que no ano passado e a inflação, como tem sido nos dez anos anteriores, deve ficar dentro da meta do Banco Central.

Ora, se a razão da insatisfação com o governo Dilma decorre de crença de grande parte da sociedade no catastrofismo (ou terrorismo) econômico midiático, se as desgraças que esses órgãos de “imprensa” de oposição não-assumida alardeiam não se materializarem os que se deixaram levar por previsões pessimistas concluirão que embarcaram numa canoa furada.

Claro que a mídia continuará prevendo desgraças, mas como falta muito tempo para a eleição de 2014 a realidade terá que confirmar os vaticínios midiáticos. Não será possível continuar por mais um ano e meio dizendo que a desgraça virá. Se não vier, as pessoas terão que refletir.

No ano que vem a esta hora, estaremos às portas do início da propaganda eleitoral “gratuita” no rádio e na televisão. Naquele momento, as pessoas começarão a refletir sobre como estão as suas vidas e se perguntarão se as desgraças anunciadas se materializaram.

Se o país não tiver mergulhado no desemprego, na hiperinflação, com salários e renda das famílias despencando e a economia em recessão, será inevitável que o eleitor pergunte a si mesmo quem vai colocar no lugar de Dilma e se vale a pena trocar o “técnico” de um time que, então, será impossível negar que estará ganhando.

Como no período eleitoral a presidente terá como falar ao país sem intermediação da mídia, que distorce e até censura seus argumentos enquanto ela, de forma temerária, não usa a sua prerrogativa de convocar pronunciamentos de rádio e TV, naquele momento – com a economia indo bem, com o desemprego baixo e o país crescendo – a sociedade terá que meditar.

Quando todos os lados puderem dizer o que bem entenderem, será simples para a coalização governista lembrar o que o principal adversário de então – que, obviamente, será o PSDB – fez quando ocupou o poder. Se a economia estiver indo bem tanto quanto hoje ou mais – ou seja, se as previsões catastrofistas não se materializarem – será praticamente impossível que o brasileiro troque o certo pelo duvidoso.

Marina Silva, que foi quem mais ganhou com a perda de popularidade de Dilma, será vista em sua real dimensão: uma outsider sem base partidária e sem propostas concretas. Aécio Neves terá que enfrentar o peso de sua trajetória e de pertencer ao PSDB – partido que a maioria sabe que afundou o país quando governou – e Eduardo Campos, se realmente for para a disputa, terá que explicar por que se opõe a um projeto que integrou.

A mídia e a oposição sabem de tudo isso e, assim, apostam em que as manifestações e a perda de popularidade de Dilma piorem a economia. Há, portanto, um processo de sabotagem do país, um legítimo crime de lesa-pátria sendo cometido. Quanto pior, melhor.

Caberá a Dilma e ao PT, pois, entenderem que, mais do que criar factoides para atender ao “clamor das ruas”, cabe cuidar da economia. Mais uma vez, será ela que irá definir quem estará no Palácio do Planalto a partir de 1º de janeiro de 2015. Há que pilotar o Brasil até outubro do ano que vem sem deixar que a sabotagem destro-midiática funcione.

Sim, os agentes econômicos estão assustados e isso preocupa. O Brasil depende de investimentos internos e externos para continuar mantendo o nível de emprego e para que a atividade econômica não despenque. Contudo, apesar de o capital ter o coração de um passarinho, este país é um manancial de lucros para quem souber aproveitar e o capital sabe muito bem disso. Não rasga dinheiro.

122 comments

  • “outsider sem base partidária e sem propostas concretas” – acho que onde falta concretude é na avaliação do potencial de Marina Silva. Vejamos:
    1) Sem base partidária – ora, se ela estiver no jogo, só poderá ser por ter conseguido essa base; se continuar sem, não poderá estar no jogo.
    2) Sem propostas concretas – esperemos para ver; como exigir que ela apresente propostas concretas se a campanha nem começou?
    3) Outsider – aí é que a porca torce o rabo. Se Marina, reconhecidamente, “foi quem mais ganhou com a perda de popularidade de Dilma”, não será justamente porque se mantém no limiar do “dentro” e do “fora”? Para participar do jogo de 2014, terá de estar dentro. Mas, se o projeto da Rede der minimamente certo, estará dentro sem deixar de estar fora. Não é à toa que o símbolo da Rede é a “fita de Moebieus”, uma superfície na qual o dentro se transforma em fora; na qual se passa linearmente de dentro para fora; na qual dentro e fora são uma coisa só; na qual, em suma, não existe dentro nem fora. Aquela que parece fraca por parecer outsider pode retirar sua fortaleza justamente dessa aparência.

      • A Rede Sustentabilidade defende o Estado laico – que, aliás, não se realiza plenamente no Brasil, com seus crucifixos nas paredes do Congresso Nacional, com seu “Deus seja louvado” nas cédulas de Real, com governos federal, estadual e municipal mobilizando-se intensamente para receber o chefe dos católicos, com a presidente da República recebendo evangélicos no Palácio do Planalto.

        Eu tampouco votaria em religiosa de direita. Na Marina, sim.

    • Até agora Marina surfou na onda sem que houvesse a mínima objeção ou contestação. Ninguém pergunta nada a ela, ao contrário, a mídia na sua estratégia de alavancar o maior número de candidatos para que haja 2º turno, só falta idolatrá-la. Mesmo assim ela corre o risco de ver sua fita de Moebius endireitada para fora porque não parece que ela vai validar o número mínimo de adesões para criar o novo partido. Caso consiga, o que responderá ela às questões relativas a: homossexualismo, casamento gay, amor livre, emancipação feminina irrestrita, aborto (de anencefálicos e vítimas de estrupo), financiamento público de campanha (talvez o mais espinhoso dos questionamentos), hidroelétricas, energia térmica e nuclear, exploração do petróleo no pré-sal, preservação ambiental versus desenvolvimento para gerar emprego e independência do país e muitas outras. Evangélica, não conseguirá conciliar as diretrizes da religião com desculpas esfarrapadas. Terá que ser assertiva com posicionamento retrógrado e radical para não desagradar a igreja. Aí veremos o sucesso todo que dela muitos esperam.

      • Cobra-se muito da Marina e pouco da Dilma. Até parece que a Dilma responde mais e “melhor” (o que seria isso?) às questões apontadas.

    • Desde a última eleição apenas Dilma (PT) e Plínio (PSol) foram os únicos que apresentaram propostas.
      Em todos os debates afirmavam suas proposições e convicções. Dilma na criação de empregos, baixa de juros, ampliação de assistência social, etc…Plínio apenas vociferava contra o capital. Exímio orador, mas acho que apenas aquilo não funcionaria.
      Enfim; Serra e Marina apenas atacavam, sem propostas, sem provas e com ávido desejo de atrapalhar o espetáculo com intuito de se tornar o protagonista. Serra sequer apresentou plano de governo, e chegou ao fim da batalha surtando e prometendo aumentar o bolsa família para mais de 600,00 reais. Seria justo, mas naquele momento não colou. O que nem a criança do ponto mais árido do Nordeste acreditou. E Marina, nenhuma proposta de nada. Absolutamente nada! Apenas críticas; o que, convenhamos, é muito fácil de fazer gratuitamente.
      Chegamos em 2014 e Marina veste a máscara mais uma vez e não se decide se quer ir pela direita ou esquerda, num ato tão estelionatário quanto Kassab ao criar o PSD. Querem passar a impressão que não têm lado. Gostam de todos. São amigos de todos. Vagam no espectro político sem saber para onde vão, ou melhor, aguardam para decidir para onde é mais conveniente seguirem.
      A conveniência de Kassab todos já conhecem pelo nome do partido, ao pensarmos que social democracia no Brasil significa desmanche do Estado, e transformar o Estado de bem-estar em estado do capital privado. A de Marina é fácil notar, pois a mesma tem reuniões apenas com empresários, banqueiros, madeireiros. Falta só reunião com o pessoal da Monsanto.
      Com relação ao símbolo do partido, o camarada explicou de forma genial, uma vez que, por analogia, podemos traçar o perfil de Marina: não tem face, não emite opiniões, não tem lado. Abstrato e maluco. Um vazio, ou quem sabe algo cheio, misterioso, que apenas quem faz parte da Rede compreende. Ou seja, não é de todos, Marina é de uma turma; e que apenas eles conseguem entender. Tão complicado quanto o símbolo que escolheram e que lembra mais um clã perigoso do que um partido que governaria 200 milhões de pessoas. Um blefe! Deste jeito dá pra confiar mais no Serra porque conhecemos seu lado.
      Nesse ínterim, continuo achando que mais importante que não derrubar um hectare de mata, é plantar um hectare de arroz ou milho junto com a Via Campesina.

      Edu, aproveitando o ensejo, se der pra divulgar a tese do Dr. Luiz Carlos Molion sobre aquecimento global seria interessante pra começar a desmistifcar um dos pilares de Marina. Tem algumas entrevistas e vídeos onde ele apresenta com dados sua tese. Quem não quiser acreditar, não acredite; mas sempre é bom ter vozes que se opõem à lavagem cerebral aplicada diariamente à sociedade.

  • A Marina é uma tremenda reacionária vestida com as roupas da sustentabilidade. Sem capacidade, sem programa, sem partido e promovida pelo Banco Itaú, campeão de demissões do Brasil.
    E com a crise de 2008, o aumento da população e o receituário tucano, hoje o desemprego estaria no minimo num 15% da população ativa.

