The Economist, Ibope, o Brasil e o autoengano da oposição

Análise

 

Durante os últimos quatro meses, o Brasil passou por um vaivém político que constituiu a primeira grande novidade desde 2002, quando Lula destronou os grupos políticos que governaram o país desde sempre, inclusive durante a ditadura e em outros períodos em que viveu sem democracia. A novidade? O governo petista sofreu imensa perda de popularidade.

Antes de prosseguir, uma longa, mas necessária, digressão.

O grande feito político da era Lula – que prossegue sob Dilma Roussef – tem sido manter no poder por já quase uma década um grupo político ideológico com um projeto político-administrativo bem definido, voltado para o objetivo maior de resgatar a quase inacreditável – de tão grande – dívida social brasileira, sobretudo no que diz respeito à desigualdade.

Claro que, para chegar ao poder e operar tais mudanças, o PT “teve” que aderir a práticas tradicionais da política.

Em 2006, o ator-militante Paulo Betti definiu bem a mudança de estratégia adotada pelo partido em 2002, quando dobrou resistências e chegou ao poder com o outrora “temido” Lula, que a elite, a mídia e o capital diziam que transformaria o Brasil em uma espécie de super Cuba.

Não dá para fazer política sem botar a mão na merda”, disse Betti após uma reunião de apoio de artistas à candidatura de Lula, na casa do então ministro da Cultura, Gilberto Gil, no Rio. Criticado à exaustão pelos hipócritas de plantão, ele se referia justamente ao que foi o mensalão: caixa-dois.

O PT não comprou voto algum. Só um vigarista intelectual pode afirmar que o partido compraria seus próprios deputados, que receberam a grande maioria do dinheiro “não-contabilizado”. Mas usou, sim, caixa-dois porque, no Brasil, sem esse expediente ninguém vencia eleição, em 2002. Hoje, após o escândalo do mensalão, ficou mais difícil, mas todos sabem que continua sendo usado.

Voltando ao tema central do texto. Sob essa premissa de que os fins justificam os meios – execrada, mas que é usada inclusive pelos seus maiores críticos, muitas vezes sem que os fins sejam tão nobres quanto o de resgatar dívida social –, o PT logrou operar um avanço social inédito na história do país e o tornou resistente a crises externas.

A queda de popularidade de Dilma após os protestos cataclísmicos de junho, porém, animou a oposição de uma classe social, empresarial, financeira, étnica e, sobretudo, midiática.

No Congresso, os ratos de sempre se prepararam para abandonar o navio. A mídia, triunfante, passou a incentivar os protestos sob a premissa de que “agora, vai” – conseguiria, enfim, desmoralizar o governo petista e pavimentar o caminho, de preferência, para o PSDB, mas, na pior das hipóteses, para aquela que vem se oferecendo como a nova anti-Lula: Marina Silva.

Entre as traições que a queda episódica de popularidade de Dilma fez surgir, a de Eduardo Campos, governador de Pernambuco, que vem se dispondo a atrapalhar a reeleição de Dilma em troca de se cacifar para voos futuros, porque não se elege presidente em 2014 nem que a vaca tussa.

Pesquisa Ibope divulgada na última quinta-feira, porém, mostra que a “morte” de Dilma foi comemorada cedo demais. Todos os prováveis adversários – Marina Silva, Aécio Neves e Eduardo Campos – caíram. Só ela subiu. E bem.

Contudo, os números do Ibope só confirmam o que outras pesquisas já vinham mostrando. Mas a oposição e a mídia, animadas com a queda estrondosa da popularidade e das intenções de voto de Dilma entre junho e julho, continua se autoenganando. Aécio, Marina, Eduardo Campos e a mídia vêm afirmando que está chegando ao fim a era petista, ou lulista.

Este analista político discorda. E muito. Por uma simples razão: o brasileiro, como já ficou provado, não dá bola a moralismo sobre corrupção, ao votar – sabe que os críticos do PT não têm moral pra acusar ninguém. Por isso, o brasileiro vota com o bolso. Ponto.

E quem diz isso não sou eu, mas o marqueteiro Renato Pereira – coordenador da campanha eleitoral derrotada de Herique Capriles na recente eleição presidencial na Venezuela. Ele irá coordenar a campanha tucana a presidente, ano que vem, e, em entrevista à Folha de São Paulo na semana que finda, afiançou que o “mensalão” não irá ajudar seu cliente.

O que derrubou a popularidade de Dilma, em junho e julho, foi a expectativa forjada pela mídia e referendada pelos protestos de rua de que o país estava indo para o buraco econômico. Inflação, emprego, salários e renda das famílias não sofreram nenhum grande baque, mas ver gente na rua quebrando tudo estimulou parte da sociedade a crer que o barco estaria afundando.

A 114ª rodada da pesquisa CNT/MDA, por exemplo, foi a campo entre 7 e 10 de julho e contrastou fortemente com a 113ª, levada a campo entre 1 e 5 de junho. Entre as datas de conclusão das duas pesquisas, passaram-se 35 dias. Nesse período, no cenário mais provável para a eleição de 2014, Dilma Rousseff perdera 19,4 pontos percentuais, Marina Silva ganhara 8,2 pontos, Aécio Neves perdera 1,8 pontos e Eduardo Campos ganhara 3,7 pontos.

A aprovação do desempenho pessoal de Dilma caiu 24,4 pontos, indo de 73,7% na pesquisa anterior para 49,3%, e a desaprovação ao seu governo subira de 20,4% para 47,3%, uma alta de 26,9 pontos, ou 131,8% de aumento.

Já a aprovação ao governo caíra de 54,2% para 31,3%, perda de 22,9 pontos devido, sobretudo, ao aumento dos percentuais de ruim (que foi de 5,5% para 13,9%) e péssimo (que foi de 3,5% para 15,6%).

A própria pesquisa explicou a razão de piora tão acentuada no capital político de Dilma Rousseff e de seu governo. Pioraram, então, pontos altamente sensíveis das expectativas do brasileiro em relação ao futuro, sobretudo na percepção do que ocorreria com o mercado de trabalho, no qual a expectativa de aumento do desemprego saltara de 11,5% em junho para 20,4% em julho.

Nada disso se confirmou. Na última quinta-feira, a taxa de desemprego nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou em 5,3% em agosto, o que é considerado pelos analistas “pleno emprego”. Como se não bastasse, o rendimento médio dos salários voltou a subir, segundo o IBGE, indo a R$ 1.883.

Alguém com mais de 20 ou 25 anos de idade se lembra de semelhante situação em algum outro momento de sua vida?

Nem todos, obviamente, estão contentes com o governo Dilma. Segundo o pesquisador Renato Meirelles, do instituto Data Popular, informou em entrevista ao Portal IG, os serviços mais caros e o enriquecimento das classes C e D geraram desconforto entre os endinheirados.

O primeiro parágrafo da matéria resume por que as classes sociais mais abastadas sentem tanta ojeriza ao governo Dilma:

Na última semana, o lançamento do iPhone 5C levantou uma polêmica entre usuários nas redes sociais. Com a Apple dedicando esforços à popularização de seus produtos, houve quem reclamasse que os smartphones da marca, antes restritos a uma minoria privilegiada, virariam ‘coisa de pobre’ (…)”.

Mas não são apenas os endinheirados avulsos que odeiam Lula e Dilma por terem colocado pobres em aeroportos, shoppings e até em universidades que, antes, eram “coisa de rico”.

Os banqueiros, por sua vez, estão babando de raiva com a queda dos juros comandada pelo governo, que pôs bancos oficiais para reduzirem suas taxas, obrigando a concorrência a segui-los – e, mesmo com as altas recentes da Selic, o brasileiro, hoje, ainda paga juros muito menores graças à iniciativa do governo.

Os grandes grupos empresariais de geração de energia ou as multinacionais do setor petrolífero estão a reclamar do “intervencionismo” do governo, que reduziu a lucratividade das geradoras de energia elétrica e estabeleceu condições duras para os interessados em explorar nossas imensas reservas de petróleo”.

Empresas de planos de saúde, empreiteiras que querem explorar concessões de estradas e tantas outras. Enfim, o capital não anda nada satisfeito com Dilma.  Com um tucano no poder seria tudo tão mais fácil para essa gente…

Nesse aspecto, a recente capa da revista inglesa The Economist reflete justamente o descontentamento do grande capital nacional e transnacional com o governo “intervencionista” de Dilma. Não passa, pois, de politicagem, em parceria com o grande capital brasileiro.

A oposição e a mídia que lhe faz coro e que a mantém viva, assim, continuam entregues ao autoengano que as levou às eleições de 2006, de 2010 e até de 2012. Seguem apostando no moralismo contra a corrupção e em vender a um povo que está ganhando salários cada vez maiores, pondo filhos na faculdade e encontrando emprego com facilidade crescente que o Brasil estaria indo a pique, economicamente.

Não vai ser fácil. Sobretudo em época de campanha, quando os alvos da campanha oposicionista-empresarial-midiática terão horário na tevê para convencer as pessoas a refletirem se vale a pena arriscar a bonança econômica vigente em troca de moralismo de quinta e terrorismo econômico infundado.

A oposição tucano-marinista-midiático-empresarial continua apostando em que somos um país com 200 milhões de débeis mentais que não conseguem enxergar como as suas vidas melhoraram. E que viram muito bem quem é quem na polêmica sobre o programa Mais Médicos, quando a elite com plano de saúde tentou convencer um povo que sofre com falta de médicos de que não são médicos que faltam, mas “estrutura”, quando tantos estão cansados de ver hospitais montadinhos nas periferias e nas cidades dos grotões que não funcionam porque não têm… médicos.

Na mesma quinta-feira de tantas boas notícias na economia, inclusive no Jornal Nacional, vai o PPS à TV dizer que estamos no fundo do poço e, apesar de o mesmo PPS ser um partido cheio de denúncias de corrupção (vide o escândalo do Cachoeira), derramando-se em moralismo fajuto “contra a corrupção”.

Ao que tudo indica, a oposição irá à campanha de 2014, mais uma vez, para tentar enganar o país e falar mal de um governo que, queiram ou não, tem mostrado resultados que todos sentem em seu cotidiano, sobretudo no bolso.

O mais irônico é que foi um conservador do campo da mídia, dos grandes empresários, dos banqueiros e das multinacionais que melhor teorizou sobre o autoengano. Eduardo Giannetti da Fonseca é autor de Autoengano, livro sobre “as mentiras que contamos a nós mesmos”. A oposição destro-tucano-marinista-empresarial-midiática deveria lê-lo.

176 comments

  • O PPS, hein? Quem diria… Pelo menos, o PCBão de antigamente tinha coerência: atacava a todos. Hoje, trasmudado em PPS, alinha-se à direita mais reaça.

    • Pois é. Além dessa figura velha e decadente que é Roberto Freire, ainda veio o tal de Stepan Nercessiam falar como bom moço, quando recentemente esteve envolvido num grande escândalo! Muito cara de pau.

      • Roberto Freire, aquela “sumidade”, aquele ser inteligentíssimo que acreditou que Dilma teria mandado o Banco Central colocar a frase “Lula seja louvado!” nas notas de real..kkkk..

        Daí se vê quão bem servida intelectualmente está a oposição..kkk

        • Esse tal de Roberto Freire é um office boy de luxo dos tucanos. O sujeito foi escorraçado eleitoralmente em Pernambuco e veio se abrigar no covil tucano de São Paulo, onde conseguiu se eleger por causa da quantidade significativa de leitores da revista de fofocas da famiglia Civita.

          • Sem esquecer da grana fácil que levou como membro do conselho de autarquias paulistas, participando de reuniões bissextas – sempre remuneradas com generosos jetons -, nas quais se ocupava de temas sobre os quais não dava qualquer contribuição.

  • Nunca tive um iPhone, em parte por conta de decisões técnicas da Apple que me desagradam, e em parte porque existe essa esnobação toda.

    Curiosamente, em outros países o iPhone é apenas um smartphone poderoso, só nesta terra de escravocratas que ele é visto como “símbolo de status”.