  • Edu, repetirei pela enésima vez. isso tudo só aconteceu porque o governo nao se comunica. Era a coisa mais simples do mundo a Dilma ir a Tv explicar que o aumento espetacular do tomate não era sinal algum de descontrole da inflação.
    Porque não o fêz? Porque o marqueteiro disse que as pesquisas eram ótimas? Bom, estão aí as pesquisas agora. Alias, se ela não tivesse ido a TV no episódio do falso apagão, sua derrocada teria começado aí. Mas ela foi, e o pico de sua popularidade se deu nessa época.
    Edu, é tão simples que a gente fica com raiva

  • Edu, enquanto não aparecer nas portas de nossas casas uma multidão pedindo pão e água, pedindo algum tipo de trabalho; enquanto a economia continuar absorvendo mão de obra com carteira assinada, enquanto o povo continuar viajando de avião e ônibus (pagando passagens, ou seja tem dinheiro no bolso), enquanto a oposição continuar “gritando” mil bobagens sobre economia e política, a princípio a Dilma será reeleita, mas se caso até lá tudo de ruim que se diz sobre a condições políticas e economicas se confirmarem (o que eu duvido muito) então o negócio é chamar Lula para tomar as rédeas da situação, este sim a população elegeria de olhos fechados (exceção é claro da oposição, mídia corrupta e sonegadora e os banqueiros). então portanto se fosse o caso de escolher outro candidato com certeza indicaria Lula. estes outros ai, se por um desastre se um deles se eleger pode escrever o Brasil afundará de verdade e ficaremos ate muito pior que Espanha, Portugal e Grécia juntas e provavelmente o povo vendo a besteira que fizeram (eleger um destes: Marina, Serra, Campos e outro qualquer da oposição) com certeza irão as Ruas pedindo seus empregos de volta (serão manifestações monstros de muitos milhões nas ruas, não serão apenas grupinhos pedindo plano coca-cola). Para trocar Dilma, somente com LULA.

  • Aécio Neves no momento seria o melhor para o Brasil. O Brasil está precisando resolver grandes questões, é o único que tem capacidade política para implementar uma reforma política, reforma tributária e uma reforma educacional. A Dilma já demonstrou que não tem cacife político para isso!!!

  • Edu, acredito também que a ‘revolta do jaleco’ dos médicos também foi um fator determinante em sua queda, visto que a fúria da elite reacionária deve ter causado um certo impacto negativo no imaginário do cidadão médio brasileiro.

  • É exatamente essa a pergunta que tenho feito aos que me enviam e-mails agressivos, desancando Dilma, Lula e PT.
    São essas pessoas que querem ficar na onda, achando que “quanto pior, melhor”, mas que não foram prejudicadas em nada pelo atual governo Dilma. É ainda, bem disfarçado, o preconceito falando cada vez um pouco mais alto. Não há nada melhor como opção de escolha e mesmo, se houvesse, eu ainda votaria no PT.

  • Boa pergunta, Eduardo. Nos três paspalhões acima é que não. Mas a Dilma, e o PT, tem um caminhão de atitudes a tomar antes de receber, novamente, o meu voto. Senão voto no Brizola, in memoriam.

  • encarnando a Regina Duarte, a candidata a santinha do pau oco me assusta mais do que todos os outros (não que eu ache que ela vá ganhar ou tenha chances. Mas sim o que ela representa, principalmente no aspecto religioso e do que vem dele…). O tucanalha é carta fora do baralho, ainda mais se o Çerra entrar na parada…

  • Edu,

    Não colocaria o tucano. nem o Zoiudo e muito menos a amiguinha do Setubal.
    Assim, farei parte da abstenção, se não puder votar em Dilma.

  • Voto Dilma, promoveu distribuição de renda e temo muito o reacionarismo dos recentes movimentos comandados pelas redes sociais, os quais lembram a velha classe média que se pos contra as reformas de base do Jango e levaram à ditadura militar.

  • Fora de pauta, mas importante

    Nas manifestações de ontem em São Paulo, cerca de 100 policiais da polícia do Alckmin não conseguiram conter 300 manifestantes. “A orientação é não causar confronto”, teria dito um policial à Folha.

    A notícia na Folha

    “O ato reuniu cerca de 300 pessoas, segundo a PM. A maioria era adepta da estratégia de protesto anticapitalista “black bloc”, que prega a destruição do patrimônio privado.

    Os manifestantes –muitos mascarados e de preto– depredaram 13 bancos, a estação Trianon-Masp, uma loja de carros, semáforos e um furgão da TV Record.

    A polícia só interveio uma hora depois. “A orientação é não causar confronto”, disse à Folha um soldado.

    Os manifestantes se concentraram por volta das 18h no vão-livre do Masp. De lá, saíram em marcha no sentido Paraíso, tendo à frente uma faixa com os dizeres “Vaza Cabral”.

    Um grupo abriu outra faixa que dizia “Fora Alckmin”. Foi repreendido por outros participantes, com o argumento de que a pauta do dia era o governador do Rio, mas conseguiu aval para seguir.

    Outro grupo puxou gritos de “Alckmin, pode esperar, a tua hora vai chegar”.

    “O povo do Rio hoje não pode ter voz. Mas quero dizer que essa manifestação é pacifica”, disse um rapaz, sendo vaiado e sufocado pelos gritos de “sem pacifismo”.

    O vandalismo começou assim que o ato deixou o Masp, às 19h. Um grupo arrancou o corrimão de uma agência do Itaú e o usou para destruir a fachada deste e de outros bancos. Em algumas agências foram destruídos computadores, mesas e cadeiras.

    Apesar dos gritos de “só banco”, eles depredaram equipamentos públicos, como semáforos, relógios e canteiros. Cabines da PM foram arrancadas e usadas como escudos.

    A marcha seguiu pela av. 23 de Maio. Manifestantes invadiram um ônibus e o atravessaram no meio da pista Congonhas, bloqueando-a.

    A PM só atuou quando a marcha já estava na 23 de Maio, lançando bombas de gás contra o grupo atacou o furgão da Record. A corporação negou que tenha demorado a agir. Disse que chamou reforços quando notou que o protesto deixou de ser pacífico”.

    Estranho, muito estranho!
    Eu não duvido nada de que esses gritos contra o Alckmin seja um álibi.
    Quem vai pagar os prejuízos causados às agências bancárias?

  • Parabéns pelo post, Edu. Certeiro, realista, e complementa muito bem a oportuna e esclarecedora entrevista que você fez com o Marcio Pochmann.

    Compartilho de sua visão e me atrevo a ir mais além: seria necessário um lockout nacional e internacional de grandes proporções, uma verdadeira tramoia empresarial golpista, para colocar a economia brasileira em um quadro de desemprego e recessão. Como diz o Mino Carta, “é de conhecimento até do mundo mineral” que os entreguistas e reacionários de todos os matizes torcem e trabalham hoje com muito afinco para que esse quadro dantesco se configure. Basta ver o assanhamento da trollagem que tem infestado o seu blog. Mas não terão sucesso, pode ter certeza. Como você mesmo disse, os capitalistas não costumam rasgar dinheiro.

    E tem mais: a Dilma não vai ficar quietinha, apanhando, sem reagir. Tem muita gente por aí que ainda acha que ela é um “poste”. Vão quebrar a cara: Dilma não é de fugir da raia e no momento certo, ela vai dar o troco, aguardem. E lembremos que na campanha de 2010, diversos escândalos envolvendo a oposição e sua mídia empresarial ainda eram pouco claros ou simplesmente desconhecidos; mas hoje estão fartamente documentados e comprovados (privataria tucana, propinoduto tucano, sonegação da Globo, máfia goiana envolvendo o PSDB, DEM e o bicheiro Carlinhos Cachoeria, só para citar alguns). Coisinhas escondidas ou pouco exploradas pela mídia, envolvendo desvios e falcatruas de bilhões de dólares, e que farão o “mensalão do PT” parecer brinquedo de criança no imaginário do povão. Pois é claro, na campanha eleitoral de 2014 tudo isso vai ser jogado na cara da oposição com toda força, sem dúvida. Assim, não será apenas no campo das realizações de governo que a comparação entre os períodos de FHC e Lula/Dilma fará a oposição estremecer. Claro que a campanha não será sopinha, claro que a luta será renhida como sempre foi, mas a oposição será novamente derrotada pelo povo brasileiro

    Por tudo isso, digo e repito: só um golpe de estado poderia salvar a oposição. E contra isso, todo cuidado é pouco.

  • Marina foi +- boa senadora, como Ministra foi fraca, e como presidenta, será uma tragédia porque näo tem base política. Já imaginaram Heloisa Helena recebendo uma pasta no governo de Marina ? No sistema político atual Marina se eleita, näo terá condicöes de governar. Agora imaginemos esta possibilidade. Maria Rede com PSOL no poder.

  • Nenhum dos três candidatos de oposição tem moral sequer para serem candidatos.

    – Aébrio representa um partido que quebrou o Brasil três vezes.

    – Eduardo Campos é oposição a um governo do qual seu partido participa. Chega a ser surreal.

    – Marina defendeu o homofóbico Feliciano. Foi uma das poucas vezes que se posicionou sobre algum assunto, pois ela não revela sua opinião sobre inflação, crescimento, pré-sal, nível de emprego, etc. Ela tenta fingir que é um anjo pairando acima das questões do dia a dia.

    Por fim, podemos ter também a volta de Serra, o eterno candidato. Sobre ele, basta examinar os documentos do livro “A Privataria Tucana” para saber de que estofo esse candidato é feito…

  • Será que o povo seria louco de trocar uma equipe, que nunca em sua história, trouxe tanta prosperidade ao país, por um governo que ninguem conhece como a Marina (apoiada por quem mais quer elevar o juros no Brasil como o Banco Itaú ou o governador de Pernambuco que só existe por que o Presidente Lula deu todo apoio para seu governo ou um governo traidor da pátria como o PSDB? Se forem loucos assim, então seja o que Deus quizer.

  • “Se o país não tiver mergulhado no desemprego, na hiperinflação, com salários e renda das famílias despencando e a economia em recessão, será inevitável que o eleitor pergunte a si mesmo quem vai colocar no lugar de Dilma e se vale a pena trocar o “técnico” de um time que, então, será impossível negar que estará ganhando”

    E não estará segundo Marcio Pochmann. Vendo o documentário “O negocio da democracia” trata-se de um método de manifestação popular contra governos de forma PACIFICA o que não é o caso no Brasil.
    http://www.youtube.com/watch?v=91kVIU3hKcU&list=FL-xMa2Ir_Vgl83oiD0gcRGg&index=32 Como iniciar uma revolução extraído via Cafezinho no http://www.ocafezinho.com/2013/07/25/denuncia-eua-financiam-revolucao-no-mundo-inteiro/

    Mas dele se depreende de como a oposição; mídia e partidos, estão agindo sabotando os pilares de sustentação do governo Dilma/esquerda; emprego, inflação sob controle, investimentos do PAC, Copa Olimpíada, Médicos, reforma política, etc. E há interesses externos para que o governo mudasse para um outro mais “palatável”.
    Resta saber se tais boatos se tornarão fatos, e daí sim viria a escolha de outra proposta. Por ora analisemos como Polyana!! Foi bom essa queda para Dilma abrir os olhos.

  • Se ocorrer eleição, pois os golpistas brasileiros ainda podem tentar uma nova revolta dos coxinhas e tentar transformar o Brasil numa monarquia com a ascensão de Dom Barbosa I, o honestíssimo, não voto em nenhum desses aí. Votaria no Roberto Requião no primeiro turno caso ele tivesse coragem de se candidatar por outro partido. Por falta de opção vou de Dilma nos dois turnos.

  • Eu não acredito em pesquisa. Não adianta usar métodos e mais métodos. Acredito no que esta na minha frente, e isso é Dilma. Não sou fanática, mas voto PT, sempre,então…

    Quando eu disse que Marina estava por tras de tudo quanto é maquinação made in USA, todo mundo achou a imagem forte demais. Só ela emplaca, porque deve estar atrelada até o pescoço com as multinacionais.
    Mas isso não dura.

    PS: Já que ela é tão íntima da Natura, podia ao menos usar a maquiagem, que é bem boa.

  • Meu voto é Dilma.

    Interessante Edu, quem mais saiu ganhando com essas ‘manifestações’ (no começo interessantes, agora pra lá de suspeitas, na minha opinião) foi a candidata Marina, cujo vice é da Natura e que é bancada por um banco, o Itaú, cujo dono, segundo dizem, queria ver a Dilma fora do Planalto em 2014…

    Curioso, não!

    Mídia apostando, e se lascando, no quanto pior melhor (terrorismo midiático: do apagão – inflação do tomate – agora alardeando desemprego), manifestações, Marina, Itaú, enche a mídia de patrocínios…

    Tudo muito nebuloso.

  • Dilma precisa decidir duas coisas: 1) esperar a saída do traíra e aproveitador Eduardo Campos ou despachá-lo já; 2) continuar refém do infiel PMDB ou romper com ele enquanto há tempo hábil para recompor a base.
    É complicado, mas ficar empurrando com a barriga sua frágil sustentação política atual só complicará mais a situação, mesmo ocorrendo recuperação de parte da popularidade perdida.

    • Duvido. Eu entendo que por estrategia para a guerra que se avizinha, Lula poderia até aventar (ameaçar) a possibilidade de chapa pura( Dilma presidente e Lula vice) para cortar as asinhas do PMDB e Temer e demais aliados fisiológicos.

  • Sr. Eduardo hoje vi uma propaganda do “mais medicos” bem didatica na globonews, o caminho é esse, se é para torrar dinheiro no pig pelo menos que seja de forma inteligente, e logo em uma emissora que teima em por o governo federal em todas as criticas como faz como ontem uma jornalista ao criticar a organização da JMJ desceu o sarrafo no governo estadual e municipal e para não deixar passar colocou até o governo federal apesar de não saber se este tinha ou não participação; o que não pode é fazer propagandas iguais as do tse que são um cebolorio sem fim e não informam nada, por exemplo, que o cidadão pode votar na legenda.

  • PELAMORDEDEUS!!!!
    Dilma 13
    Não dá sequer pra pensar em outra coisa.
    Essa Mulher é fera, é nota 10.
    As vezes vejo progressistas falando mal da Presidenta, de seu governo e ponho-me a pensar: será que esse companheiro aí sabe a têmpera dessa mulher? Lula sabe e não a colocou lá pelos seus lindos olhos verdes.

  • Eu não quero nunca mais o Brasil de 1997 quebrado e com o FMI em seu encalço ditando regras. Retroceder JAMAIS.
    Perder o pouco conquistado é burrice. Quantas vezes os mais antigos não ouviram a sentença de que o Brasil era o país do futuro. A elite complementava que sempre seria de um futuro que jamais chegaria por causa do povinho mestiço que aqui habita.
    Quando enfim o futuro chega com brilhantismo e com muito mais coisas a conquistar permitir que uma minoria bilionária egocêntrica, traíra, canalha conspire pondo tudo a perder porque não quer largar o osso, será muita covardia por parte daqueles que têm consciência de que o momento do país é único e um retrocesso será começar tudo do zero.
    As conquistas que foram feitas como a de retirar 40 milhões da miséria, a historia prova, só acontece com ruptura institucional em que uma nova ordem é imposta e muitas vezes com muita violência e assassinatos como a da revoluções da França, URSS e de Cuba. Pois o Brasil conseguiu sem grandes rupturas. Do seu jeito de sempre. O que é admirável.
    Agora que temos a oportunidade de avançar, fazer mais e ouso dizer atravessar o rubicão, a elite golpista através de seus braço midiático que mantem refém numa caverna em um mundo irreal parte de uma classe pervertida e ignorante tenta sabotar o pouco conquistado. Problemas de seculos como a corrupção, a educação e saúde de péssima qualidade, bem como transportes públicos indignos são colocados sob a responsabilidade de um governo que chegou ao poder apenas em 2002. Como se antes de janeiro de 2003, o Brasil vivesse as mil maravilhas com serviços públicos de primeiro mundo e sem favelas. E a classe media que só depois de Lula teve acesso a carro zero, imóvel próprio, viagens anuais a Europa e USA para compras e usufruir ferias acha que esta no pior dos mundos porque a Globo diz que é assim, mesmo que tal versão midiática não seja condizente com a realidade que vivem. O PiG aposta no ódio e preconceito da classe media coxinha que a torna cega para a realidade.
    É garantido entretanto uma coisa, com a taxa de juros nas alturas defendida pela direita e o dólar a 4 reais a classe media pode dizer adeus a vida que vem tendo hoje. E não se enganem a corrupção recrudescerá pois o PiG se calará, já que corrupção tucana PODE e o Judiciario e MP são coniventes com os mal feitos da elite, vide o propinoduto tucano do metro SIEMENS.

  • Prezado Eduardo,

    Gostaria que vc fizesse uma análise das sucessões estaduais. Lembre-se de que o PSDB de São Paulo está no poder ha 20 anos, e quem os precedeu foi um PMDB da pior espécie, que quebraram um banco, uma ferrovia, a educação pública… Em Minas Gerais, nada diferente. No Rio, uma sucessão de palhaços e palhaçadas. No Paraná e Santa Catarina, coitados… É possível?

    Abraços.Douglas Quina
    Mogi Guaçu – SP

  • Quando leio pessoas criticando acidamente o governo, sempre pergunto quem acham que faria melhor governo. A resposta é sempre um silêncio.

    De um lado a mídia apocalíptica, sempre criando notícias ruins a partir de fatos bons, tornou as pessoas mais exigentes e críticas.

    Mas por outro lado, a realidade mostra que a situação não está ruim. Por mais que a mídia bata pesado, as pessoas estão empregadas, recebendo salários nunca tão altos como hoje, sem apagões, desabastecimentos, ou carestias. Isso não fará que as pessoas baixem as críticas, pois todos sempre querem mais e mais. Mas o levarão a votar na capitã do time que está ganhando.

    Acredito que poucos arriscaram mexer nesse time. Dilma leva no segundo turno.

  • Temos uma situação interessante, a possibilidade da elite paulistana desapear do poder definitivamente, como foi iniciado com as eleições federais em seguida com a eleição do prefeito Hadad, e certamente sera concluido com as proximas eleições para o governo do estado, levou o tucanato e seu braço midiatico a reações extremas.
    Essa reação certamente ira aumentar muito ate a chegadas das proximas eleições, não tenho duvidas, até porque é a unica alternativa para a quadrilha, digo elite.
    Creio que o setor de comunicação do governo federal tem a obrigação de se posicionar rapidamente. No momento é esse departamento de estado que tem condições de minimizar o terrorismo midiatico.
    A midia desinforma, manipula e agride 24hs por dia, perceba o estrago que esta sendo efetuado na cabeça da população, Sera que somente o periodo de campanha eleitoral seria suficiente para modificar o entendimento da população?

  • Meu maior temor é de que a direita não fique apenas no terrorismo midiático e que diante do sucesso provisório de desgaste do governo causado pelos seus agentes infiltrados nas manifestações promovendo a violência indiscriminada nas ruas se sinta tentada a ir para o tudo ou nada e partir para o terrorismo com atentados e vitima como no atentado do Rio centro. Não duvido nem um pouco de que são capazes disso.

  • Caro Eduardo Guimarães, votarei na Dilma pela competência da mesma e sua credibilidade e honestidade no cargo que ostenta. Votarei na Dilma por que a mesma é do Partido dos Trabalhadores, o terceiro motivo pelo qual voltarei na Dilma é devido ao apoio de Lula a sua candidatura.