    Nosso país é muito atrasado mesmo… outro dia estava sainda da garagem e veio um sujeito com um Land Rover querendo que eu desse ré pra ele passar. Eu já tinha cruzado a rampa, a preferência era minha. Ele não queria ceder, fui acelerando aos poucos até ele entender que não ia ter acordo… ficou todo nervosinho, eu passei e morri de rir.

    • Ha ha, ha, essa foi boa. Tipo assim: “Pôxa, a gente fica até rouco de tanto meter o pau no governo Dilma, e ela cresce nas pesquisas? Por quê? Por quê? Por quê?”.

      Jornalistas que saíram da Globo contam que, na segunda vitória de Lula, um certo Ali Kamel ficava andando de um lado para o outro, dizendo: “Onde foi que nós erramos? Onde foi que nós erramos?”.

      A rede Globo é o verdadeiro partido de oposição.

  • Bem explicado sobre os setores descontentes com os Governos Lula e Dilma, mas o que me preocupa é que não está se trabalhando este antagonismo para o entendimento da maioria da população. A quase totalidade dos sindicatos, por exemplo, está totalmente amesquinhada, voltada quase exclusivamente a reivindicações corporativas, quando deveria estar mostrando os dois projetos que se enfrentam e mais ainda se enfrentarão em 2014.

    • João, você tocou justamente no ponto fraco do PT e da esquerda: a falta de conexão entre a luta política e o dia-a-dia da população.

      Boa parte das pessoas não tem percepção política. Outro dia um taxista me sai com essa: “O que eu não entendo é porque a Rede Globo protege tanto o Lula e o PT”. Daqui a pouco alguém vai dizer que a Veja é petista e o Tio Rei é de esquerda. O papel das lideranças (seja de que partido ou tendência for) é dar instrumentos à população para que ela esteja mais informada, e formada.

      No entanto, percebo entre os petistas um movimento de volta às bases, uma reconexão com as organizações populares. Tomara que minha percepção esteja correta.

      • Caro amigo Locatelli.

        Alguém já disse que a Veja vai virar Petista.
        E esse alguém é muito competente para dizer isto.
        Trata-se de nosso querido amigo Eduardo Guimarães.
        Morri de rir daquela pobre madame cheirosa..rsrsrs

        Grande Abraço

        Luiz Antônio

  • Prezado Eduardo,

    Quero te lembrar que dia 02 de outubro de 2013 é o último dia para se filiar a um partido político, caso se queira concorrer a qq cargo, nas próximas eleições. Analise, pondere, decida. Minha opinião eu já dei.

    Douglas Quina
    Mogi Guaçu – SP

    • Não dá pra mim, companheiro. Não tenho grana e tampouco vontade. Contento-me em fazer este blog pra vocês, amigos que leem e refletem sobre o que escrevo. Deixo para quem tem meios de disputar a política, agir. Eu não os tenho.

      • Apesar de discordar de você Eduardo acredito que seja honesto, e politica não é pra gente honesta politica é para marginal, por isso devemos sempre que pudermos desmoralizar eles( os politicos) para que não consigam andar na rua em paz,

          • So generaliza quem no lugar do corrupto faria igual.
            Politicos sao humanos como nos, teem carater ou nao. A diferenca eh que muitos sao manipuladores e mentirosos patologicos como todo psicopata.
            Qualquer funcao que confere grande poder eh muito atraente ao sociopata, ai se escondem os enganos de Lula e Dilma com alguns dissimulados e manipuladores que acabaram por galgar o estrelato no Supremo.
            Se a personalidade anti-social eh capaz de enganar macacos velhos como Lula e Dilma, imagine o povo.
            Uma coisa eh certa, o psicopata nao engana outro como ele.

        • A política eu considero uma coisa importante e é preciso que a pessoa tenha um certo dom para se dedicar a esta atividade.
          Cabe a nós exigir que os políticos trabalhem, que é para isto que são eleitos.

        • Paulo, essa conversa de que “política é suja” e “políticos são desonestos” é uma lavagem-enxaguagem cerebral que a mídia de direita nos impinge. A intenção por trás disso é fazer a população se afastar da política para que a elite endinheirada possa impor seus interesses mais facilmente.

          • Também concordo. É uma armadilha para que os coxinhas e as mentes facilmente manipuláveis percam a esperança na politica e vejam a solução na ditadura. É no campo da politica – eleições – que eles estão perdendo. Por isso estão através do PiG tentando demonizar a politica, colocando todos como se fossem farinha do mesmo saco. E sabemos que não são. A uma diferença abissal entre PT e PSDB, inclusive em propósitos. O PiG quer com esse discurso o retorno da ditadura. Temos que ter muito cuidado com o que divulga o PiG. Corrupção é problema da policia, MP e Judiciario, que devem punir mas não seletivamente como fizeram com o mensalão do PT, enquanto os criminosos do mensalão tucano ficam impunes apostando na prescrição.

        • Senhor Paulo…
          Pensando dessa forma não é a toa que você não concorde com o Eduardo Guimarães.
          Exercer plenamente a cidadania também é valorizar todas as classes sociais e acreditar que, até prova em contrário, todos são inocentes.

        • Todos nós somos políticos, mas nem todos são tucanos.

          Generalizando: “todo político tucano é corrupto, mas nem todo político é tucano”. Da mesma forma que toda rosa é uma flor, mas nem toda flor é uma rosa.

        • Paulo de antemão, aviso que não sou político, porem acredito na politica e acho que os maus políticos, que você menciona no seu texto, se deve ao fato do sistema político ora em vigor no Brasil. Uma reforma política ajudaria bastante para expurgar esses maus políticos da vida pública brasileira.

  • Ótima análise, Eduardo!

    Acho que um ponto interessante a se trazer para a discussão, já que os coxinhas tanto falam no combate à corrupção, é apresentar como evoluíram os mecanismos de controle e transparência das contas governamentais do Executivo, principalmente. Também como foi reforçado o papel da CGU na fiscalização dos entes da federação, bem como o papel desempenhado pela Polícia Federal.

    Como diz o ministro Jorge Hage, “O que o governo Lula fez foi retirar a tampa do esgoto e revelar a sujeira que se escondia abaixo da superfície. Tudo o que agora exala do que há de podre estava aí acumulado e abafado havia muito tempo. Mas é preciso coragem para fazer isso, tendo em vista o alto preço político dessa decisão.”

    Abraços!

  • A (e O) Globo (depois UOL, Folha, etc.) recorreu ao parceiro do PIG internacional pra reverberar notícias “ruins” em relação ao Governo Brasileiro.
    Tudo normal na ação do PIG indo atrás de notícias boas para eles do PIG, ainda mais quando a fonte (ou seria Cachoeira) secou a caneta (ou seria o Caneta) de Veja.
    Depois do furdunço de junho/julho, das passeatas baladas, o Brasil voltou a funcionar de um modo que o PIG não suporta, com os indicadores dentro de parâmetros bons para o Brasil, a despeito da secação das penas amestradas do PIG, em especial o índice de desemprego e da inflação.
    A Presidenta Dilma, como bem narrado no post, está enfrentando o “estabilishment”: banqueiros (queda de juros abaixo de um dígito); empreiteiros cartelizados (o Regime Diferenciado de Contratações Públicas – que dificulta a “negociação” de aditivos – $$$ – a obras, assim como a entrada de novos “players” nas concessões públicas – o vencedor da concessão da BR-050, dizia o PIG, não era do ramo – que bom!); as gigantes do petróleo (lei de partilha do petróleo); transportadores rodoviários (obrigando o cumprimento da limitação da jornada de motoristas, Carta Frete Eletrônica, licitação em concessão de linhas interestaduais); concessionários de portos (desconcentração da movimentação de carga nas mãos – cerca de 80% – em Santos e no Rio de Janeiro); concessionário de ferrovias (fazendo valer o direito de passagem nas linhas férreas, a fim de aumentar a utilização do bem concedido); classe médica (Programa Mais Médicos); concessionárias do setor elétrico (remuneração menor da energia em hidroelétricas já pagas, redução de “penduricalhos” onerosos na conta de energia, abertura do mercado de energia elétrica para pequenos produtores de energia serem remunerados pela energia que produzirem); sonegadores em geral (contabilidade eletrônica – folha de pagamento eletrônica – em implantação – e notas fiscais eletrônicas, relógio de ponto eletrônico).
    Não é pouca coisa, especialmente quando na área das concessões busca mudar a filosofia da preço o “mais módico possível” da tarifa com a garantia de serviço de qualidade – já que esses serviços concedidos não tem concorrência, são praticamente monopólios para o consumidor/usuário. Impor resistências razoáveis à exploração das concessões públicas – que é serviço público – no tocante à qualidade e ao preço é dever do Estado, como dita o parágrafo único do art 6º e art. 11 e 12 da Lei nº 8.987/95 (Lei das Concessões). Claro que os “empresários” gostam de conversar com o governo e entre eles – como fizeram a SIEMENS, Alstom, etc. – para ver o que é melhor para” eles”, e o governo deve fazer eles entenderem que o usuário e a sociedade devem ser defendidos nessa relação, pois quem pagará a conta será o usuário – com a tarifa – a sociedade – com o subsídio. Na lógica antiga, demo-tucana, dane-se o povo, que ele pague a tarifa e nós (empresário e governo) somos remunerados por isso.
    O governo da Presidenta Dilma está quebrando o nosso “muro de Berlim”. Tudo isso incomoda “muita gente”. E mais um mandato será a consolidação do modelo.
    E o PIG (a única oposição do Brasil) continua na Ilha de Lost (não vi o seriado, parece que os caras achavam que viviam – mas estavam mortos).

    • Parabéns pela síntese. Sim é isso tudo sendo feito concomitantemente. Caminhamos inexoravelmente para uma America latina, ser o berço de uma nova civilização. Concomitantemente, inexorável como gosto quando o Lula diz.
      Entrei no Twitter e no Face da Dilma. Das duas. A Dilma Bolada e da própria. Que avalanche de informações

  • Quem observar os mapas do Brasil de 1990, 2000 e 2010 do IDHH vai notar que a cor predominante é amarela e vermelha, com mais de 70% dos municípios abaixo do desejável em 1990 e azul e verde, alto desenvolvimento, em mais de 99% dos municípios em 2010. Uma evolução espetacular, para usar o adjetivo que a ONU usou.
    Mas isto não basta. É preciso considerar que em 90 o Brasil já estava entre os 10 maiores PIBs do mundo e no primeiro ano de mandato de FHC (1995) era a 8ª economia (se bem que ao fim, em 2002, o Brasil tenha caído para a 15ª economia do mundo, recuperada pela era Lula agora em 6º lugar). 20 anos correspondem a uma única geração. As pessoas em 90 que tinham de 20 a 30 anos já estavam na ativa. Hoje continuam porque têm 40 ou 50 anos. Alguns pontinhos azuis e verde mostravam a imensa concentração de renda de uma das já então maiores economias do mundo. E agora esta riqueza toda está espraiada por todo o Brasil. Compreende-se então o desespero das elites, oposição e mídia e tempestivamente do The Economist, furioso porque as empresas americanas e inglesas de petróleo foram descartadas da participação do leilão de Libra, discretamente, pelo governo brasileiro, por terem informações privilegiadas devido à espionagem. Estas elites sabem que só voltam ao poder via golpe. Sabem que pelo estado de direito e democraticamente seu tempo passou e é questão de alguns anos, até eles morrerem, para não se ouvir mais falar delas.
    Ter que dividir seu mundinho falacioso, idiota e vulgar, tal qual modelo de Miami, com “a nova classe média” é muita humilhação. Só o humor e a piada devemos dedicar a eles, além de cuidados com o que lhes resta de poder porque estão babando para dar um golpe.