  • Ainda tenho a senadora Marina atravessada na garganta desde as últimas eleições. Com sua carinha de santa foi a responsável pelo segundo turno, quando se beneficiou, quietinha, de uma sórdida campanha dos evangélicos que, na calada da noite, desviou milhões de votos da Presidente Dilma e que lhe dariam a vitória no primeiro turno.

  • Sendo rápido e sucinto: Requião e Ciro Gomes seriam nomes muito melhores do que qualquer outro
    do PT (incluindo Lula e Dilma) para a presidência da República….

    Pena que seus respectivos partidos não enxerguem dessa forma e preferiam seguir fisiologicamente
    um processo diferente….

  • Desses o pior é o sr. Aécio Neves. Com ele o risco de o país voltar aos tempos do Vice Presidente Fernando Henrique (vice sim, a presidenta era aquela senhora chilena do FMI) é muito grande.

    • Num hipotético 2° turno entre Aécio e Marina, só assim eu daria meu voto à Marina. Espero que eu não tenha que escolher entre o neoliberalismo e a teocracia evangélica. Meu voto é da Dilma. E as pessoas com quem eu tenho conversado, pessoas do interior como eu, me dizem a mesma coisa. O único que discordou de mim, foi um cara de Brasília, que estuda no IFET de Barbacena, mas ele já está (infelizmente) com a cabeça feita aos 16 anos.

      As pessoas do interior perceberam muito bem o que foram essas manifestações de junho. A elas eu tenho dito, quando estão paradas numa estrada com o trânsito fechado por manifestações de caminhoneiros: vinguem-se desses sujeitos votando na Dilma o ano que vem.

  • Dilma está perdendo para ela mesma. Continuar com esses ministros fracos: Bernardo, Helena Chagas, Z.Cardoso, tá querendo o quê?

  • Dilma está perdendo para ela mesma. Continuar com esses ministros fracos: Bernardo, Helena Chagas, Z.Cardoso, tá querendo o quê?

  • O nobre senador Aébrio Neves tenta marcar presença na internet. Aqui mesmo neste post há um comentário que é, nitidamente, peça de publicidade de Aébrio. Mas a internet não se comporta como a velha mídia (jornais, revistas, rádios e tvs), a qual não permite o contraditório. Quem tenta fazer publicidade aqui sai perdendo.

    A Blogosfera progressista terá papel fundamental para que as pessoas reflitam sobre o terrorismo midiático e o rejeitem.

  • Primeiro Marina saiu do PT porque não conseguiu mudar o partido, agora quer se candidatar a presidente.
    O que será que vai fazer, se eleita, quando perceber que não consegue mudar o país sozinha, vai mudar de país, bom de partido já mudou?!

    • Vários já tentaram o mesmo. são centenas e centenas de dissidentes do partido e que ainda tentam sabotar o próprio berço. Quem é, hoje, Heloísa Helena? Quem será Marina daqui 2 anos?

      Douglas Quina
      Mogi Guaçu – SP

    • Permita-me um contraponto, Nivaldo. Conhecendo a visão de mundo da Marina, que eu definiria como medieval-ambientalista, se ela conseguisse mudar o PT, inegavelmente seria para pior. Ficou no governo do Lula por mais de 6 anos e só largou o osso por puro oportunismo: para construir sua candidatura à presidência da República, já que no PT não teria apoio para tanto. Como ministra do Meio Ambiente, foi um poço de incompetência: emperrou projetos de desenvolvimento do país com argumentos sectários, bateu de frente com a Dilma e angariou apoios empresariais muito suspeitos (diria entreguistas). Foi daí que vieram os recursos de sua campanha (viajar em jatinho da Natura e ser financiada pelo Banco Itaú não é pra qualquer um não). Lula deveria ter se livrado dela desde o princípio, assim como fez com o Cristovam Buarque. Acabou engordando um jacaré da pior espécie (não me refiro ao sentido estético do termo).

  • Tudo bem que a economia continuará como o principal tema para se decidir as eleições do ano que vem, mas não se resume somente a isso. As manifestações tem cobrado muito sobre a qualidade dos serviços públicos e a incapacidade dos políticos em fazer as reformas necessárias: O governo Dilma tem um problema sério na sua base, que de aliada não tem nada. O PMDB, PSB, PDT não são confiáveis. O único fiel é o PC do B. Aliás, o que o PMDB mais gosta é de governo em crise para poder chantagear.

  • Caros,
    A proposta induz a um voto que não é o anceio do povo. O correto seria incluir a Dilma …. PT sempre!!!!
    – O Campos está surfando na onda que foi produzida pelo governo. Todo o desenvolvimento ocorrido no nordeste foi pelo total apoio e investimento do governo federal.
    – Aécio não é integro..é integrante da quadrilha que rouba o Brasil à anos, desviou 4,8 bilhões do governo…continua impune….não goza da confiança do povo.
    – Marina, com cara de morta, na foto, já se vendeu ao Itaú e está toda comprometida com o que há de mais podre na política….infelizmente….ela já não é a mesma….sem chance

    Dilma lá!!!

    Fui!!!

  • Eduardo e companheiros do blog,

    Em primeiro lugar, para deixar claro que não sou troll e nem direita disfarçado, voto no PT desde de 1989. Portanto, já faz tempo!
    Se analisarmos friamente, durante os anos Lula e agora com os dois anos e meio de Dilma o que tivemos foram governos de conciliação sem atacar e quebrar determinadas estruturas de poder instaladas nesse país. Cito apenas um exemplo: a mídia. Como podemos admitir uma concentração absurda de mídias em mãos de reduzidos grupos empresariais, que são, comprovadamente, contra os interesses do país e da maioria da população? Não houve nenhum movimento do governo nessa direção e não há vontade para isso. O Ministro das Comunicações está fortemente comprometido com as teles em detrimento da população que recebe péssimos serviços das concessionárias públicas (!!!!!!).
    O governo Dilma redescobriu os movimentos sociais no calor das manifestações de junho último. Sim, redescobriu. Por ocasião da eleição, em 2010, os movimentos sociais e o campo progressista da sociedade e seus espaços de manifestação, os ditos “blogs sujos”, aí incluído o bravo Eduardo Guimarães, não se furtaram em conduzir e levar a mensagem da, então, candidata Dilma. Embaixo de pau e pedra, diga-se de passagem. Para nossa felicidade, eleita, mesmo no segundo turno.
    Depois de eleita, o que vimos foi o distanciamento dos movimentos sociais e das pautas de interesse de interesse da maioria da população. No ministério, podemos perceber claramente a que interesses determinados ministros defendem e com certeza não são os de grande parcela da população.
    Além desses aspectos, há um estilo pessoal da Presidenta Dilma, que centraliza em sua pessoa as decisões, não dando espaço para que os ministros de estado conduzam com mais autonomia suas pastas, diferentemente do Presidente Lula. Bom, são estilos pessoais diferentes, mas que repercutem na condução do governo e na articulação política no congresso.
    As trapalhadas entre ministros perante o público é gritante. Talvez poucos aqui tenham visto, mas por ocasião da greve dos professores universitários, no ano passado, os Ministros do Planejamento e da Educação foram desastrosos na primeira entrevista que deram conjuntamente. O desconhecimento de dados e da pauta dos professores era gritante, além da falta de diálogo. Recentemente, o governo impôs nova carreira para os professores universitários sem consultar a categoria, além de causar transtornos imensuráveis na realização de concursos, pois determinou que o início da carreira seria de professor auxiliar, quando o Brasil já está formando 10.000 doutores por ano.
    São apenas alguns exemplos, creio eu, do porque a popularidade da Presidenta Dilma vem caindo. Não é possível segurar um governo apenas nas políticas compensatórias, que diga-se de passagem, são extremamente importantes para reduzir nossas iniquidades sociais.
    O governo tem um ano para dar sinais de que sua agenda para o segundo mandato poderá ser mais progressista e tentar, em certa medida, reduzir os espaços dos grupos econômicos que estão representados nos ministérios.

    • Análise muito pertinente, Antonio.Acrescentaria a necessidade da presidente aumentar a comunicação com a população, via tv, um programa semanal, de 5-10 minutos que seja, após o JN, rebantendo a pauta semanal da #MidiaBandida e terrorista economica.
      O programa radiofonico “Café Com a Presidente” é muito restrito e pouco reproduzido. Garanto que seria muito eficaz. Contar com a #MidiaBandida, não dá mais. Basta!

    • Realmente, uma análise bem lúcida. O governo Lula, ao final, até que ensaiou a regulação da mídia, com o então ministro Franklin Martins. Mas não houve realmente um esforço DE GOVERNO.

      No entanto, fica a questão colocada pelo post: votar em quem? Eduardo Campos, aquele que é oposição mas, ao mesmo tempo, está no governo? Aécio Neves, que é do partido que quebrou o Brasil três vezes, e que sonha em entregar o Banco do Brasil, a Petrobras, o BNDES e até o Banco Central aos EUA? Marina Silva, a “sonhática” financiada pelo Banco Itaú?

      Não há opção a não ser votar em Dilma. Mas, não basta votar. É preciso ir à luta, como as centrais sindicais e movimentos sociais estão fazendo.

      Houve um grave erro do PT de se afastar das bases. As organizações populares influenciadas direta ou indiretamente pelo PT acabaram se afastando dos trabalhadores também. A exceção foi o MST.

      Agora, há um recomeço de mobilizações. E não estou falando do tal movimento passe livre (*), que é de oposição ao governo federal. Falo de mobilizações como as de 11 de julho, organizadas por sindicatos, centrais sindicais e MST.