    • “O parto de uma nova idade” do Mauro Santayana na “Revista do Brasil” de março 2011
      Pode ser acessado por aqui http://joserosafilho.wordpress.com/2011/05/12/o-parto-de-uma-nova-idade/ Trecho final;
      “Está surgindo uma nova idade no mundo: o sistema de poder, dominado pelos banqueiros, que faz e desfaz governos, controla a ciência e a tecnologia, determina a vida e a morte de povos inteiros, começa a ser visto em seu horror pelas grandes massas. O que virá depois, não sabemos– mas as dores do parto desse novo tempo já se fazem sentir”
      “A avalanche de indicadores positivos durante o governo Lula soterrou o pessimismo” de Wanderley Guilherme dos Santos

  • O pobre ter acesso a bens de consumo que antes era exclusividade dessa elite sem rumo ,está tirando o sono de muitos, Ouvi de uma direitista de carteirinha que o PSDB rouba para os ricos ,aí pode. Sobre Roberto Freire ,não vale a pena emitir comentário ,é dar muito valor a que não o tem

  • A população está voltando a apoiar Dilma primeiramente por que passou o calor do momento, as pessoas esfriaram a cabeça e viram que as situação não está ruim como dizem, e segundo por que os ajustes econômicos para segurar a inflação tem surtido efeito.

    O que deixou insatisfeita uma parte da população foi a alta no preço das compras. Quando as pessoas sentem algo ruim na pele, elas começam a levar mais a sério o que a imprensa fala, mas com as ações do governo isso foi corrigido e as pessoas agora estão mais seguras.

    O governo só não pode vacilar mais na condução da economia, não gostaria de ver o que aconteceria se acontecesse algo do tipo próximo as eleições.

  • Muito bom o artigo, e agora temos mais um anti-Dilma-PT com uma legenda mas mãos é o PAULINHO solidariedade, aquele que sonha SER UM DIA UM ROBERTO FREIRE KKKKK

  • A economist é uma revistícula originária de uma nação cujos últimos líderes se portataram e ainda se portam como meros cachorrinhos de estimação dos presidentes dos estados unidos….Isso explica a linha editorial daquela publicação.

  • Li o título do post e pensei; ” Oba. Ele vai demolir a matéria da Economist”. Vai dizer porque o governo não fez a reforma aproveitando o céu de brigadeiro de 2010. Vai explicar porque o setor publico massacra o setor privado. Vai justificar com lógica os 58% em tributos e impostos em cima dos salários. Se já explicar porque não se investe em infraestrutura já está bom.
    Qual o quê. Ficou no mais do mesmo de sempre. O governo tirou milhares da linha da pobreza ? Parabens para ele, mas afinal de contas não foi para isso que foi eleito ?
    Sou brasileiro e quero mais. Quero todo mundo em excelentes escolas e em condições paritárias de acesso ao ensino, quero assegurado o direito à saúde para todos, quero que os impostos que pago sejam usados para o bem comum e não para pagar 45.000 ao mês para funcionário vagabundo. Quero corruptos na cadeia e não que processos virem piada de salão.
    Não sou petralha , direitalha ou coisa que o valha, sou apenas um cidadão comum

    • Arnesto
      Se você se decepcionou imagine nos outros, que, ao nos depararmos com o nome “Arnesto” imaginávamos encontrar um sambão do Adoniram Barbosa, mas demos de cara com o samba do crioulo doido.

      • Mas não tem jeito mesmo.
        Acabei de dizer que não sou nem petralha nem direitalha mas vocês insistem em rotular.
        Desisto. Vou convidar uns amigos para um samba aqui no Bras.

        • Eita Arnesto falsificado e ainda com um discurso cheio de alha! O verdadeiro acentuaria a palavra “Bras” que ficaria assim: Brás!

          Este Arnesto falsificado diz que não é petralha e nem direitalha. Mas tem jeito de tucanalha, forma de direitalha e conteúdo de coisa que não valha.

          Normalmente quem age assim é tucano-pefelê, ou leitor e eleitor do PIG ou um militante de grupelhos como o PSOL e o PCO (que pela sua atuação, fica mais ao lado da direita do que da esquerda, mas dizem que são os únicos de esquerda de verdade…tão de esquerda que acaba caindo no colo da direita).

    • “O Arnesto nos convidô, prum samba ele mora no Brás
      Nós fumos e num incontremos ninguém
      Nós vortemos cuma baita duma raiva
      Da outra vez, nóis num vai mais, nós num semos tatu…”

      Ô Arnesto, cê deve ser que nem o Arnesto do Adoniram, um tremendo dum vacilão.
      Sai fora, xarope.
      Piada de salão é o processo do mensalão tucano, onde tem até mulher assassinada e o negócio não sai das gavetas….
      Desta piada cê não ri, né?

      • De que piada eu estava rindo ?

        Mensalão tucano é piada de salão e não sai das gavetas ? Já tem um condenado e sem direito a chicanas da defesa.

        Tome chá de pupunha; clareia a mente e evita falar bobagens.

        • Direito a chicana o condenado pelo mensalão tucano não tem, mas em compensação tem direito um novo julgamento em instancia superior, algo negado aos réus da AP 470.
          Agora, Arnesto, aproveite seu chá de pupunha pra digerir melhor sua refeição a base de alfafa.

        • Como assim? Tem um condenado a mais de 9 anos de prisão em regime fechado, que tem direito a RECURSO e vai AGUARDAR EM LIBERDADE, exatamente como os réus do mensalão petista foram condenados, entram com RECURSO e AGUARDAM EM LIBERDADE. E os outros, do mesmo processo desse ex-diretor do Banco Rural foram absolvidos.

        • Se minha ‘bateção de bumbo’ espantar as trôlhas direitistas daqui acredito que estou fazendo algo de útil, né galera cidadã?
          Eu tenho dito, dito e redito que quem quer ouvir forró não vai a uma ópera.
          Portanto, caro ‘Justo’, vá fazer sua ‘justiça’ no tio rei…

  • Economist é uma revista inglesa. Só pra lembrar:

    – dívida pública do Reino Unido está em 507% do PIB e essa porcentagem está subindo.
    – dívida pública do Brasil está em 37% do PIB e essa porcentagem está caindo.

    Quem é que está mal na foto?

  • O Economist naquela época enalteceu o Brasil e os petistas davam pulos de alegria.
    Agora que critica são taxados de golpistas.
    A verdade é que o Lula conseguiu enganar a todos, até os gringos naquela época.
    Disse que tínhamos conseguido a auto-suficiência em petróleo sujando as mãos de óleo como o GV e hoje no nosso déficit comercial recorde a conta petróleo é a maior responsável. Estamos importando gasolina a rodo.
    O Eike Batista entrou no negócio de explorar petróleo e se lascou.
    As grandes petroleiras caíram fora do pré-sal, e a Petrobras, descapitalizada não tem como bancar sozinha os investimentos necessários.
    O governo não investiu o suficiente em educação e infra-estrutura para manter um crescimento sustentado por muito tempo.
    O crescimento foi sustentado pelo crédito fácil que foi endividando as famílias progressivamente e esse modelo está dando sinais de esgotamento.
    E agora chegou a hora da verdade. O Voo de galinha chegou ao fim. E os gringos do Economist se deram conta disso.
    Em tempo: não estou aqui para torcer contra o país. É apenas a realidade dos fatos.

    • Enquanto isto no PPS, os delinquentes estão cortando os pulsos e praguejando. E pensando: “Há se fosse o finado FHC a gente já seria um protetorado dos EUA.

    • Três perguntas para você Roberto Freire:
      1) Você acha que o PSDB pode fazer melhor?
      2) Se o PSDB pode fazer melhor, então, porque os estados administrados pelos tucanos vão de mal à pior?
      3) Se o Rede Sustentabilidade não puder ser oficializado o PPS vai alugar a sigla pra Marina Silva ou o contrato de locação com os tucanos é, de alguma forma, impeditivo?

        • Uma resposta para esta pergunta é que os tucano-pefelês estão no governo paulista desde 1994. A preocupação maior deles é desenvolver as famosas “ações entre amigos” do PSDB, onde o erário público paga as contas e os órgãos como o Metrô e a CPTM deixam de investir por determinação tucana.

    • Confundir gasolina e petróleo gera resultados pífios em termos de análise, pois não se trata da mesma coisa. Entre o óleo e a gasolina há um longo caminho. Estamos importando gasolina ou óleo?
      Quanto à Economist, é uma publicação que reflete os interesses de um determinado grupo. Elogiam ou criticam conforme os interesses desse grupo são atendidos ou não. Elogios são bons e todos ficam felizes com eles, mas as decisões tomadas pelo governo podem muito bem ter outros objetivos e interesses, diversos daqueles do grupo representado pela publicação. É perfeitamente normal que critiquem.
      Eike Batista é um empresário, que busca o lucro, como tal corre os riscos conforme sua inclinação pessoal de corrê-los. Petróleo é um negócio que exige altíssimos investimentos e o retorno pode demorar mais do que se espera, ou mesmo não existir. Por isso, entendo que também é natural que as empresas de petróleo gigantes do setor, tenham mais oportunidade de lucro investindo na exploração do México e na extração do óleo das areias betuminosas no Canadá, extração, aliás altamente poluente, muito mais do que a extração submarina. E também o México e o Canadá, por terem fronteiras e fazerem parte do acordo de livre comércio estão mais sujeitos ao controle político e militar dos EUA. Canadá e México não podem impor muitas condições ao poderoso vizinho que, é sabido, dá as cartas nessas grandes empresas.
      A Petrobras tem investido mais do que nunca, claro que não tem capital para fazer frente a tantos e diversos negócios. Ter outros parceiros que não as gigantes do petróleo pode ser menos interessante do ponto de vista dos recursos imediatos para o investimento, mas faz sentido no aspecto estratégico, industrial e da diversificação dos parceiros comerciais. Pessoalmente, acho melhor fazer parcerias com países que não têm frotas de guerra prontas para atuar no Atlântico Sul e que têm por tradição não reconhecer os acordos internacionais. E, se não houver parceiros, paciência, a exploração terá que ser feita em ritmo mais lento.
      Quanto ao investimento em infraestrutura e educação, claro que estão longe de ser suficientes. Em princípio, o investimento em infraestrutura deveria ser feito pelo setor privado, já que o Brasil é um país capitalista. Sabemos, entretanto que, como o investimento é alto e o retorno, lento, o setor privado não o fará, acostumado como é a retornos rápidos, lucros altíssimos e práticas oligopolistas e todo o tipo de mimo por parte do Governo. O Governo Federal não pode suprir as deficiências acumuladas, principalmente considerando que, desde a década de 70 que praticamente nada é feito no setor. Após a crise do início dos anos 80, tudo o que se faz é pagar juros para as instituições financeiras nacionais e internacionais, como sobrariam recursos para investir no que quer que seja? A educação básica, de responsabilidade dos ESTADOS e dos MUNICÍPIOS, vai de mal a pior, a única preocupação desses Governos parece ser reduzir os custos e limitar a permanência das crianças e jovens ao menor tempo possível na escola. É um problema que só vai ser resolvido com o interesse e o empenho de todos, com investimentos que melhorem de verdade o nível do aprendizado e não palhaçadas como a aprovação automática, tão ao gosto de alguns Governos estaduais e municipais, que lançam analfabetos funcionais às dezenas de milhares no mercado de trabalho, todos os anos, causando grande dano às empresas e a sociedade.
      Outra incoerência que se vê muito nas discussões se refere ao nível de endividamento das famílias. O que tem sido publicado na imprensa é justamente o contrário, que o endividamento diminuiu, que as famílias estão pagando suas dívidas. E isso combina muito bem com outro dado, as captações recordes de poupança que se têm verificado nos últimos tempos. Se as famílias estão estranguladas pelas dívidas, de onde estão vindo os recursos poupados? Basta olhar os balanços do setor financeiro para ver que aplicações em poupança, por parte de pessoas jurídicas, são irrelevantes em relação ao total. E nem poderia ser diferente, já que a renda do trabalhador tem aumentado e há mais pessoas trabalhando.
      De tudo isso, se pode depreender, que não existe apenas uma maneira de se interpretar os fatos. Essa aqui exposta, é a minha opinião, que não tomo por verdade absoluta, quem quiser pode concordar, quem não quiser, pode interpretar de outra forma.
      Concordo, entretanto, que o atual modelo está em fase de esgotamento. As mudanças que poderiam ser feitas sem alterar as estruturas políticas, econômicas, jurídicas e sociais já foram feitas. Por isso a oposição ao Governo Federal está tão desesperada para retomar o controle. Ainda dá para reverter tudo, voltando-se às práticas neoliberais e ao apartheid antes em vigor. E, também na minha opinião, é a última oportunidade. Daqui para a frente, mudanças de estrutura terão que ser feitas, e depois disso, não haverá retorno. Poderá até haver retrocesso, mas jamais à condição anterior, tão confortável para a elite neocolonial. Não adianta se iludir, há dois lados aqui, dois projetos divergentes no essencial, prestes a travar uma batalha desesperada. Como ou disse, esta é a minha opinião, não a verdade revelada. Pelos que já vimos, não podemos esperar jogo limpo e respeito às regras cavalheirescas.