      ____________________
      * A revista IstoÉ está denunciando – na edição anterior e nesta que está nas bancas – um esquema gigantesco de corrupção no Metrô de SP. O desvio de dinheiro público chega a meio BILHÃO de reais!! E cadê o tal movimento passe livre? Afinal, além de estarmos falando de uma corrupção gigantesca, ela se deu na área de transportes, que é justamente a área de atuação desse “movimento”. Mas estão quietinhos, quietinhos. Afinal, trata-se de um governo do PSDB. Então, o tal movimento passe livre não fará nada, pois são aliados dos tucanos.

      • Caro Locatelli,

        Dentre os três possíveis candidatos apontados no post, não votarei em nenhum deles. Caso Dilma seja candidata, votarei nela, sem a menor dúvida. No entanto, será um voto frio, sem a paixão e a militância que costumo manifestar nesses momentos de fortalecimento da nossa democracia e de consolidação de um projeto de esquerda.
        Me sinto meio ultrajado, assim como milhares de militantes que levam as campanhas na rua devem se sentir também, quando nós cidadãos comuns vimos e sentimos no nosso dia a dia as consequências dos pactos estabelecidos por cima. A captura das agência reguladoras pelos setores que cabe a elas regular é um exemplo de que as estruturas de poder não foram rompidas e não há vontade política para tal.
        Temos que mobilizar esforços e encontrar os espaços para travar uma luta política que redefina a pauta e correlação de forças dentro do governo.

  • Prezado Eduardo:
    1. Não voto em Eduardo porque ele até hoje não deu uma explicação convincente sobre o caso dos precatórios quando ele era secretário da fazenda no governo do seu avô, o senhor Miguel Arraes.
    2. Não voto no Eduardo porque ele não explicou à sociedade que o bom governo que ele faz em Pernambuco, a maior parte dos investimentos e seus derivados(estradas, estaleiros, canais de irrigação, ampliação de Suape, refinaria, sistemas de abastecimentos de água e esgoto, fábrica de fármacos, etc.etc.) provem do governo federal – governo do PT .
    3. Não voto em Aécio Neves por que o seu partido PSDB confundo administração pública com venda de patrimônio público. Essa é a única coisa que a turma de PSDB sabe fazer.
    4. Não voto em Aécio Neves porque porque o PSDB é um partido de entreguistas(como bem disse o ex-presidente mineiro Itamar Franco na época das famosas privatizações de FHC “ do jeito que estão fazendo, vão vender tudo, até o pau da bandeira nacional”).
    5. Não voto em Aécio Neves porque o seu partido o PSDB quebrou o Brasil três vezes em apenas 8 anos de governo – Na crise asiática, na crise russa e na crise mexicana.
    6. Não voto em Aécio Neves porque ele foi um péssimo governador em MG, só tinha propaganda e poucas realizações, além do mais não explicou e duvido que vá explicar onde está o dinheiro da saúde que desapareceu e por isso está respondendo processo e que a grande mídia esconde esta notícia.
    7. Não voto em Aécio Neves porque a turma diz que ele tem uma grande afinidade com um certo vício de cheirar” perfume” que a sociedade condena e que dá prisão para os “pés de chinelos” deste pais, além de querer ter uma vida de play boy.
    8. Não voto em Marina Silva porque não tem proposta para o pais, exceto aquelas definidas pelos banqueiros, madeiros e ONG’s estrangeiras.
    9. Não voto em Marina porque o seu (futuro ?) partido fala de um assunto que é uma grande falácia – o aquecimento global – do planeta, além de buracos negros e mudanças climáticas.
    “ O mal denominado buraco negro na camada de ozônio ( 0³) não passa de uma rarefração cíclica das concentrações de ozônio na estratosfera abaixo de um certo nível. As concentrações de gás são medidas em unidades denominadas dobsons, em homenagem ao cientista inglês Gordon M.B. Dobson, o grande pioneiro das pesquisas sobre o ozônio atmosférico. Os valores médios para a concentração de gás na estratosfera são da ordem de 350 dobsons, mas, assim como ocorro namaioria dos fenômenos atmosféricos, eles são extremamente variáveis e dependentes de fatores como latitude, estação do ano, intensidade de radiações solares e cósmica, erupções vulcânicas, etc. Quando as concentrações são abaixo de 200 dobsons, convencionou-se chamar tais rarefações de “buracos negros”. Esse fenômeno já era registrado na região subártica da Noruega desde a década de 1920 como observou o estudioso Randolph Penndorf, em um artigo publicado em 1950.Penndort, era meteorologista da Força Aéra dos EEUU e constatou níveis de ozônio tão baixos como 50 dobsons, nunca verificados em outros lugares. A expressão “buraco negro “ foi criado por Penndorf para qualificar concentrações de ozônio abaixo de 150 dobsons”.
    Esse papa de aquecimento global é uma grande fonte de enriquecimento para os “aquecimentistas”, pois, só em 2008 o mercado capitalista movimentou 126 bilhões de dólares com os famigerados créditos de carbono.
    “ o grande paladino do aquecimento global o senhor Al Gore (candidato a presidente dos EEUU e derrotado por Bush filho)tem tido um enorme sucesso com a sua pregação ambiental aos negócios. Em 2004, juntamente com David Blood(ex-executivo do banco Goldman Sachs), criou o fundo de investimento Generation Investment Management, sediado em Londres, com o qual pretende capturar uma boa fatia do mecado mundial de carbono. Esse investimento em ambientalismo demonstra que vai de vento em popa, pois entre 2000 e 2008 o patrimônio do senhor Al Gore passou de 8 milhões para mais de 100 milhões de dólares.
    Pergunto a quem possa me responder: quantos milhões de dólares de crédito de carbono o Brasil vendeu e quanto desse dinheiro foi para o povo pobre e com quem ficou essa grana ?
    Vamos ver um pouco de terrorismo ambiental ligado ao aquecimento global e que o partido de dona Marina está associado :
    “em 1976 o diplomata inglês Crispin Tickell para um ano nos EEUU estudando Astronomia e Meteorologia. Após o retorno dos EEUU foi nomeado chefe de gabinete do presidente da Comissão Européia e fundador do Instituro Roy Jenkins. Posteriormente dirigiu a Overseas Development Administration, o órgão do governo britânico que introduziu os condicionantes ambientais na concessão das doações feitas aos países em desenvolvimento.Uma das suas protegidas – Chris Patten via a ser ministra do meio ambiente do governo neoliberal de Margaret Thatcher. Atualmente o senhor Tickell é um dos patronos da ONG Optimum Population Trust. Essa ONG é britânica e prega a redução da população do Reino Unido (em 2008 a população do Reino Unido era de 61 milhões de pessoas)para menos de 30 milhões de pessoas.Essa ONg divulgou um estudo de que a forma mais barata e efeiciente de combater o aquecimento global é através do controle da natalidade.
    Obs: a maior parte dos dados do item 9 acima foi tirado do Livro – A fraude do Aquecimento Globa – Autor: Geraldo Luis Lino – Ed. Capax Dei.
    Para Fernando Viana ( dia 27 – 14:16 horas ).
    O símbolo do (futuro ? ) partido de dona Marina é realmente a Fita de Mobius, só que ele é na realidade uma antiga figura da geometria, conhecida como LEMNISCATA, que nada mais é do que o número 8 deitado, que é o símbolo do infinito. Quando você coloca duas lemniscata, sendo uma no sentido horizontal e cruzando com uma no sentido vertical teremos aí o que se chama de rosáceas de quatro pétalas que é também um símbolo antigo e muito usado em catedrais góticas. Com esses dois 8 entrelaçando-se, temos aí as condições essenciais à vida . Faça esse entrelaçamento dos dois oito e em cada pétala coloque cada elemento que é considerado essencial à vida . Em uma pétala coloque a palavra fogo , em outa coloque a palavra água, em outra coloque luz ou ar e em outra coloque terra. O fogo é transformador, a água é vitalizador; o ar ou a luz são as coisas invisíveis que representam a cultura, a visão, a missão, a energia(isso no mundo empresarial) e por último coloque a terra que é a base física sobre a qual a vida se desenvolve.

  • Prezado Eduardo:
    Complementando o que enviei às 10:40h. O que falei em resposta ao Fernando Viana baseia-se no livro Gestão Viva – A célula como modêlo de organização, de Jair Moggi, Editora Gente.

  • Edu, Preciso acreditar que Dilma reagirá a tempo de mudar esse quadro de insatisfação das pessoa que se deixam levar pelo que diz a globo e assemelhados. Perguntei a uma colega de trabalho se sua vida havia piorada. Ela respondeu Não ,hoje minhas filhas escolhem onde querem trabalhar. Insisto em dizer. A presidenta precisa falar com o povo. Não acredito que Marina decole se Dilma enfrentar esses golpistas. Eduardo é um traidor e qual a justificativa que vai encontrar para criticar o governo federal se Pernambuco recebeu e ainda continua recebendo milhões de reais. Mas dele pode se esperar tudo.

  • Não Eduardo, o PT não está olhando para dentro. Seus parlamentares são hoje o pior cartão de visitas, o que propiciou que bandeiras históricas fossem levantadas por dissidentes nas ruas, tudo por causa de uma maldita governabilidade. A aprovação de Dilma subiu por causa da “limpeza” no início do governo, mas o que vemos hoje é uma Dilma alinhada à direita e fisiológica permitindo que politicas gerem desemprego e entrega de bens da união. Não temos hoje no governo nenhum pensamento de longo prazo, temos apenas gestores que perseguem algo que foi pensado por alguém do passado, verdadeiros sargentos. É como a Apple sem o Steve Jobs.

  • VOTO branco, ou nulo, quem sabe…

    O dia que o povo acordar, político não dorme.