      • Minha ídola!!!!!!!
        Te garanto que a sua opinião é compartilhada por 95% de quem frequenta este blog, menos por estes 5% de inconformados, traíras, pobres metidos a ricos, lambe-botas e que tais.
        Para estes, the economist, the guardian, the new york time, globo, veja, rbs, band e outras tranqueiras midiáticas, tanto nacionais como de fora, representam o supra sumo da verdade, mesmo que esta pseudo verdade os leve pro fundo do poço.

  • Inconformados com os resultados da nova pesquisa, que mostrou outro significativo crescimento na aprovação do governo Dilma, os portais da Folha e do Estadão já começaram a ladainha do abismo a um passo: analfabetismo em alta, contas do governo em frangalhos, comentários sobre a matéria da Economist, aumento da desigualdade de renda e por aí vai! É a segunda rodada do apocalipse econômico. Querem repetir o desgaste provocado pelo terrorismo em torno da “disparada” do preço do quilo do tomate, do descontrole da inflação, da alta do desemprego e da taxa Selic que alimentaram as manifestações de rua de julho e desgastaram o governo
    Ótimo que Dilma tenha melhorado sua popularidade, mas é preciso pensar em meios de consolidar esses números e avançar. Ainda há em favor dela uma parcela considerável de votos volúveis que podem facilmente migrar para outros candidatos.

  • Novamente um texto muito didático para explicar a atualidade brasileira. Parabéns Eduardo Guimarães.

    Quanto ao outro Eduardo, o tal de Campriles, se o avô estivesse vivo, ele castigaria o neto por causa da sua ambição, falta de visão e oportunismo. Este será, logo, logo uma carta fora do baralho, mesmo para 2018.

    • O Roberto Requião é um grande senador do Paraná, é do PMDB (ala nacionalista e progressista), ele não tem medo de criticar o PIG. Infelizmente muitos senadores petistas têm medo de criticar o PIG, em especial a famiglia Marinho, a que sonega, a que mente, a que deturpa.

      Parabéns Roberto Requião.

  • o William Waack do Jornal da Globo, sempre começa o programa com ataques ao governo. Num dia disse que enquanto a Dilma buscava mostrar confiança nos investidores internacional na ordem econômica do Brasil os operários invadiam um porto particular e no outro dia que a baixa do índice de desemprego faria o governo aumentar os juros para conter a inflação. disse inclusive que até noticia boa era ruim. outra coisa agora no jornal da Globo usam mais o Sardenberg que o Arnaldo Jabor, ouve uma mudança de estratégia. nesse programa, nesse horário eles são mais explícitos em atacar o governo do que no Jornal nacional.
    e o Zorra Total mudou agora não é mais metro Brasil!!!! com a Dilma maquinista…. Por que será. Logo agora que tem matéria bastante para fazer humor com o escando do metro de são Paulo. Agora que eles teriam um bom mote para fazer humor eles mudam de assunto….. Rsss

  • A crise do capitalismo (que a carcomídia insiste em chamar de crise “na Europa”) está se agudizando. A dívida pública do Reino Unido está em 507% do PIB e subindo. EUA, supostamente, estão “se recuperando”, conforme assegura a carcomídia mas, na prática, o desemprego lá continua aumentando, e a concentração de renda voltou aos péssimos níveis de 50 anos atrás.

    Numa situação dessas, não podemos mais esperar que “The Economist”, “The Guardian”, e outros órgãos de comunicação do capitalismo flertem com o Brasil. Todos esses órgãos estão se radicalizando para a direita. Também não esperemos mais nada de bom do FMI, Banco Mundial, OTAN, etc.

    Lembremo-nos de que o ex-diretor geral do FMI, Dominique Strauss-Kahn, chegou a elogiar a política econômica do Brasil. Strauss-Kahn é um moderado e dispensava aos banqueiros internacionais um tratamento levemente menos bondoso do que os banqueiros esperavam. Resultado: ele foi acusado de tentar estuprar uma camareira de hotel – foi constatado depois que ela tem certas “conexões” com espiões dos EUA – e teve que renunciar ao cargo. Foi substituído pela ultradireitista Christine Lagarde, que não tem nenhuma simpatia pela América Latina, mas ama os banqueiros tão intensamente como uma adolescente ama seu primeiro namorado.

    Lembremo-nos que Obama elogiou Lula, chamando-o de “O Cara”. Pela frente, elogiou. Pelas costas, espionou.

    Acabaram-se os elogios da direita internacional a qualquer líder popular da América Latina. Meno male pois elogios fingidos e interesseiros nós dispensamos.

    • Verdade Locatelli.
      É melhor um inimigo declarado que um amigo fingido.
      Agora então que Dilma chutou o balde na tribuna da ONU, os amiguinhos
      do tio san vão encontrar defeitos em tudo, no Brasil.
      “A inveja matou matou Cain”

      • É por aí, Salvador. O pessoal de esquerda ficava todo feliz quando alguma dessas “agências de risco” dos istêitis aumentava a nota do Brasil. E eu visto a carapuça, fui um dos que tive essa atitude. Pura ilusão.

        Por que queríamos ser “dignos” de elogios do “The Guardian”, “The Economist”, Standard and Poor’s? Nós deveríamos ser elogiados pelo povo brasileiro. Eu falo “nós”, mas nem sou filiado ao PT. Mas me considero mais petista do que muitas lideranças do partido.

        Certa vez, quando Lula estava na fase mais moderada, Chávez lhe disse, de amigo para amigo: “Lula, sabe qual é o seu problema? Os estadunidenses nunca vão querer derrubar você”. Felizmente, acho que ele estava errado: Lula é progressista o suficiente para que os EUA (junto com a mídia nativa) queiram derrubá-lo. Ainda bem!!

  • Eduardo Guimarães, as notícias dessa fonte não são muito diferentes da sucursal local, são, visivelmente veiculadas com oportunidade, como é do feitio delas e de suas fontes. Mas, um fato outro me preocupou mais: a ida do senhor Barbosa para os USA, participar de um seminário. Isto seria algo de curriqueiro não fosse o fato noticiado pelo Estadão, de que sua jornalista, que lá estava cobrindo o evento, fora presa e algemada, por que estava nas redondezas de onde o encontro se realizava. É muito preocupante, um evento, dentro de uma universidade tão fortemente policiado para impedir não só a entrada como a aproximação de jornalistas das imediações. Normalmente, os eventos acadêmicos são abertos. O que, exatamente, esse senhor estava fazendo lá, tão resguardado de contato externo ? A notícia está neste endereço http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,correspondente-do-estado-e-presa-e-algemada-em-yale-(eua),1079563,0.htm

    • Quando houve a deposição do presidente paraguaio, a embaixadora dos EUA é a mesma que, agora, está no Brasil. Lembremos que o STParaguaio avalizou o golpe. Também temos a tal da urna eletrônica (a do dedinho), cujo programa foi idealizado pela CIA, como se não tivéssemos ótimos programadores no Brasil e a Carmem Lúcia não se explica. Existem muitas formas de se dar um golpe. E essas organizações que o Edu enuncia, que fazem e farão todo o possível para acabar com a nossa medíocre democracia, essas mesmas que colaboraram com a ditadura militar e se tornaram potências como a Globo, a CC, etc., etc.

  • Eduardo eu acho que o MSM vai ser fundamental para se criar um espaço hoje em falta que é politizar. E discutir o papel da mídia hoje é fundamental pois vai permitir principalmente a juventude ter clareza do papel da mídia no presente tendo como consequência disso levando a conhecer o seu papel (mídia) no passado (sempre esteve contra os interesses do povo brasileiro apoiando ditadura militar).

  • Eduardo.
    Chego ás 21h25min, após ler as opiniões dos debatedores e vejo que debatedores do post, poucos debateram realmente o assunto.
    Nada mais que correto. Tio San está sentindo que o Brasil de hoje não é mais o
    Brasil de FHC e seus amestrados.
    Depois que foram pegos com as calças nas mãos, bisbilhotando em franca espionagem, ao nosso país e suas autoridades, indústrias etc., seus “globos”, “estadões” e “vejas”, com ampla ressonância dos daqui, tudo será repetido com louvores midiáticos com sons cavernosos e aplaudidos pelos macaquinhos de aluguel.
    Vi o vídeo do Senador Requião. Que beleza! Ah se tivéssemos uns vinte “requiões” naquela casa.
    Quanto ao pedido de um companheiro acima, para que sejas candidato a um cargo político, é bom mesmo que não aceites para que não percamos um ótimo jornalista.
    Sei que aplauso de fã não convence, mas assim mesmo vai ai o meu.

  • Seguem apostando no moralismo contra a corrupção.
    Foi assim com Getúlio e eles levaram o homem ao suicídio.
    Foi assim com Juscelino e não obstante o terrorismo midiático a que foi submetido, Juscelino conseguiu realizar seu programa 50 anos em 5.
    Foi assim com Jango e eles conseguiram o golpe e estabelecer enfim a ditadura.
    Com os Fernandinhos, Collor e principalmente o hc, eles mostraram o quão hipócritas eram pois a corrupção sempre foi começo, meio e fim usada para chegar e permanecer no poder.
    Esse discurso de ser contra a corrupção só convence os coxinhas que acham que fazem parte dos 1% privilegiados com a garantia da impunidade.

    • Só que você se esqueceu de considerar os dados positivos da pesquisa

      No item Nível de instrução consta: “A Pnad 2012 também identificou diminuição da proporção de pessoas sem instrução e com menos de um ano de estudo: de 15,1% para 11,9% no mesmo período. Os dados mostram também aumento do percentual dos indivíduos que possuíam nível fundamental incompleto ou equivalente –de 31,5% para 33,5%– na comparação com o ano anterior … O percentual de pessoas com nível superior completo aumentou de 11,4%, em 2011, para 12,0%, em 2012. Assim, em 2012, havia 14,2 milhões de pessoas com nível superior completo, o que representa 6,5% a mais que em 2011.”

  • Acho que somos 200 milhões de descerebrados sim, Eduardo, me desculpe. E é por isso que a elite não vai parar de querer bater: ou nas mesmas teclas de sempre ou atacando pessoalmente governantes que ela não tolera. Senão vejamos:

    O que foram as marchas reacionárias de junho? Só num país muito doido, mas muito doido mesmo, é que isso poderia acontecer. Temos democracia consolidada há anos, os pobres saindo da sarjeta e adquirindo autoestima, uma presidente com 75% de aprovação e… marchas reacionárias, pela volta da ditadura, pelo fim de uma emenda parlamentar que ninguém sabia o que era ao certo, mas que todos macaquearam porque a revista Veja papagaiava o tempo todo. Porque uma jornalista gatinha da Folha tomou uma bala de borracha no olho. Contra um prefeito que estava há exatos míseros seis meses no cargo. E aí a terceira mulher mais poderosa do mundo com um índice de aprovação que nem o Kadafi, impondo as respostas nas pesquisas, conseguia, de repente essa mulher desaba para quase vinte e pouco em três dias.

    Me lembro que o jornalista de cultura, André Forastieri, chegou a dizer no Twitter dele que o Haddad era quem tinha poder sobre a polícia militar de São Paulo, para mandar bater em jornalistas! Jovens paulistanos, mascarados, saíam, agora em julho e agosto, às ruas para quebrar tudo contra o… governador do Rio de Janeiro!

    E tudo era muito pacífico, segundo a imprensa. Somente quando meia dúzia de sindicalistas saíam às ruas por reivindicações coerentes, é que era “baderna, que atrapalhava a vida do cidadão”…

    E o mensalão? O Celso de Mello era o homem mais lindo do mundo até certa terça-feira (ai que tetezinho!), e depois, na quarta, era assim: “seu feio, seu bobo…”

    Tem pedacinhos de crack no nosso feijão, meu camarada. E em São Paulo deve ter até LSD no arroz, porque só assim neguinho acredita que o governo do Estado é vítima num cartel que ele mesmo preparou para poder roubar.

    • E eu ainda esqueci do movimento MENOS MÉDICOS. Em qual país do mundo as pessoas fazem movimentos no “feici” e saem às ruas por MENOS MÉDICOS? Só mesmo gente muito chapada ou com a cabecinha literalmente oca.

      O gigante acordou cagado e voltou a dormir sem nem tomar banho.

  • Tbm acho que a queda da popularidade de Dilma diante das marchas de junho só ocorreu pq esses protestos deram uma impressão equivocada ao povo de que o país estava em conflito e a beira de um colapso.

    Mas o que ficou desses protestos? O governo agiu pra satisfazer uma parte da vontade popular – não a vontade dos coxinhas, mas o que o cidadão que ficou em casa (a imensa maioria) quer. E o suposto colapso, que teria provocado esses protestos na mente dos menos informados, simplesmente não ocorreu.

    Quem mais se desmoralizou com esses protestos foi, justamente, quem protestou. Pra que o fizeram, pergunta o desinformado que imagina ter sido esse iminente colapso a razão dos protestos, se tudo continua como antes? O que estava tão errado a ponto de levar uma multidão às ruas, mas que não se materializou em nenhuma catástrofe meses depois?

    O que esses protestos conseguiram foi apenas vulgarizar os protestos. Novos protestos, às vésperas da eleição, não deverão ter o mesmo efeito. Mas e se eles ocorrerem em razão de um desastre na Copa?

    Esse é a minha maior preocupação. A copa pode ser uma faca de dois gumes. Se tudo correr bem e, especialmente, se o Brasil vencer a Copa, não tem protesto nem mensalão nem propaganda que dê jeito na reeleição. Mas se houverem problemas – especialmente conflitos violentos que CERTAMENTE serão incentivados oportunamente por esse imprensa golpista – e a seleção sair desmoralizada – tipo, na primeira fase (e imaginem a pressão pra que isso ocorra!) -, aí o bicho pega…

  • Não sei que impacto isso tem mas como funcionário público federal sou linchado diariamente por defender o Governo Federal. De cada 10 funcionários 9 são contra o PT e a Dilma. Mas confesso que desses 9, metade são contra por questões “financeiro-salariais”.

    • Mas então vocês não fazem comparações com as funções isonômicas nos estados. Eu, por exemplo, trabalhava no Tribunal de Justiça do ESP, ganhando incomparavelmente menos que os escreventes do federal, e não tendo na carreira um cargo que reconhecesse minha escolaridade de nível superior, como tem no federal. Os delegados daqui de São Paulo ganham no fim da carreira o mesmo que os federais iniciantes. Todos os salários federais são bem maiores, e as condições de trabalho bem melhores. Não entendo do que tanto reclamam, quem eu conheço aqui em SP que trabalha na Receita Federal está muito contente. Acho que vocês querem mais porque querem, todo mundo quer ganhar mais, mas, não avaliam adequadamente os salários exercidos no mercado. Possivelmente tenham tido o sindicato invadido por pessoal do PSOL ou PSTU, que fazem muito barulho, inclusive, para desgastar o PT.

      • Quanto a mim, seria impossível pensar-se em trabalhar ainda mais do que fazíamos. Observe o senhor mesmo, com os próprios olhos, o quanto trabalham os funcionários públicos, os de cartórios são massacrados, chamamos de canaviais urbanos. Eu, particularmente, só vejo moleza do lá de lá. Na iniciativa privada, enquanto esperamos pacientemente que nos atendam nas enormes filas dos bancos, por exemplo, com vários caixas montados mas um só funcionário atendendo, fico admirada de ver tanta gente para lá e para cá sem fazer absolutamente nada, enquanto a fila se avoluma; ninguém sequer ajuda aquele que está atendendo sozinho a imensa fila: no serviço público isso nunca ocorre, nos deslocamos de nosso próprio trabalho, atrasando-o e deixando acumular mais, para nossa aflição, para atender com presteza ao público que respeitamos. Nem sequer conseguimos ser atendidos por vendedores em supermercados, onde não os há para prestar-nos as informações sobre os produtos. Na PUC, pura e simplesmente, perderam meu diploma de colégio ( ! ) quando na USP, ao me formar, me devolveram até pequenos bilhetinhos antigos, tudo tudo e tudo absolutamente correto. É falso o que tanto propagam sobre o funcionalismo público, apenas uns 5% dos funcionários são vagabundos e corruptos.

  • O brasileiro vota com o bolso. Tem razão! Por isso a eleição está no papo para a Dilma.
    Acertos sempre ocorrem e devem ser celebrados, mas sem se embriagar neles….
    Mas o que você chama de “intervencionismo”, realmente existe. Temos que reduzir o papel do estado na Economia. Aqui na banânia e nas demais republiquetas lationoamericanas, só se faz esperar a salvação vinda do Estado. Nunca vejo a Dilma falar sobre os empresários, empreendedores… O “Governo” é que faz tudo.
    No Brasil, empresa só serve para pagar imposto. Empresário são pode falar que quer mesmo é lucrar. Pega mal. Se falar que é ” especulador” então… Cruz credo.
    Legal falar do iphone. Temos um dos iphones (sem falar nos outros gadgets) mais caros do mundo. Em grande parte em função da economia com dedos estatais para todo o lado. A ” popularização” do aparelho veio para entrar mais forte no mercado asiático. A crítica que fazem é a de que sobo a perspetiva de marketing, os produtos Apple sempre foram ” cool”.” para poucos”. O S Jobs sempre dizia 9arrogantemente, mas com bons resultados) que não olhava para o mercado, porque o mercado não sabia o que queria. A empresa esá meio perdida sem ele e anda a ignorar esse princípio….

    • Ah lá, eu acabei de falar num post do PAI, que ricos adoram falar a palavra IMPÓÓÓSTUS, pronunciada assim: “Eu sou honesto, eu pago meus IMPÓÓÓSTUS”. Aí tem trânsito nas ruas: “É duro ficar parado aqui, a gente que paga os IMPÓÓÓSTUS em dia”… Aí vão reclamar do bolsa família. “Eu odeio essa gente que pega esmolas do governo, pago com os nossos IMPÓÓÓSTUS”. Ou quando respondem a uma crítica sobre a assinatura que fazem da revista Veja: “Eu leio sim, eu pago meus IMPÓÓÓSTUS”. E a explicação sobre a economia: “As empresas vivem pagando IMPÓÓÓSTUS”…

      Eduardo, tem de tomar cuidado com essa gente. Lembra do Demóstenes? Vivia batendo na tecla da ética e era um dos mais bandidos da história da república. E aquela dona da Daslu, que vivia falando “Eu pago meus IMPÓÓÓSTUS, portanto posso ser chic e ter uma loja chiquérrima”, essa senhora sempre sonegou a porra dos

      IMPÓÓÓSTUS

      • Por conta do argumento “eu pago impostos” tinha uma equipe de guerrilheiros midiáticos de extrema direita ( alinhados com a revista veja, se é que não eram os próprios ), invadindo um jornal digital, que, ao serem contestados pelos leitores cativos e alinhados com o editorial, apegaram-se a tal argumento, chegando a se dizer também donos do tal jornal, porque era, segundo suas suposições, financiado por estatais e, assim sendo, segundo sua lógica, era também SEU. Veja a que ponto chegam essas pessoas, que, na realidade não fazem mais que sua obrigação de pagarem impostos, como nós todos. E acho que esses que mais falam são justamente os que mais devem.

  • A era Petista esta chegando ao fim ?

    Depende:

    1. do surgimento de um discurso verdadeiro de uma oposição diferente

    2. do lançamento por parte do PTismo, de um SUBSTITUTO pra Dilma

    3. Da manutenção da força política de LULA que do nada, consegue vender-nos MERDA como se fosse coisa rara.

    ..dito isso

    Reitero, por enquanto acredito na vitória de Dilma mais por falta de concorrente …mesmo pq eu não estou conseguindo visualizar o surgimento de uma aliança combinatória entre Marina, Aécio e/ou Eduardo Campos, todos personagens de egos inflados e que estão doidinhos pra mandar sozinhos.

    Aliás, tal como com DILMA, qual o plano destes carinhas ?

    E sobre o projeto do PT, desculpe, mas depois das manifestações que escancaram os resultados e conquistas havidos nos últimos anos (na educação, saúde, transportes de massa, segurança e justiça), ..depois de AGORA mesmo constatarmos que a política de ensino (aliada a de cotas) NÃO deu conta de nos oferecer nem médicos, muito menos engenheiros À altura de nossas necessidades ..desculpe, mas falar que foi e/ou é um proposta EXITOSA, no mínimo é não ter medo de se cair no ridículo.

    Esparramar LAMA e miséria é diferente de se gerar riqueza ..e estão ai os números da nossa violência e o aumento do consumo de drogas, invasões e CRIMINALIDADE que não param de crescer ..alem do número de ministérios, claro

    Aliás, por se falar neles ..o que dizermos da realização do ministério da cultura, da pesca, do turismo, mesmo dos esportes e/ou das cidades, comunicações, meio ambiente, agricultura + desenvolvimento agrário, o da defesa, da ciência e tecnologia ..e aí, que tal conversarmos sobre a realização e expectativas havidas sobre CADA UM DELES

    Que tal falarmos das ONGs e das verbas carimbadas dadas aos “campeões brasileiros” ..ou mesmo das emblemáticas e SECTÁRIAS secretaria da mulher, da “igualdade” racial, dos direitos “humanos”, ou mesmo a dos “portos”

    claro, tudo tudo dentro dum espectro de DOZE anos de pajelança

    francamente ..eu quero é mais ..NÓS podíamos e merecíamos muito mais ..verdade mesmo é que esta cada vez mais difícil nos imaginarmos dano o salto que sempre prometeram

    em tempo ..afinal, já definiram ao menos que CAÇA militar o governo vai comprar ? ..já tem 15 anos esta discussão, não ? ..brincadeira ??!! ..convenhamos, se nós administrássemos nossas vidas com tanta leniência e displicência como fazem esta turma encastela, e meio que estável por falta de concorrência, verdade mesmo é que não conseguiríamos sobreviver.

    http://www.youtube.com/watch?v=8qYMTmwtnXM

    • em tempo ..podemos tb falar do ministério da “submissão exterior”, ou da justiça cega, que tal

      e não se esqueça

      – a lei Maria da Penha

      -a lei do capacete, do cinto e da faixa

      -a lei do desarmamento

      -e a lei das cotas RACIAIS por exemplo

      elas não funcionaram, e nem vão ..nosso problema é mais embaixo, esta nos nossos valores e nesta MALDITA cultura da INCONSEQUÊNCIA que cotidianamente cultivamos ..estas leis NÃO revolucionaram, tentaram sim REMENDAR, e ganhar tempo e jogar pros incautos, só isso

      e bom tb lembrar, que ontem, estatísticas também demonstraram que os salários, distribuição de renda e o analfabetismo estagnaram ..será que aqui já batemos no VÉRTICE das nossas parábolas ?