    Se o povo achar a entrada dos palácios, veremos políticos saltando das sacadas.

    Sou pela democracia PARTICIPATIVA ..chega de carta em branco pra quem vota secreto, pra quem discorda e não conta, ou se conta FAZ de conta, pra quem não se compromete, e quando promete, não cumpre.

    Lamentável perceber que TODOS em seus projetos e/ou propostas já possuem suas obras REPROVADAS.

    Saúde, educação, transporte e segurança, ÉTICA, honestidade, não é pedir muito, é ??!! ..TEMAS ANTIGOS que pela idade com que estas criaturas estão na praça, elas mesmas já deveriam ter ajudado pra que nos fossem pretensões passadas.

    Mas que ??!! Aqui parece que só pra COPA e Olimpíada, com suas obras atrasadas e superfaturadas, parece que só com temas assim é que esta corja de salafrários se alinha em uniformidade.

    http://www.youtube.com/watch?v=9RSPcYiXPAg

  • Edu, não colocaria ninguém porque acho que vai dar Dilma outra vez, para o bem da Nação. Mas a população precisa aprender a votar no PT e só no PT. Onde tiver coligação e o candidato não for do PT tem que votar nulo, ou seja, 99 ou 00 e confirmar. Só assim a Dilma não dependerá tanto da base de sustentação do governo. Só aumentando a bancada do PT o próximo governo Dilma poderá fazer um governo voltado para o desenvolvimento do país e sem deixar de lado o social, que é marca do partido desde 2003.

  • ►Eduardo Campos = traíra da pior espécie, é o que é graças a Lla e Dilma.
    ►Aécio Neves, demotucano, filho politico de FHC, etc, etc… muitos defeitos…não dá mesmo, né?
    ►Marina Traíra = Banco ITAÚ (até nas cores da tal Rede Sust) , Natura exploradora de indios, ptista frustrada, religiosa fundamentalista… é demais, né?

    Estes tres são fracos.

    Roberto Requião sim, poderia ser alternativa ideologica de centro-esquerda SÓLIDA, pois colocaria, de imediato, a #MidiaBandida na posição em que ela deveria estar, de 4! Não como Dilma trata aos “Millenium”, dando comida farta a quem quer destruir o Brasil e a nós seu povo… deixando a midia canalha ser, DE FATO, o 1º poder…

    • Olha, sabe que eu também gosto muito do Roberto Requião? Eu pretendo votar nele para Presidente um dia, mesmo sendo petista. Mas não na próxima eleição porque para a próxima, sou como o Lula, já tenho candidata e o nome dela é Dilma Rousseff.

  • Roberto Locatelli
    28/07/2013 • 04:21.
    As imagens que vc publica no seu blog, deram-me ensejo de produzir algo e mandar para
    amigos e outros nem tanto. São imagens que dizem o tipo de “protestantes” que a mídia insufla,
    mostrando seu ódio ao poder constituído.
    Parabens pelo blog. O Aurélio define muito bem o título.

  • Edu…

    O único candidato que me faria deixar de votar em Dilma (nesse momento, e com o atual quadro presidenciável), seria o Lula.

    Mas já passou da hora, da esquerda se mobilizar e ter, um candidato, mais voltados com as causas da esquerda!

  • Vale a pena lembrar que a pesquisa Datafolha divulgada em 30 de junho foi realizada nos dias 28 e 29 de junho, a da MDA-CNT divulgada em 16 de julho foi realizada entre 07 a 10 de julho e a do Ibope-CNI divulgada em 26 de julho foi realizada entre 09 e 12 de julho, portanto as duas últimas foram realizadas praticamente no mesmo período, porém estrategicamente divulgadas com largo intervalo, causando assim a impressão de nova “queda da presidente”, e o pior, escondendo a realidade que a queda foi estancada ainda no período final das manifestações, observando-se os resultados desses institutos em relação ao Datafolha, com pesquisa realizada no auge das manifestações.
    Cabe ainda ressaltar que eleitoralmente é muito melhor a presidente Dilma ter seus índices de aprovação em queda agora, para lentamente iniciar a recuperação, mesmo que não a patamares expressivos anteriores, que tê-los em queda justamente nos meses antecedentes a eleição em 2014.

  • Eduardo e comentaristas, acho pertinente as críticas ao governo, coalizões, inanição frente à alguns setores mafiosos, etc.. Só não podemos cair na armadilha que vejo seguidamente ocorrer em alguns espaços de opiniões, ditos de esquerda. Tendo a publicação um tom crítico demais, logo, logo, grande parte dos comentaristas já estão quase derrubando o governo, o que nos remete ao título dessa matéria. Então, vamos com calma, critiquemos e propusemos soluções, porém, vamos ter em mente que o que poderia vir no lugar desse governo, seria bem pior, até porque já sabemos o que fariam.

  • Edu, meu voto é DILMA.

    Os iternautas progressisstas, nesta hora, devem deixar de ser sonhadores exigentes e APOIAR INCONDICIONALMENTE a presidenta, dando-lhe forças para derrotar a COLIGAÇÃO FACISTA
    que tenta desqualificar as suas ações.

  • Eduardo- continuarei votando no PT, ainda mais após ouvir os discursos do Papa .que mais pareciam discursos do PT. Incrível como gente que e’ contra o bolsa família “adorou” o discurso do Papa- que intimou a todos a tentarem acabar com a miséria e a fome. Eles não querem entender nada . – e isto assusta.Vamos espalhar essa idéia que o Papa falou o que o PT tem feito há 13 anos.