      ..e pros otimistas com as perspectivas de quebra do país

      NÃO, o país não vive uma bolha imobiliária e nem corre o risco de quebrar ..o que houve, e ainda há, é um descompasso entre oferta e ralidade (coisa produzida no min, da Fazendo, tal qual como foi a lambança com a venda de carros populares) ..o que ocorreu é que a oferta de imóveis e crédito foi MUITO farta pra imóvel padrão classe média/rica ..e a falta de imóvel pro pobre continua ..tanto é assim que as FAVELAS e guetos continuam a surgir em todo lugar, até no CAMPO ..fora dos preços dos demais imóveis terem explodido por conta destes descompassos e lambanças palacianas

      lembre-se CRESCER não é sinônimo de se desenvolver

      Aliás, prova maior de que o que estamos vendo, é que estamos sendo surfados e NÃO que estamos surfando, é o nível da nossa desnacionalização e desindustrialização havidos nos últimos anos ;;o desequilíbrio que há nas nossas contas externas ..os nossos descompassos que persistem na INFRA

      ..constatação mesmo é que se não fosse o MUNDO e a sua explosão populacional que nos permitiu catapultarmo-nos, aqui sim, e com ajuda de TRANSNACIONAIS, no setor do agronegócio, verdade mesmo é que penso que pouco ou quase nada mesmo teríamos pra comemorar

      ..aliás, nem no setor de serviços, que embora nos tenham dado de muito emprego que paga POUCO, mas mesmo ele ainda insiste em, desavergonhada, nos explorar com seus preços, taxas e tarifas sempre classificados como se sendo os mais altos do PLANETA

      bom dia

      http://www.youtube.com/watch?v=wQyyUzKIqAw

      aqui tem café no bule, quem quer ?

      • Já tá oferecendo até café no final porque sabe que qualquer desavisado que comece a ler as pérolas do autor, não terá muita chance de chegar ao fim acordado.
        Proponho que ofereça café também no início. Só para calibrar o penitente.
        Zzzzzzzzzz…

      • Maria Líbia, volto a frisar o que já disse lá em cima: É muito preocupante, um evento, dentro de uma universidade, tão fortemente policiado para impedir não só a entrada como a aproximação de jornalistas das imediações. Normalmente, os eventos acadêmicos são abertos. O que, exatamente, esse senhor estava fazendo lá, tão resguardado de contato externo ?

  • Muito boa análise Edu
    Eu sou assim, muito precavida
    Estou preparada para a paz, mas já vestida e pintada para guerra que se travará em 2014.

    Enfim, seguro morreu de velho e quero que Dilminha, Padilha e Agnelo sejam eleitos já no primeiro turno, haja visto que meu coração não é de ferro. E rir da oposição já no primeiro turno é bom demais da conta.

  • Ola Edu
    Comungo do seu otimismo.
    Deixaram o Povo Brasileiro na penúria e na miséria por tanto tempo, que mesmo o pouco que o Governo Lula conseguiu devolver a esse Povo fez muita, enorme diferença na vida da população, e na economia geral do país.
    Abusaram tanto do Povão que não tem mais volta eleitoral. E como a “usura dessa gente ja virou um aleijão”, são abusadores convictos e querem porque querem viver rodeados de servos e subalternos, nem que precisem praticar mais um genocídio para o farão, para voltar ao mundo que passou.
    Sentem que condições justas para todos vai tira-los da universidade, pois não passarão em vestibular se tiver mais gente competindo. Suas pequenas e medias e empresas vão competir com muito mais outras, por vezes geridas por gente que entende melhor o “mercado” do Povo Brasileiro. E por ai vai.
    Enfim, temem, se sentem acuados, e estão prontos para atacar.
    Só que agora golpe, só paraguaio/hondurenho. E essa chance acabou de ir pro buraco.
    Portanto, temos que nos organizar, porque agora nós progressistas temos esse instrumento revolucionário de comunicação.

  • The Economist é o arauto do neo-liberalismo britânico e tem sido alimentado com notícias alarmistas pelo capacho do Banco Itaú, Pedro Malan. A estratégia da oposição é tentar desacreditar a economia brasileira, interna e externamente, com o auxílio do PIG e das suas conexões internacionais. O neo-liberalismo não fez auto-crítica do desastre que provocou mundo afora e agora volta à ofensiva. Os bilionários querem ficar trilhardários às custas de mais desigualdade e injustiça. Esta é uma luta que se trava globalmente e o Brasil está mostrando que outro caminho é possível. Daí a matéria na revistinha britânica.

  • Alguém sugeriu a imagem de um Pássaro do Bico Grande no lugar do “cristo” mas aí já seria demais.
    O The Economist é um Panfleto Tucano escrito em inglês para FHC ler.

  • Edu, voce leu o discurso do Mujica na ONU?
    Faça um comentário a respeito.
    Eu sei que to fora do assunto aqui, mas seria ótima ler também a sua visao.

  • OBAMA vaza dialogo havido entre J.Barbosa (JB) e Levandovky (LY)

    LY – JB, ontem eu descobri meu motorista pelado no armário do quarto aonde a minha esposa estava

    JB – e o que o sr fez ?

    LY – demiti-o prontamente !!!

    JB – e sobre a sra sua esposa ?

    LY – Não fiz nada, afinal de contas ele estava dentro do armário e ela fora . .portanto, considerei que não haviam provas suficientes

    http://www.youtube.com/watch?v=9yDZXDNaZ-c

    • Romanelli…
      Por dois motivos você escreve uma bobagem dessas e nem fica vermelho.
      PRIMEIRO: você é tão avesso à esquerda que quando envergonhado fica laranja, mas não avermelha.
      SEGUNDO: Você paga meus IMPÓÓÓSTUS e portanto tem todo direito de ser tosco.

    • Romanelli…
      Por dois motivos você escreve uma bobagem dessas e nem fica vermelho.
      PRIMEIRO: você é tão avesso à esquerda que quando envergonhado fica laranja, mas não avermelha.
      SEGUNDO: Você paga seus IMPÓÓÓSTUS e portanto tem todo direito de ser tosco.

  • MARAVILHA ESSA ANÁLISE E UMA VISÃO GERAL DOS FATOS POLÍTICOS.

    AH SE NÃO FOSSE ESSE MENINO: EDUARDO GUIMARÃES –

    O QUE SERIA DE NÓS FORMATADOS POR

    ESSA MÍDIA PIG.

    MIL VEZES OBRIGADA EDUARDO POR VOCÊ EXISTIR.

  • É hora de a esquerda se libertar desse viralatismo de dar importância a “The Economist”, “The Guardian”, agências “de risco”, etc.

    Quando Rafael Correa, presidente do Equador, foi questionado pelo cineasta Oliver Stone sobre as críticas que sofria da mídia estadunidense, ele respondeu:
    — Conhecendo a mídia de seu país, eu ficaria preocupado se falassem bem de mim.

  • Os humanoides que come resto de migalhas cuspida ao chao pelos patroes da ditadura, vira e mexe vem se manifestar neste BLOG, as suas depressoes e falencia moral, sobre o possivel desemprego de cata-resto, come-sobras, lambe-botas, chupa-graos que a DIREITA IMUNDA e CORRUPTA oferece a eles em troca de suas almas sujas e pervertidas, como exemplo R.F., abreviado mesmo, pois é tao nojento este humanoide, que é impossivel falar o seu nome, mesmo que ficticio.
    Parabens ao Edu, pois até o mais sujos dos inimigos vem comer afagos, esperança de vida e futuro no seu blog!!!
    Coitados, o inferno. onde já se encontra muitos corruptos de direita, aguarda ansiosamente estes facinoras, para devorar muito lentamente, em brasa ardente, estas almas imundas e podres.

  • Concordo com a análise da matéria. E continuo acreditando na política pois conheço muitos políticos cujo caráter é irrepreensível, o que ocorre é que existem pessoas que têm aptidão para realizá-la ativamente nos partidos, com a rotina orgânica correspondente e desganstante, e outros preferem fazê-la da forma que estamos fazendo. Todas são importantes para atingirmos uma situação cuja realidade seja digna para todos os brasileiros.

  • Artigo muito bom excelente mesmo. Eu sempre acreditei que para o PT governar teria que fazer concessões que poderiam custar caro, mas é necessário pois a nossa sociedade é muito heterogênea, a grande virtude é que apesar de tudo que ocorreu, o PT está conseguindo resgatar um pouco da perdida cidadania do povo brasileiro. Não podemos permitir que a velha e hipócrita classe dominante retorne ao poder, é preciso continuar o projeto de governo iniciado pelo PT, até aparecer alternativas de peso.

  • Texto no Tijolaço mostra o Brasil em terceiro lugar em recebimentos de investimentos externos , atras de China e EUA , a Inglaterra em sexto lugar.

    O Romanelli antes de ser excluido do Nassif escrevia tranquilo , agora parece uma matraca neoliberal com o discurso da velha mídia enchendo o saco de quem não lê velha mídia e que ele sabe bem o que pensa da velha mídia.

    O Obama não tá vazando nada o sumidade, foi dele o espião que se mandou , se toca o dois neurônios.

    O governo não tem café no bule sim conquistas como mais de 20 mi de pessoas que sairam da linha de pobreza , algo q não tinha acontecido em 500 anos de nação e outros indices.

    A era do PT está chegando ao fim……… aonde vc mora……. indices de pesquisa , desemprego , renda , acesso a universidades , etc………. aqui não tem leitor da velha mídia e não é blog da velha mídia….idiota por aqui são poucos e todo mundo sabe que Dilma é favorita e Lula o principal político e articulador do país , sem grandes chances que nas duas próximas eleições isto se reverta , com maiores posibilidades de se ampliar com o fim dos tucanos-dem e outro bloco progressista se tornando a principal força da oposição.

    Cidadão se tá assim teu lugar é na seção de comentários da veja……….. ou ficar nos fazendo ter que saltar teus comentários.

  • ‘ “Não creio em geração espontânea na Economist”

    Professora Maria da Conceição Tavares já deixou registrado que revista inglesa é pautada por interesses escusos do capitalismo global; e não apenas por seus jornalistas; matriarca dos desenvolvimentistas do País diz: “Não acredito nessa geração espontânea nas páginas da Economist, por mais que isso combine com o seu conservadorismo”; para ela, “o alvo é 2014″; análise se deu a respeito de pedido da cabeça do ministro Guido Mantega, feito pelo magazine da terra da rainha Elizabeth no final do ano passado; mas vale para o caso atual de crítica grosseira à economia brasileira.” ‘

    “[Brasil] 247 apurou que ex-ministro Pedro Malan tornou-se UMA DAS PRINCIPAIS FONTES de informação da publicação.” (grifo meu).

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/116023/Economist-ataca-Brasil-na-hora-de-nova-decolagem.htm

    • Pedro Malandro era um dos ministros do finado FHC. Isto mostra o quanto essa revista inglesa anda mal informada sobre o Brasil, pois tem como uma fonte de notícias um tucano-pefelê.

      Qualquer brasileiro sabe que o Brasil tem melhorado paulatinamente, principalmente na área social, onde a distribuição de renda promovida pelos Governos Lula e Dilma tiraram milhões de pessoas das classes D e E e inseriram as mesmas na classe C.

      As melhorias poderiam ser aceleradas se os Governos Lula e Dilma tivessem criado um Imposto sobre as Grandes Fortunas, Imposto sobre os lucros exorbitantes dos bancos, por exemplo. Incentivassem com mais ênfase as pequenas e médias indústrias, além de criar a Ley de Medios (que acabaria com o principal focos de mentiras que ajudam a emperrar a economia brasileira).

    • A Maria da Conceição Tavares cantou a bola de que o Pedro Malan seria uma das fontes dessa reportagem do Economist. O curioso nisso é que a jornalista Cecília Malan, filha do Pedro Malan, trabalha como correspondente Internacional na Rede Globo … em Londres!

  • Coincidentemente uma revista britânica fala mal do Brasil depois das empresas inglesas terem saído do leilão de libras. É a raposa e as uvas de sempre…

  • Olá, Edu

    Realmente, há muita gente cheia da grana neste mundão de meu Deus que pensa que ainda estamos vivendo na Idade Média, quando era comum amedrontar as pessoas mais simples com histórias de lobisomem, mula sem cabeça, a cuca e semelhantes!!!

    Essa gente perversa precisa criar vergonha na cara e ver que o mundo mudou. Afinal, ninguém acredita mais na última dessas histórias: O comunismo mata os velhinhos e come as criancinhas!!
    Ora, vão catar coquinhos!!!
    DILMA 2014!!!
    Viva o PT!!! Viva Lula!!! Viva Dilma!! Viva o Brasil e Viva o Povo Brasileiro!!!

  • Eduardo, só um lembrete.
    O amigo enviou para o então PGR Gurgel, vários livros da Privataria Tucana e que o prevaricador ignorou. Que tal fazer o mesmo com o novo PGR Janot e adicionar mais o livro O Principe da Privatização. Talvez ele seja mais receptivo.

  • Só espero que dessa vez a campanha da Presidente Dilma não cometa os erros de 2010,apanhando igual a uma condenada de Serra do Bem e sem responder a altura.

    No mais,até a posse da Presidente até o mês de agosto já foram criados no brasil mais de 4.100 milhões de empregos e olha que 2013 nem acabou e temos ainda 2014 inteirinho pela frente,dando a chance da Presidente usar na campanha a marca de mais de 5 milhões de empregos só no seu governo e não mais na situação do poste do Lula(segundo o pig). Também temos as obras que estão sendo realizadas,o país não quebrou junto a crise mundial pela primeira vez na história,etc,etc.

    Não tenho nenhuma dúvida de que quando começar a campanha a oposição não terá o que fazer(somente golpes via pig) para levar essa,já que Aécio ainda não começou a apanhar e ser desmascarado junto a seu coronelismo político em Minas Gerais e Eduardo Campos que não convencerá ninguém de que ele é o máximo e que não precisou de Lula e Dilma para nada,como se fosse o Governador de New York,já que no Brasil até mesmo para quem Governa SP já é impossível convencer alguém de fora de que você é o máximo,imaginem só Eduardo Campos.

  • Concordo plenamente com seu ponto de vista.
    Infelizmente é como disse Paulo Betti; eu, como petista de carteirinha, ainda acredito que poderemos passar por essa fase e num futuro próximo, com o Brasil já em um estágio melhor, possamos fazer uma política sem precisar botar a mão na merda.

  • Estava pensando…. 
    Meu cachorro dorme em media 20 horas por dia. 

    Ele tem toda a comida preparada para ele. 

    Pode comer qualquer coisa que ele queira. 

    A comida é dada a ele sem custo. 

    Ele visita o veterinário uma vez ao ano ou quando necessário, se algum mal aparece. 

    Por isso ele também não paga nada, e nada em troca é pedido a ele. 

    Mora em boa vizinhança, em uma casa muito
    maior do que necessita, mas não precisa limpar nada. 

    Se ele faz sujeira, alguém limpa. 

    Ele escolhe os melhores lugares da casa para dormir e
    recebe essas acomodações completamente de graça. 

    Vive como um rei e não tem mesmo nenhuma despesa. 

    Todos os seus custos são pagos por outras pessoas
    que têm que sair de casa para ganhar a vida todo o dia.

    Estive pensando sobre isso e, de repente, veio a trágica constatação:
     
     
    MEU CACHORRO É DO PSDB!

  • Edú,vamos conversar?Papo reto,onde fica o boteco?… O áetico não vai sair do lugar e nem o cerra.Vai ser uma campanha baseada em tentativas…de golpes. Não existe possibilidades no voto. Mas como diz o Lula:- A grobo se acha mais importante do que é! Precisamos dos jovens e eles ficam na internet…então melhore o blog e vamos nós!!!

  • Muito bom. É exatamente isso que se extrai de uma conversa com pessoas simples, mas não bobas, que melhoraram substancialmente de vida na última década. A maioria até assiste a rede golpe e ouve as bobagens que seus artistas milionários e jornalistas de programa falam, ma não dá bola, pois lembra muito bem de como vivia antes, na época do desemprego, do achatamento salarial e da privataria criminosa!

  • Eduardo, essa oposição e essa mídia está como uma biruta. Quem é do interior desse país sabe como era antes de Lula e Dilma na questão do consumo, quando alguém conseguia consumir o relativamente tradicional na sua alimentação, feijão e arroz. A situação era tão humilhante que as mercearias nessas regiões pobres como o vale do Jequitinhonha, por exemplo, vendia-se arroz quebradinho ao meio e o feijão bandinha, ou seja, partido ao meio. Hoje, não há isto mais por aqui. O consumo do povo pobre melhorou consideravelmente que nem os comerciantes ousamo em oferecer aquele tipo de mercadoria de outrora. E, se oferecessem não teria o consumidor.

    • Mas que NOTÍCIA boa! Acho mesmo que FRANKLIN deve fazer parte do segundo mandato! Maravilhoso Franklin! Precisamos de muitos Franklin Martins, pois a honestidade e competência fazem parte da personalidade desse ilustre brasileiro.

  • Sobre a The Economist: esta não é a capa que circula na edição desta semana pela Europa e pelo mundo. Se a edição brasileira tiver esta capa (estou na Holanda) foi encomendada uma tiragem especial. No meu modesto blog, Eduardo, publiquei a capa verdadeira já na quinta-feira à noite, quando alguns coxinhas festejavam a capa falsa no Facebook. Das 14 páginas de matérias sobre o Brasil, uma elogia tremendamente a Natura, fábrica de cosméticos do milionário ex-vice de Marina. Meu faro de “foca” há 40 anos me diz que é matéria paga, embora não haja indicação disso na revista. Permita-me indicar meu blog, para que vejam as fotos da capa verdadeira e das páginas internas. A foto do Cristo despirocado que aparece aqui como a segunda capa, aparece na revista duas vezes: no índex e na matéria de abertura, ambas com tamanho aproximado de 3 por 4 centímetros.

    ECONOMIST QUER DILMA NEOLIBERAL
    O slogan da revista é “Free enterprise with every copy” (Empreendedorismo livre em cada exemplar”) e ela se considera “um baluarte do liberalismo clássico”. Quando lançada, em 5 de agosto de 1843, anunciava sua linha editorial: “defensa do livre comércio, do internacionalismo e da mínima interferência do governo, especialmente nos negócios do mercado”. Seus criadores foram empresários têxteis de Manchester, que desejavam fim de barreiras comerciais, baixos impostos e nenhuma regulação das relações trabalhistas. De 1861 a 1877, foi dirigida pelo banqueiro Walter Bagehot, genro do primeiro-ministro Wilson.
    Em 1967, lançou uma edição em espanhol que fracassou e foi fechada três anos depois. Em 2001 sofreu reforma gráfica, passando a usar cores.
    Hoje tem tiragem de 1,6 milhão de exemplares e quatrocentos funcionários dos quais 75 jornalistas, dois terços baseados em Londres.
    http://abarbosafilho.blogspot.br/2013/09/economist-quer-dilma-neoliberal.html

  • Capa do jornal o Estado de Minas de hoje, 29/09/2013

    É muita desfaçatez !!!

    Colocam o Lula na capa e logo embaixo, gritam: É caso de punição !!!

    Detalhe, o Jornal o Estado de Minas já colocou à venda a sede do jornal e está sobrevivendo as custas do Governo de Minas Gerais.

    TODAS as empresas do estado anunciam no jornal…só assim, com dinheiro estatal, ele sobrevive.

    http://imgsapp.impresso.em.com.br/app/da_capas_134132081523/2013/09/29/482/20130928234229474665a.PDF

    • Mais um jornal em estado comatoso (by PHA)
      A mídia alternativa via internet se encarregará de sepultar todo esse lixo.
      Vai faltar forro para a casinho do meu cachorro. Ótimo.

  • Excelente texto. Só ressalto que há o dado novo de que a direita tem agora um exército de fascistas dispostos a irem às ruas para promoverem vandalismos e impedir as manifestações democráticas. Isso será central na campanha de 2014. PREPAREMO-NOS PARA O ENFRENTAMENTO.

  • Caro Edu,

    minha opinião sobre o assunto é a mesma. Porém, penso que há um risco bastante palpável, que é essa gente que só tem interesses mesquinhos, conseguir através da propaganda maciça (pois é isso que eles fazem, com apoio integral da mídia) equilibrar a disputa para retomar o poder e, chegar lá. Eles tem muita experiência, apoio (até do exterior), maldade e total falta de limites quando elaboram planos para atingir seus objetivos.
    Por que estou dizendo isto: porque acho que o governo e seus parceiros não tem as mesmas características deles. Pensam que só se deve responder com ações que melhorem o bem estar da população e o caminhar do país. Porém, hoje em dia, a comunicação é fundamental, pois ela tem um peso considerável no estabelecimento dos fatos.
    Resumindo…com os ataques sofridos pelo governo nos últimos tempos, pode-se constatar que, dependendo da qualidade dos planos urdidos por estes grupos, com apoio e consultoria de outros, eles podem sim abalar a população em sua crença. Ou seja, há algum tempo, falo e vejo vários comentários nos blogs que acompanho sobre a necessidade de comunicação deste governo. Ele tem que estabelecer um maior diálogo com a população para oferecer um contra ponto aos ataques terroristas realizados pela oposição, com apoio midiático e até de fora do país, às vezes velado, outras diretamente. Vamos bater nessa tecla, para ver se alguém do governo se move nesse sentido..Abs a todos.

  • Eduardo, tudo bem? Gostei muito do texto. Realmente a “The Economist” mais uma vez erra feio em suas análises. E, mais uma vez, a turma da direita inconsequente sofre uma derrota fragorosa: sua rival cresce nas pesquisas (tanto em aprovação quanto em intenção de voto).

    Discordo, todavia, de três pontos que vêm sendo reiterados por vários articulistas, e por isso quero comentá-los aqui:

    1] Não acho que a candidatura de Eduardo Campos seja necessariamente ruim. No meu entender, quanto mais candidatos houver, mais fragmentado será o voto anti-Dilma. Para mim, o Lula está certo (mais uma vez) ao não partir para o confronto com o Eduardo Campos, pois, além de o PSB ter todas as condições de apoiar o PT em um possível segundo turno de 2014, tem também condições de voltar para a base de apoio em um possível segundo mandato da Dilma. Igual ao próprio Ciro Gomes, que disputou contra o Lula em 2002 e, no segundo turno, deu importante apoio à vitória do PT e entrou na base de apoio governista;

    2] Não acho que o PSB e o Eduardo Campos estejam querendo partir para a oposição à Dilma. Na verdade, o que percebo é que o PSB quer crescer nacionalmente em importância, e, para isso, é importante disputar a eleição com “cabeça de chapa”. E o Eduardo Campos quer, na verdade, é se “cacifar”, pois sabe que em 2014 suas chances são mínimas. Mas, se ele ficar conhecido nacionalmente, ele poderá se articular com várias forças políticas (tipo PSD, PDT etc.) e disputar com chances reais em 2018; e

    3] Não acredito 100% na candidatura do Aécio Neves. Se (A) o Serra não sair do PSDB, a chance de ele “minar” o Aécio em 2014 não pode ser desconsiderada (ele vai tentar: ganhar as prévias, entrar com ações judiciais no TSE se ele perder as prévias, voltar com a história do “pó pará Aécio” etc.). Quem conhece o Serra sabe do que ele é capaz (e, como eu detesto o PSDB, torço que o Serra continue lá, fazendo todas as “diatribes” que só ele sabe fazer…). E se (B) o Serra for para o PPS ou para outro partido, será para disputar em 2014 e dividir o voto da direita. Como ele tem recall nacional e o Aécio não, pode ser que o Serra, e não o Aécio, venha a agregar o voto da direita, caminhando para perder sua terceira eleição presidencial…

    Abs, Fábio Faiad.

    • Uma boa analise, Fabio.
      Serra é aquele peixinho safado que estando vc pescando em águas claras, não
      pega o anzol; suja a agua, faz bagunça para nenhum outro se aproximar.
      O pescador fica p da vida e muda de lugar.

  • O Partido dos Trabalhadores. Lula. Dilma.

    A reação conservadora ideológica querem romper com esse processo que tem reduzido com as desigualdades sociais tão gritantes nesse país. O capital nacional, internacional está afetado daí seu surto brutal. A luta continua.