  • Como já me cansei de repetir : o que vemos nessas tais “quedas” de popularidade de Dilma é em sua primeira parte simplesmente um “microgolpe” que já “funcionara” de maneira limitadíssima com Lula, o qual consiste em criar um clima de terrorismo econômico a partir de um fato concreto, mas que na verdade não deveria afetar o Brasil ou simplesmente nos prejudicar de forma pontual, qual seja a crise econômica internacional, em sua “segunda fase” de caos econômico que afligiu, e a lá deveria ficar restrita, os países outrora “desenvolvidos”, Europa e EUA. Pois bem, diante desse fato real, os coroneis eletrônicos e seus “jornalistas” amestrados aproveitaram-se do noticiário negativo que a realidade externa trazia e, novamente apostando também no nosso ainda não completamente curado “complexo de vira-lata”(embora já um pouco melhorado), passaram a bombardear a Nação com um hipócrita terrorismo econômico centrado na ideia de uma inexistente “volta” da inflação, cinicamente “corroborada” pela mídia reacionária através da divulgação de aumentos pontuais de gêneros alimentícios, que ocorrem habitualmente devido à entre-safra e a falta de armazéns públicos para formação de estoques, os quais foram vendidos nas privatizações de Collor e FHC. Contudo, esse fato anualmente corriqueiro, amplificado pela histeria da mídia do pensamento único e com o falso “aval” do negativismo oriundo da crise estrangeira(a velha mensagem subliminar e complexada “se está acontecendo na Europa e nos EUA, como não vai acontecer aqui”)acabaram por apavorar a população, do mesmo modo que em 2009, levando a uma queda nas expectativas positivas e diminuição da popularidade de Dilma, ainda que em níveis pequenos. Ao contrário do passado, Dilma não agiu como Lula que(ainda que fosse criticado por também calar-se demais diante dos ataques midiáticos)nessa e em outras ocasiões, usou seu poder de falar à Nação através da convocação da rede nacional de rádio e televisão, e reagiu às mentiras midiáticas declarando para o país que estávamos bens, que todos deveriam continuar cofiantes e consumir para ajudar o Brasil a manter o crescimento. Ao contrário do aliado, Dilma calou e, como quem cala consente, essa expectativa foi mantida, produzindo um estrago maior que o que sofreu Lula, embora ainda pequeno. Todavia a esse golpe, juntou-se outro, também sofrido pelo antecessor de Presidenta, só que no caso de Lula através da via institucional, que foi a criação da falsa impressão de que o país vive problemas seríssimos, que o Governo está em crise, feita a partir DA REALIZAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES SEM NENHUM CABIMENTO(TANTO QUE SEQUER POSSUÍRAM UMA REIVINDICAÇÃO CONCRETA ALÉM DO PREÇO DAS PASSAGENS DO TRANSPORTE PÚBLICO QUE, POR MAIS JUSTA QUE POSSA SER, NÃO É CAPAZ DE DEFINIR SOZINHA O ÊXITO SÓCIO-ECONÔMICO DE NENHUM GOVERNO E NEM EXPRESSAR A REAL PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO SOBRE ELE). Se não bastasse essa constatação óbvia, o perfil social desse “movimento”, composto em sua esmagadora maioria por “jovens” da classes média e alta(ou seja, os setores minoritários e conservadores da Sociedade, desde o início dos governos petistas refratários radicais às mudanças na distribuição de renda e aumento de oportunidades educacionais que Lula e Dilma vêm levando para os mais pobres)serviram como o atestado indiscutível de seu caráter conservador e golpista, que só não é enxergado ainda até mesmo por parte da parcela progressista da Sociedade devido a um bovino “espírito de manada” que leva esses setores a idiotamente falarem em “vozes das ruas” onde o que tivemos foram mauricinhos e patricinhas relinchando seu ódio de classe virulento e sem conteúdo em “passeatas” que(conforme pesquisa Datafolha onde constatou-se que 78% dos “manifestantes” tinham curso superior, contra 15% desse nível educacional na população brasileira)não tiveram a participação da maioria dos brasileiros, que mantiveram-se distante primeiro por não terem nada de que reclamar(a renda dos 10% mais pobres cresceu 700 vezes mais que dos 10% mais ricos nos últimos dez anos, além de mais de 40 milhões de pessoas terem ascendido à classe média, a chamada Classe C, sem contra que quintuplicou o número de negros na Universidade)e segundo por não entenderem verdadeiramente os “atos”, tendo no máximo uma compreensão difusa de que não tinham relação com eles, mas retirando da baderna que os mauricinhos e seus capangas realizaram uma opinião pessimista sobre a postura da presidenta diante da desordem, enxergando-a como leniente com a depredação. E foi dessa percepção negativa, embora não fundamental já que referente a um problema pontual, não ao conceito geral que têm do Governo e é positivo, que a maioria dos brasileiros, assustados no momento pela desordem e violência que tomaram conta do país, em resposta a pesquisas realizadas maliciosamente logo após os incidentes(portanto capazes de colher a emoção ainda “quente”, a sensação de medo que a desordem causa no homem comum), avaliaram em sua maioria o Governo de maneira negativa, o mesmo Governo que sempre enxergaram de forma positiva(e ainda o têm se instados a conceituá-lo de forma ampla, relacionando-o com a qualidade geral de suas vidas), numa reação que caracteriza além de a expressão de um estado emocional passageiro, também um “pito” na Presidenta por sua atuação numa questão específica, mas que está em evidência no momento, na qual acharam sua conduta ineficiente. Todavia, ao aproximarem-se as eleições, quando forem levados pela circunstância do voto e pelo acesso que terão às realizações do governo através da propaganda eleitoral gratuita(única oportunidade de um governo que não reage à mentiras da mídia, poder expressar-se) a fazerem uma reflexão mais ampla sobre a administração Dilma, pensando no Governo através de uma análise geral centrada na questão de como estão suas vidas, ou seja, se melhoraram ou pioraram nos últimos anos(incluindo-se aí também uma reflexão sobre a Era Lula, já que sabem que Dilma é uma continuidade do período que sempre enxergaram como positivo), essas pessoas não pensarão no que acreditam serem “falhas” da Presidenta em problemas pontuais, ou questões específicas, mas nesse aspecto mais amplo, nessa condução mais geral do país que permite que suas vidas tenham melhorado ou piorado. Nessa hora, que ocorrerá muito antes das eleições, pois os cidadãos vão formando sua opinião à medida que se aproxima a hora do voto, a tendência óbvia é que o eleitor enxergue tanto os avanços indiscutíveis que a maioria dos brasileiros vêm atravessando(melhora na renda, acesso à educação superior, emprego, inflação controlada, capacidade de consumo), como também mais uma vez perceba a não realização das catástrofes anunciadas anteriormente e reflita sobre o porquê de tais tragédias não terem ocorrido e a motivação de quem as divulgou, que supostamente deveria ter “credibilidade” e “informações”, a ponto de esbravejar com veemência tragédias que nunca ocorreram e das quais alardeava que não escaparíamos. Assim, além da da recuperação do apoio, Dilma terá a seu favor o descrédito da mídia que se acenturará, alías já vem crescendo entre os brasileiros há muito tempo, além dos fracos adversários que enfrenta. A única chance para os conservadores é transformarem uma insatisfação momentânea com a suposta leniência da Presidenta com a baderna dos arruaceiros de classe média, numa percepção permanente de que tais atos teriam ocorrido devido a uma “mudança de atitude” do Governo, que estaria trocando de lado, ou seja, deixando de ter a preocupação social que sempre o caracterizou. Contudo, o poder da Presidenta para reagir a essa tentativa de colar em seu Governo uma pecha falsa é enorme : além de falar aos cidadãos, coisa que deveria fazer mais, tem a caneta para marcar sua administração e, ao menos essa segunda arma vem usando sabiamente. O veto à derrubada da multa de 10% do FGTS para os empregadores, em caso de demissão por justa causa, o incremento do Minha Casa, Minha Vida, que bate recordes de contratação novamente; além do recém lançado “Minha casa feliz”, que possibilitou uma linha de crédito para os beneficiados pela Minha casa, Minha Vida adquirirem eletrodomésticos foram foram três grandes golpes nas sabotagens dos fascistas canalhas da mídia e da classe dominante, os quais, sem suas mentiras e sem as badernas de seus marginais com roupa de marca, desaparecem eleitoralmente no vento, numa realização física perfeita do nada que representam como proposta de Nação.

  • É desesperador para mim ver e ouvir tantas notícias negativas sobre o Governo Federal na mídia tradicional. É um ataque insano e feroz. Nada de bom do governo é ressaltado, pelo contrário,conseguem transformar números positivos em matérias negativas. Desse jeito, é muito difícil manter índices de popularidade. Só nos resta reforçar a militância de esquerda e fazer um trabalho de esclarecimento da população.

  • Marina é capacho do banco Itaú. A idiota pensa que é amiga da filha do sócio majoritário do banco Itaú. É mesmo que entregar a PATRIA AMADA BRASIL aos banqueiros Vamos ficar semelhante a Europa cujos “lideres” não passam de empregados dos bancos. Haja desemprego e falência nacional. Pensa Brasil.

  • O candidato do PT em 2010 não era para ser a Dilma (Lula forçou a barra, o PT abandonou a democracia interna).

    O PT e o governo tinham candidatos e ministros muito melhores para suceder o Lula (Tarso Genro ou Patrus Ananias), mas agora é tarde.

    Dilma é a menos pior dos atuais candidatos, eu voto nela, sou contra a volta do Lula.

    Votaria no Eduardo Campos como protesto se o PT mais uma vez priorizar as alianças indesejadas (Ex: impedir Lindberg de ser candidatar no Rio para beneficiar o Pezão, apoiar Kassab ou Henrique Meireles em SP no lugar de um petista).
    Mas acredito que isso não vai acontecer, as ruas podem empurrar o PT mais a esquerda, entre os manifestantes estavam as bases do PT insatisfeitos com os rumos do partido e governo.

  • Jamais votaria em um destes três oportunistas e pré candidatos.
    Existem erros no governo Dilma, mas simplesmente não dá para retroceder, já evoluímos bastante e ainda há muito a se conquistar. Será um pesadelo social e econômico para nosso País um destes na presidência, mas não vai acontecer, o povo dirá não, mais uma vez, aos fascistas.

  • Marina, mantendo as mesmas regras politicas e econômicas d’agora, se conseguir ser eleita contra o candidato preferido da direita(AÉCIO OU SERRA), tentará governar por decreto ou MP quando sofrerá um impeachment ou golpe midiático. A mesma coisa com o Dudu.Isto se os dois não se deixarem dominar pela direita entregando o BC e Ministério da Fazenda aos representantes da elite financeira.

    No Blog do Nassif comentando o post de Eduardo Guimarães( a quem parabenizo pela coragem e fidelidade a seus princípios) li de um comentarista: “O que eu mais leio aqui é que os avanços poderiam ter ido maiores nesses 10 anos de PT na “PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA”. Leio também muitas criticas ao governo petista nesse sentido.
    Infelizmente com a imprensa que temos foi milagre Lula ter conseguido o que conseguiu e não ter sofrido o impeachment que tanto a direita tentou. E o que Lula conseguiu, alem de ser eleito presidente, escapou de um impeachment ou de um golpe igualzinho o de Jango ou mesmo de um suicídio que matou Getúlio Vargas. Não é pouco viu gente. Na historia do Brasil muitos pensaram em tentar mas só Lula conseguiu.

    Conseguiu se eleger contra todo tipo de sabotagem da direita, como a que elegeu Fenando Collor e retirou 40 milhões da pobreza e se manteve no poder, não obstante a campanha sórdida – a la Carlos Lacerda -de sabotagem que sofreu em todo o seu período de governo, sendo culpado até do desastre da TAM no aeroporto de SP, cujo laudo pericial culpa exclusiva do piloto.

    Quero ver o o corajoso homer simpson (royalties a Willian Bonner) da direita que tem coragem de apenas tentar apenas isto: ser candidato contra todo o establishment midiático e econômico e se eleger acima de tudo e de todos. Brizola que tinha enorme coragem tentou mas não deixaram ele ser presidente.

    Que tal o corajoso homer simpson(royalties a Willian Bonner) depois de enfrentar a mídia para ser candidato e se eleger após eleito pegar o país nestas condições: dívida pública deixada para o presidente Lula superior a 60% do PIB. O déficit público nominal de 4,4% do PIB. Números referentes a dezembro de 2002, o último mês de Fernando Henrique Cardoso na presidência. E fazer como o presidente Lula entregar – em uma das maiores crises econômicas mundiais após a de 1930 – à presidenta Dilma uma dívida que representava 39,2% do PIB. Que por sua vez ao final de 2012, reduziu a dívida ainda mais: 35,1% do PIB. Ou entregar para sua sucessora Dilma um orçamento com déficit de 2,5% do PIB. Ao final de 2012, este número foi mantido.

    Foi essa administração fiscal exitosa que deu ao presidente Lula autoridade política e solidez orçamentária para enfrentar a crise de 2009, evitando que tivéssemos uma profunda recessão e uma elevação drástica do desemprego. De fato no ano de 2009, a relação dívida/PIB aumentou para 42,1% e o déficit público nominal foi elevado de 2% para 3,3% do PIB. Em compensação, naquele ano de crise, foram criados mais de 1,7 milhão de empregos formais e o desemprego subiu apenas de 7,9%, em 2008, para 8,1%, em 2009.

    Caso o PSDB estivesse no poder com seu governo neoliberal em 2009 em plena crise, o Brasil pela quarta vez quebrado estaria no quinto mundo com o FMI exigindo mais cortes orçamentários, ou seja, corte na saúde, educação, TRANSPORTES, etc. Muito pior que a GRÉCIA e Espanha. O pior dos mundos.