  • Perfeito! Análise muito correta e precisa….como a águia, você vê mais longe! Parabéns, Eduardo…. tenho orgulho de participar de seu blog, poder compartilhar o que você escreve….abração, amigo! Muita força, saúde e que você continue contribuindo para clarear a caminhada de tantos, nesse momento em que os vermes rastejantes assolam esse país….Venceremos!

  • Sou da classe média e grande parte dos meus amigos e parentes acham que o Brasil está muito ruim. Acredito que esta visão traz muita influência da mídia e alguma dose de preconceito e desinformação. Ainda existe muita coisa para melhorar no Brasil, mas parece que as pessoas não comparam com o que era há 10 anos atrás. Inclusive para as pessoas mais jovens (com idade até 35-40 anos), esta comparação fica mais difícil.
    Outras reflexões, que incluem as pessoas mais de esquerda, é a constatação de que o Governo está cedendo muito para o neoliberais e o receio que esta concessão chegue ao ponto de prejudicar a nossa autonomia. Nessas discussões são incluídas as negociações do pré-sal, o agronegócio e outros setores.
    Confesso que muitas vezes fico também com este receio.
    Mas sem sombras de dúvidas, o PT é a única opção atualmente. O restante é um horror! Representam o retrocesso e a perda de tudo que foi conquistado.

  • O PT vai continuar fazendo política de libertação do povo brasileiro e até latino-americano por muito tempo, muito embora o mesmo povo não tenha muita consciência e nem clareza disto!
    As elites brasileiras por serem burras aliada a uma oposição SEM PROJETOS estão desesperadas!
    Dilma vencerá com tranquilidade no Primeiro Turno de 2014!
    E o desafio da libertação do povo brasileiro vai continuar! E’um caminho sem volta!
    JOSÉ APARECIDO DOS SANTOS-ASSIS/SP.

  • Este pode ser um dos motivos da insatisfação dos jovens da classe média que se manifestaram em junho:
    Carta Maior: Pesquisa sobre as manifestações populares de junho revela que manifestantes eram sobretudo jovens trabalhadores descrentes da ascensão social
    http://bit.ly/17fcwjs

  • Sempre previ a recuperação de Dilma, por um motivo bem simples : A população retirou seu apoio à Presidenta somente para passar-lhe um pito com o que considerou leniência de Dilma com a baderna, que apavora o homem comum, durante as “manifestações” patéticas realizadas pelos mauricinhos da classes média e alta. Nesse ponto tenho uma pequena discordância de seu texto, não acredito nem mesmo que tenha-se deteriorado, ao menos em grande escala, a expectativa do cidadão em relação ao futuro. As pessoa continuaram a enxergar as melhoras em suas vidas(seu poder aquisitivo elevado, os filhos na Universidade, o emprego acessível a todos); ; tanto que os números corroboram minha tese. Se observarmos as “quedas” resultante das “manifestações”, perceberemos que o percentual dos que avaliavam positivamente o desempenho da Presidenta e seu Governo caiu três vezes mais do que o percentual daqueles que tinham expectativas positivas para o futuro do país. Ou seja, se a queda da expectativa positiva sobre o futuro do Brasil fosse a grande responsável pelo baque na popularidade de Dilma, esse baque seria um terço do que foi. Então, como ocorreu tamanha diminuição na popularidade da Presidenta, em muito superior à diminuição da visão positiva sobre o futuro do país? Obviamente que essa queda foi resultado de uma reação emocional de indignação, dirigida especificamente à figura da presidenta(nossa cultura autoritária, com forte influência do período monárquico, continua a vincular à figura da “comandante” a responsabilidade única e despótica pela manutenção da ordem), surgida no cidadão comum diante das imagens de vandalismo e baderna que os mauricinhos e patricinhas, e seus jagunços contratados, protagonizaram pelo país e foram reiteradamente vinculadas pela mídia conservadora, ciente de que tal “espetáculo” atingira Dilma em cheio. Foi essa reação emotiva, resultante do medo diante da violência transfigurada num caos coletivo, que retirou o apoio a Dilma apenas de maneira temporária, pois exatamente por seu caráter emocional, oriundo de uma emoção primitiva e imediata, o medo, não consegue se manter nos seres humanos racionais que, findo o impacto imediato do vandalismo, e ainda por cima percebendo que a Presidenta não se omitiu diante dos fatos(no máximo pode ter demorado um pouco a reagir)voltou a olhar Dilma, e principalmente a escolha de futuro que ela representa, com equilíbrio(já que as pessoas sabem muito bem que a melhora nas suas vidas foi graças à chega do projeto petista ao poder. Qualquer um com ao menos 30 anos lembra-se do horror do desgoverno FHC), recolocando as questões que de fato a importam, ou seja a continuidade e aprofundamento das melhoras que vêm ocorrendo em suas vidas, no lugar preponderante e decisivo que sempre ocuparam, o qual foi apenas momentaneamente esquecido devido ao medo irracional, e fugaz, que o vandalismo dos mauricinhos psicopatas lhes despertou, medo esse semelhante à indignação que as acusações do “mensalão” causaram entre os cidadãos logo após seu aparecimento, que também levou à queda na popularidade de Lula(que despencou durante alguns meses), mas logo voltou a recuperar-se porque os brasileiros também deixaram de lado uma emoção imediata e irracional, surgida como primeiro impacto das denúncias, e, ao aproximar-se o momento da eleição guiaram-se por motivos mais racionais para definir sua escolha, qual seja pela constatação lúcida de que o projeto protagonizado por Lula começava a melhorar-lhes as vidas de maneira nunca antes ocorrida(e olha que nem de longe o Brasil vivia um momento semelhante ao de agora, onde a qualidade de vida da população pobre, que ainda precisa melhorar muito, evoluiu de forma impressionante, permitindo aos oprimidos o acesso à renda, emprego e educação num patamar sequer imaginável no passado!). Por isso, Dilma recuperou-se rapidamente, ainda mais rápido do que Lula, e por isso continuará a crescer em popularidade, afinal o Brasil está muito melhor do que em 2005/2006 e o nível de confiança da população num projeto que vem-lhes trazendo melhoras há dez anos é ainda maior. Nesse contexto, é que podemos perceber o desespero dos exploradores, locais e estrangeiros, que acostumados a sugar os brasileiros para a sustentação de seus privilégios, vêem esse quadro monstruoso que tanto adoram ser progressivamente desmontado, com milhões de brasileiros passando a viver com dignidade neste país, e com o Brasil adquirindo sua independência como Nação, libertando-se da subserviência aos EUA E ÀS OUTRAS NAÇÕES OUTRORA DOMINANTES DO CAPITALISMO MUNDIAL(QUE TAMBÉM PERDEM SUA DOMINAÇÃO PARA SI PRÓPRIOS, OU SEJA, PARA O CAOS QUE CONSTRUÍRAM EM SUAS ECONOMIAS DEVIDO À LOUCURA NEO-LIBERAL). A “MATÉRIA” DA CANALHA THE ECONOMIST, ASSIM COMO O NEGATIVISMO ESQUISOFRÊNICO DE NOSSA MÍDIA CONSERVADORA, SÃO REFLEXOS DESSA MUDANÇA. A REVISTAZINHA DE MERDA DOS INGLESES DESESPERA-SE COM O CRESCIMENTO DO BRASIL, QUE JÁ RECEBE MAIS INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS(E FALO DE INVESTIMENTOS PRODUTIVOS, NÃO ESPECULATIVOS)DO QUE A INGLATERRA, CONFORME MOSTRA PESQUISA QUE PODE SER ENCONTRADA NO SITE DE PHA NO BLOG TIJOLAÇO. Sem contar que os especuladores ingleses, bancos e os investidores voltados para a especulação financeira, já perceberam que não terão mais no Brasil o paraíso para suas farras financeiras, uma vez que o Governo Dilma baixou os juros(embora eles ainda sejam muito altos e já devessem ter diminuído ainda mais)e começa a controlar o câmbio de forma saudável. Sem contar outras reações à exploração estrangeira, como a maravilhosa parceria com os chineses que, se tudo ocorrer como previsto, garantirá a utilização dos recursos do Pré-Sal em prol de nosso desenvolvimento, e as regras mais rígidas nas concessões de infraestrutura(embora sobre tais concessões continue mantendo minha opinião de que deveriam ser realizadas pelo Estado, uma vez que mesmo com regras mais rígidas, ainda constituem-se numa sopa no mel para os empresários, que vão receber dinheiro do estado, via BNDES, para explorarem nossos transportes e estradas). Contudo, ainda que com algumas concessões compreensíveis à exploração externa(estamos mudando aos poucos um quadro secular de dominação e precisamos nos fortificar para fazê-lo de forma completa)é inegável que o Brasil constrói sua independência, ou seja caminha para tornar-se uma potência, com distribuição de renda para sua população, o que deixa histéricos os beneficiados pela ordem excludente de outrora que, vendo sua derrota cada dia mais concretizada, usam sua máquina de mentiras para tentar sabotar o Brasil, o que não não vêm conseguindo há muito tempo, pois as pessoas não deixarão de acreditar em seus olhos para seguirem debiloides midiáticos.

  • Eduardo, consegui cópia da capa da The Economist que circula na Europa, edição de 26/09 – é sobre terrorismo.
    Se vc entrar no site da revista e clicar em “print edition” ela aparece por alguns segundos e é substituida pela capa da edição que circula aqui!
    Não consigo incluí-la no comentário.

  • A verdade é que os avanços sociais em benefício dos mais pobres continuam incomodando os “bacanas” e sua corja……Essa “maldita elite” não aceita que o pobre tenha um pouco mais de renda(salário), casa própria, os filhos estudando em universidades, enfim tenham uma vida digna….. A elite, e seus partidos políticos e a mídia golpista não admitem que foi nos oito anos do presidente LULA e agora no governo da presidenta DILMA que a classe menos favorecida tenha uma vida um pouco mais digna……Vejamos: jogaram suas fichas contra o “programa mais médicos” e quebraram a cara mais uma vez…..Apostaram no desemprego e no baixo pib e perderam; o emprego voltou a crescer como também o PIB…. Jogaram as fichas na inflação mas ela voltou a cair….. O desespero e a desilusão estão batendo às portas dessa oposição medíocre…..O povo brasileiro( o povão) está vivendo melhor e não quer o retrocesso político….. É DILMA DE NOVO PARA O BEM DO POVO!

  • Que a economista Maria da Conceição é de opinião duvidosa, eu não tenho dúvidas, já que faz parte daquela corrente acadêmica digamos, socializada. Mas também não podemos negar que os europeus de uma forma geral, principalmente ingleses e alemães, gostam de diminuir nosso país. Eu diria que não somos tudo o que o mundo possa estar alavancando sobre nós. País ainda de economia periférica, sem grandes indústrias e serviços de renome mundial, principalmente nos ramos farmacêuticos, automobilístico, naval, TI, e com serviços públicos sem referencia, a ver, saúde, educação, segurança pública, e estrutura das cidades. Mas digo também, que a decadente europa, não aprecia em nada o fato de estar sendo posta em terceiro plano, depois da importância que os EUA tomaram após a segunda guerra e com a emergencia de mercados asiáticos, com a China e Japão liderando este continente. E para eles serem postos em quarto lugar, perdendo importância para outros países como o Brasil e México, Russia e Índia, é de deprimir qualquer dirigente cheio de soberba e que fizerem suas riquezes e projeção política, roubando ouro e riquezes ainda da época colonial e impondo, seus serviços anulando de outros países emergentes como nós, as custas de corrupção e imposições comerciais. Concluindo, posso dizer que não somos e não eramos tudo o que disseram ou esperavam de nós mas também não estamos tão ao fundo do poço, como eles presumem, afinal de contas se somarmos o PIB oficial mais o da economia informal, estimada em 15%, alcançamos um valor agregado maior do que o PIB francês e próximo ao da Alemanha. Pena que não possuímos qualidade industrial, nem de serviços e de produção científica equiparada a eles, se não estariam aí sim, “perdidos”.

Deixe uma resposta