  • A esquerda sonha, delira. Os coxinhas nas ruas virou clamor popular. 500.000 pessoas significa quanto da população brasileira?? Sem povo nas ruas, não coxinhas, não se muda nada. A Dilma propôs um pacto de 5 pontos, não conseguiu nenhum apoio. A proposta de Dilma era pouco?? Esses cinco pontos, com grandes mobilizações não mudariam o país??? A reforma política não mudaria o país?? Daí o pessoal acha pouco. Saí uma mobilização popular, pequena, mas muito importante, mas pequena. O leque de reivindicações era mais amplo que a dos coxinhas. Agora vejo o Pedro Stédile propor o rompimento com o PMDB, quer isolar o PT, quer que o PT volte a perder eleições. Vejo um tal de Arbex dizer que as próximas manifestações podem virar um movimento revolucionário, a queda da bastilha, só rindo. Se todos, centrais sindicais, OAB, UNE, blogueiros, partidos políticos (PT, PCdoB), se mobilizassem em torno dos cinco pontos, não daria alguma coisa?? Acho que era o caminho. Mas, se não tiver a tal ley de médios alguns não vão, se não tiver as 40 horas outros não vão. Resultado: não saímos do lugar. Os coxinhas não precisaram de entidade nenhuma, nenhum sindicato, nenhum partido, alias são contra, só da mídia bandida, para pôr alguns milhares de pessoas nas ruas. Nós ficamos reclamando da Dilma, do PT e de alguns ministros. Quando iremos aprender que o PT só irá mudar quando a sociedade mudar, quando a sociedade resolver participar, quando milhares de pessoas quiserem realmente mudar. quando muitos dos que só reclamam resolverem participar.Alguns anos atrás o MST resolveu aparecer, várias manifestações, várias invasões, apanharam da mídia e de seus aliados como gente grande. Enfrentaram a mídia?? Não. Ninguem os chamou de covardes. O PCdoB apanha da mídia como gente grande. Enfrenta??? Não. Ninguém os chama de covardes. O PT e a Dilma apanham da mídia como gente grande. Enfrentam??? Não. Todo mundo os chama de covardes. Tenho visto tambem alguns ” blogueiros progressistas” inventando outros passos do “movimento cansei” (Azenha, Rovai e outros), cansaram da Dilma e do PT, tão rodeando o PSOL, o PSOL, os amiguinhos do psdb, é mole. Mas, enfim, a alternativa ao PT é Fortalecer o PT. Ganhar o governo de São Paulo, ganhar o governo do Rio, ganhar o governo de Minas, ganhar mais uns 10 governos, aí a cobra vai fumar, aí A CORRELAÇÃO DE FÔRÇAS SERÀ OUTRA. E todos esses governos com uma super bancada. MUDAREMOS O BRASIL. EMPATAREMOS COM A VENEZUELA!!!!!!

  • Marina não só mudou de partido, mudou de identidade. Oportunista, encontrará com a realidade em breve. Espero e trabalho para que possamos desmascara-la e derrota-la pelo bem do nosso Brasil. À luta!

  • “PSDB – partido que a maioria sabe que afundou o país quando governou”.

    Já disse e repito: vai ser bem engraçado de ver, num futuro próximo, quando PSDB e PT lançarem alguma chapa conjunta, o blogueiro ter de fazer uma ginástica para desdizer tudo isso. Mas já fez com Sarney, Collor e Maluf. Não vai ser difícil repetir com os tucanos. Basta a chefia mandar.

  • Alô coxinhas e antipetistas, digam quem é o seu candidato
    Esqueça apartidarismo, todos, necessariamente, dentro de uma democracia, têm seus candidatos, preferências e partido. Caso contrário é niilismo.
    Ser contra tudo e contra todos é simplesmente ser a favor de nada. Estes que negam tudo, são contra tudo, contra toda religião, ideologia política e social é simplesmente um niilista. E se não admite isto é simplesmente um ignorante ou burro.
    Vamos lá caro antipetista, diga-nos, sem covardia, sem rodeios, quem é o seu candidato. Os sequazes dos corruptucanalhas que levaram o país a bancarrota na década de 90, não precisam responder, estes são apenas inconformados, preconceituosos e invejosos.

  • É o que falamos sempre aqui em casa! Apesar de certo descontentamento com o governo Dilma, vai tirá-la para colocar quem no lugar?

    Eduardo Campos, além de traidor e oportunista, no fundo é um menino mimado. Cresceu numa bolha e desconhece o mundo real. Demonstra muita habilidade para colher os frutos pelo sobrenome e sobretudo pelo que o ex-presidente Lula plantou em Pernambuco.

    Marina Silva é uma escorregadia, uma carola sem consistência, experiência e propostas claras. Não confiaria nem para a esfera Estadual.

    Aécio Neves é outro menino mimado que cresceu numa bolha. Não passa de um playboy com sobrenome, político tosco e despreparado ligado aos demotucanos. Sem mais.

  • nenhum sera meu candidato, mas enviei um Email a Presidente pedindo aprovação da democratização da mídia, qualquer um pode enviar seria bom que todos que usam a internet enviasse pedindo a lei de médios

  • A direita raivosa conspira contra o Brasil, disposta a tudo para mostrar ao povo que ainda manda neste país. Tudo mesmo, desde campanhas difamatórias na mídia, até sabotagens e ataques terroristas.

    Dilma deve se proteger, acalmar e reanimar a população, levada à desesperança pelas sabotagens morais da direita no judiciário e na mídia. Deve assumir seu papel de líder nacional e falar em rede nacional sempre que preciso, de modo a reimplantar a esperança roubada pela mídia de oposição.

    Invés de ser supreendido, o governo deve surpreender a oposição. Seguir adiante, sem se intimidar com esta guerra suja. Implantar novos programas de governo, mostrando disposição e coragem para mudar o que precisa ser mudado neste país, mesmo que, para isso, tenha que pressionar a base aliada.

    Enfim, é preciso coragem e liderança da nossa querida presidente Dilma.

    Meu papel de formador de opinião estou fazendo, esclarescendo porque voto na Dilma e apoio o PT no governo, mostrando as mentiras da imprensa golpista, tomando votos da esquerda oportunista, e da tucanada…

    Eles estão danados. Devido à esse trabalho, venho sofrendo intimidações no FACEBOOK e ameaças de processo. Acho que a ‘guerrilha’ é uma das estratégias golpistas da direita brasileira para amendrontar o povo.
    Sem cair no niilismo ingênuo, não podemos nos deixar intimidar. É preciso manter a força renovadora e surpreendente do PT.

  • engraçado como chegar a conclusoes surpreendentes se voce compara, marina silva e ciro gomes.
    Ciro não tem origem na esquerda, iniciou pelas maos do PSDB (que na epoca era um tanto diferente de hoje), é de uma inteligencia e cultura abrangente, um cara 2/3 nordestino e 1/3 paulista. É laico do ponto de vsita religioso e está aprendendo a sabedoria com o avançar lento da idade,como é normal.
    Marina é amazonica, se formou na dureza da vida, aprendeu tarde as letras basicas, iniciou-se no PT dos bons tempos. Nao tem visao abrangente da cultura e da politica, e abraçou sua fé cristã na fonte evangelica. E nao é la muito laica pelo visto ate agora.
    O primeiro pensa o brasil e pensa no seu pais como um todo. Ja provou isso, e é nacionalista e nao entra em briga politica so pra dizedr que entrou. A segunda nao se sabe – nao tem apresentado propostas, nem visao ampla do pais, nem recusado alianças perigosas que a amarrariam para sempre.
    O primeiro nao vê o ano que vem como janela de oportunidade politica por enquanto. Mas a esta altura nao faltaria muito para votar nele.

  • pra quem quer a vitória da Dilma acho que vc se equivocou e muito nesse texto…existe um sentimento anti PT e anti Dilma claro…então qualquer um dos candidatos que for pro segundo turno, mesmo não tendo uma simpatia de grande parte da população, terá chances bem maiores de vitória que Serra na última eleição.

    Aécio ainda é pouco conhecido do grande eleitorado, e Marina uma incógnita politicamente( é de direita, esquerda? economia liberal ou estatista?)…ainda acho que as chances maiores são de Aécio, e torço pra isso, o PT vem insistindo em uma interferencia estatal na economia, que não vem dando mais certo…existe momentos que precisamos de abertura econômica, ficarmos amigo do “mercado”….o Lula até tinha certa consciência nisso , já a Dilma tendeu muito a esquerda economicamente e vem sofrendo as consequências disso.

    • Caraca !!! o Eduguim está tirando audiência da Reinaldete Azeda, esse Guilherme é nítido leitor de Veja, acredita no PIG e deve achar que EUA é o máximo….vai acelerar a bancarrota da Abril…..nem os neocons descerebrados dão mais audiência para eles.

  • Meu voto continua sendo de Dilma Rousseff.

    Por isto quero que o Governo Dilma faça a Ley de Medios, que deixe de mandar patrocínio público para a famiglia Marinho (que é uma sonegadora contumaz), que democratize a verba publicitária dando acesso à mesma para meios de comunicação regional ou comunitário, além de portais e blogues de internet de médio e pequeno porte.

  • FORA DO ASSUNTO, mas também importante:

    POR QUÊ na concessão pública de pedágio o ente público não paga; transporte não paga e na concessão de rádio e TV o governo é obrigado a pagar?

    Vamos fazer um protesto pelo direito à propaganda institucional gratuita dos entes públicos. Sugiro um minuto de propaganda gratuita dos governos a cada hora de TV no ar!!!

    http://www.conversaafiada.com.br/pig/2013/07/31/juiz-suspende-publicidade-oficial-e-da-dinheiro-a-saude/

Deixe uma resposta